Povos tradicionais e manejo de recursos naturais: valores socioambientais das comunidades ao entorno da Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Veredas do Acari – Minas Gerais/Brasil

Autores

  • Nadja Maria Mourão Universidade do Estado de Minas Gerais http://orcid.org/0000-0003-3990-0201
  • Rita de Castro Engler Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Rosilene Conceição Maciel Universidade do Estado de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.490

Palavras-chave:

Povos tradicionais, recursos naturais, identidade, artesanato, reserva ambiental.

Resumo

Este trabalho busca investigar os aspectos dos povos tradicionais e manejo dos recursos naturais, em função dos valores socioambientais, das comunidades ao entorno da Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Veredas do Acari, em função do artesanato. Para tanto, utiliza-se a metodologia da pesquisa-ação, por meio da realização de oficina de Design, Identidade e Cultura. Acredita-se que o design social pode contribuir com o desenvolvimento sustentável na região. A Reserva Ambiental do Acari garante a subsistência e área de vegetação, que são recursos, para as comunidades próximas à região. A comunidade deve ser orientada sobre os métodos adequados para a extração de materiais e sobre como evitar incêndios, valorizando a biodiversidade local. Em visitas técnicas, foram identificados alguns costumes relacionados com as tradições e atividades culturais. Observaram-se quais os conhecimentos de produção artesanal e conceitos sociais, culturais e ambientais, que configuram em vínculo com a produção artesanal. O material didático, para execução de oficinas, foi preparado com a participação das lideranças comunitárias. Verificou-se a compatibilidade com a realidade local, oferecendo conteúdos que pudessem auxiliar no desenvolvimento dos produtos artesanais. As atividades de reconhecimento das riquezas materiais e imateriais, desenvolvidas durante as oficinas de design, estimularam a valorização do contexto histórico e das tradições locais. Foram executadas análises sobre as riquezas culturais, e o reconhecimento do legado deixado pelos antepassados, em atividades artesanais, repassadas entre as gerações.

Biografia do Autor

Nadja Maria Mourão, Universidade do Estado de Minas Gerais

Doutoranda em Design, pelo PPGD- Universidade do Estado de Minas Gerais, possui mestrado em Design, UEMG (2011). Área de concentração do PPGD/UEMG: Design, Inovação e Sustentabilidade; Pós-Graduação em Arte Educação pela UEMG - Faculdade de Educação; Bacharel em Decoração (Design de Ambientes) pela Fundação Mineira de Arte Aleijadinho - Escola de Artes Plásticas. Atualmente é membro do CEDTec - Centro de Estudos de Design & Tecnologia / Linha: Cultura, Aspectos Socioeconômicos, Sustentabilidade e Gestão da inovação. Grupo CNPq: Tecnologia Social e Design Inclusivo. Professor titular da UEMG - Escola de Design. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Meio Ambiente, atuando principalmente nos seguintes temas: Tecnologia Social, Sustentabilidade, Design, Cultura e Identidade.

Rita de Castro Engler, Universidade do Estado de Minas Gerais

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (1985), mestrado em Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1988) e especialização(DEA) e doutorado em Engenharia de Produção e Gestão de Inovação Tecnologica – Ecole Centrale Paris (1993), pós-doutorado em Design na UEMG(1994), pós-doutorado em Design Social na Ryerson University(2014). Foi bolsista de mestrado Na PUC/RJ, chargé des cours na Ecole des Mines de Paris, Bolsista de doutorado e pesquisadora na Ecole Centrale Paris, Coordenadora de Projetos no Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da UEMG, Professora e Coordenadora do Mestrado em Gestão de Tecnologia do CEFET/RJ, criou e coordenou o Centro de Lideranças da BSP- Business School São Paulo, diretora e sócia da Eventail_ Produções Eventos, atualmente é Professora concursada em Inovação e Design e coordenadora do programa de doutorado e mestrado em Design da UEMG, pesquisadora com bolsa de produtividade do CNPq, Professora convidada da University of Tennessee, CBU – Christian Brothers University, Middle Tennessee State University e Ryerson University, responsável no Brasil pelo Consorcio de Engineering Management, e coordenadora do CEDTec – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design e Tecnologia da UEMG, laboratório membro da Rede DESIS(rede Mundial de Inovação Social).

Rosilene Conceição Maciel, Universidade do Estado de Minas Gerais

Doutoranda em Design pela Universidade do Estado de Minas Gerais (2016). Formação em Design Gráfico e afins. Possui mestrado em Gestão Integrada do Território, pela Universidade Vale do Rio Doce (2009/2011), área de concentração em Estudos Territoriais - Linha de pesquisa: Território, Migrações e Cultura. Pós-graduação em Ensino em Artes Visuais pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (2009). Pós-graduação em Novas Tecnologias em Comunicação pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - UNIBH (2000). Bacharel em Programação Visual (Design Gráfico) pela Fundação Mineira de Arte Aleijadinho-Escola de Artes Plásticas (1989/1993), atual Escola de Design UEMG e iniciou o curso de licenciatura em Educação Artística na Escola de Musica UEMG. Coordenou uma das equipes de tutoria em EaD nas IES do Grupo Anima e atualmente leciona Desenho de Observação e Teoria do Design para o curso de Design de Interiores da Faculdade Una Betim. É professora de Fundamentos do Design Gráfico e Metodologia de Projeto no curso de Design Gráfico da Faculdade INAP. Na Escola de Design /UEMG, atua na disciplina de Psicologia, Percepção e Forma para os cursos de Design Gráfico e Produto e disciplina optativa de Design, Identidade e Território. Como professora pesquisadora, integra a equipe do CEDTec - Centro de Estudos de Design & Tecnologia da Escola de Design/UEMG - Linhas de Pesquisa: Design, Inovação & Tecnologia e Design Inclusivo e Tecnologia Social. Coordena projetos de extensão e de pesquisa na área de arte e intervenção urbana.

Referências

BRITO, J. O. ; COUTO, H. T. Z. Inventário de resíduos florestais. Serie Técnica IPEF. Piracicatu. v.1,n.2.p.A1-A, 13.jul.1980. Disponível em: http://www.ipef.br/publicacoes/stecnica/nr02/cap01.pdf. Acesso em: 20 jun. 2017.

CARVALHO, I. S. H. Potências e limitações do uso sustentável da Biodiversidade do Cerrado: um estudo de caso da Cooperativa Grande Sertão Veredas do Norte de Minas Gerais. Resumos do V CBA - Uso e Conservação de Recursos Naturais, 2005.

CASTELLS. M.. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CENTRO DE TRADIÇÕES GAÚCHAS CRIOULA. Disponível em: http://econosoft.com.br/lista_empresas/MINAS-GERAIS/CHAPADA-GAUCHA/C/03205917000110-CENTRO-DE-TRADICOES-GAUCHAS-CHAMA-CRIOULA. Acesso em: 18 jun. 2017.

FOELKEL, C. Gestão ecoeficiente dos resíduos florestais. Lenhosos da eucaliptocultura.2007. Eucalyptus Online Book & Newsletter. Disponível em: http://www.eucalyptus.com.br/capitulos/PT07_residuoslenhosos.pdf. Acesso em: 20 Jun. 2017.

FUNDAÇÃO PRÓ-NATUREZA - FUNATURA. Levantamento Socioeconômico das Comunidades localizadas no Parque Nacional Grande Sertão Veredas, 1998.

FUNDAÇÃO PRÓ-NATUREZA - FUNATURA. Plano de manejo do Parque Nacional Grande Sertão Veredas. Brasília, julho de 2003.

GOULART, L. H. S. D. Dicionário do Agrônomo. São Paulo: Editora Rigel, 2004.

HALL, S.. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A. 2000.

IBGE.INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2008. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1099 &id_pagina=1&titulo=Mulheres-com-nivel-superior-recebem-60%-do-rendimentodos-homens. Acesso em: 20 jun. 2017.

INSTITUTO ESTUDUAL FLORESTAS - IEF. Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Veredas do Acari. Disponível em: http://www.ief.mg.gov.br/noticias/3306-nova-categoria/1773-reserva-de-desenvolvimento-sustentavel-veredas-do-acari. Acesso em: 18 jun. 2017.

INSTITUTO ESTUDUAL FLORESTAS - IEF. Áreas protegidas, 2011. Dissertação em Ciências Florestais. Disponível em: http://www.ief.mg.gov.br/areas-protegidas/209. Acesso em: 18 jun. 2017.

MACIEL, R. Ibituruna, a marca de um território: design e identidade em apropriações simbólicas da paisagem em Governador Valadares. 2011. 195 fls. Dissertação (mestrado). Universidade Vale do Rio Doce, Governador Valadares. 2011.

MASSEY, D. Um sentido global do lugar. In: ARANTES, Antônio (Org.). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000. p. 176-185.

MENDES, X. História do vale do Rio Urucuia em Minas Gerais. Academia Planaltinense de Letras. Postado em 25 Fev 2011. Disponível em: http://www.riourucuia.com.br/documentos/Historia.pdf. Acesso em: 20 jun. 2017.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA, 2004. Disponível em: http://www.mma.gov.br/sitio/index.php?ido=conteudo.monta&idEstrutura=72&idMenu=2. Acesso em: 18 jun. 2017.

MOURÃO, N. M. Sustentabilidade na produção artesanal com resíduos vegetais: uma aplicação prática de design sistêmico no Cerrado Mineiro. 2011. Dissertação de Mestrado em Design. Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

OLMOS, F. Populações tradicionais e a biodiversidade. Artigo postado em 02 set .2009. Disponível em: http://www.oeco.com.br/fabio-olmos/21088-populacoestradicionais-e-a-biodiversidade. Acesso em: 20 jul. 2017.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPADA GAÚCHA/MG. Disponível em: http://www.chapadagaucha.mg.gov.br/258/Noticias/IxEncontroDosPovosDoGrandeSertaoVeredasDe09A11De_102385/. Acesso em: 18 jun. 2017.

SALGADO, C. L. A prática educativa e o desenvolvimento territorial: um estudo de caso no município de Chapada Gaúcha, MG. Unb: Brasília, 2010. (Dissertação de mestrado)

SANTANA, L. R.; OLIVEIRA, Tiago Pires. O patrimônio cultural imaterial das populações tradicionais e sua tutela pelo direito ambiental. Anais do 9° Congresso Brasileiro de Direito Ambiental, São Paulo: Antônio Herman Benjamin, 2005.

SILVA, L. C.; PEREIRA, A. M. Considerações sobre a urbanização no Cerrado Mineiro. I Colóquio das cidades e regiões: Dinâmica dos espaços urbanos e rurais, 2010. Unimontes: Montes Claros. Disponível em: www.unimontes.br/arquivos/novidades/2010/Anais_do_I.../CO.pdf. Acesso em: 30 mai. 2017.

SOUZA, F. A. A. A cultura tradicional do sertanejo e seu deslocamento para implantação do Parque Grande Sertão Veredas. Viçosa: UFV, 2006.

TÖNNIES, F.. (1987). Comunidade e sociedade: textos selecionados. In: MIRANDA, Orlando (Org.). Para ler Ferdinand Tönnies. São Paulo: Edusp, 1995. p. 231-352.

UNIÃO INTERNACIONAL PELA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA - IUCN. Disponível em: https://www.iucn.org/node/14404. Acesso em: 28 jun. 2017.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Mourão, N. M., Engler, R. de C., & Maciel, R. C. (2017). Povos tradicionais e manejo de recursos naturais: valores socioambientais das comunidades ao entorno da Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Veredas do Acari – Minas Gerais/Brasil. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.490

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)