Literatura Infantil e Cultura: Trajetórias para a Inclusão Social

Autores

  • Leticia Thays Bessa Silva Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Maria Fernanda Ennes de Mattos Moura Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Samantha Tayan Lopes Bueno da Silva Universidade Federal de Goiás - UFG
  • Sheila Daniela Medeiros dos Santos Universidade Federal de Goiás - UFG http://orcid.org/0000-0002-0565-7330

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.458

Palavras-chave:

cultura, inclusão social, literatura infantil.

Resumo

Na sociedade atual, a temática da inclusão social configura-se como uma questão prioritária a ser enfrentada pela educação escolar e não escolar. Neste contexto, o presente trabalho propõe orquestrar práticas de inclusão social através da literatura infantil em uma instituição de educação não escolar, localizada na região periférica do município de Goiânia, a qual atende crianças e jovens das classes de baixa renda. O trabalho concretizou-se através de um Projeto de Extensão, o qual foi construído na perspectiva da pesquisa-ação, a partir do referencial teórico de Zilberman (2003, 2005), Vigotski (2000, 2009) e Ortiz (2011). Conclui-se, neste trabalho, que a literatura infantil se coloca como uma possibilidade concreta de transformação social em um contexto plural, multíplice e global, permitindo às crianças e aos jovens vivenciarem e respeitarem a diversidade existente tanto na sua cultura como na cultura de outros povos.

Biografia do Autor

Leticia Thays Bessa Silva, Universidade Federal de Goiás - UFG

Graduanda de Bacharelado e Licenciatura em Psicologia - Faculdade de Educação - UFG

Maria Fernanda Ennes de Mattos Moura, Universidade Federal de Goiás - UFG

Graduanda de Bacharelado e Licenciatura em Psicologia - Faculdade de Educação - UFG

Samantha Tayan Lopes Bueno da Silva, Universidade Federal de Goiás - UFG

Graduanda de Bacharelado e Licenciatura em Psicologia - Faculdade de Educação - UFG

Sheila Daniela Medeiros dos Santos, Universidade Federal de Goiás - UFG

Pedagoga (Unicamp), Mestre e Doutora em Educação (Unicamp), Docente Universidade Federal de Goiás.

Referências

ANDERSEN, H. C. O soldadinho de chumbo. São Paulo: Rideel, 1993. 16 p.

BORBA, A. A; LIMA, H. M. Exclusão e inclusão social nas sociedades modernas: um olhar sobre a situação em Portugal e na União Europeia. Serviço Social & Sociedade, n. 106, p. 219-240, abr./jun. 2011.

CANDIDO, A. O direito à literatura. In: _____. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011. p. 171-193.

CASTEL, R. De l’indigence à l’exclusion, la désaffiliation: précarieté du travail et vulnerabilité relationnelle. In: DONZELOT, J. (Org.). Face à l’exclusion – le modèle français. Paris: Esprit, 1991. p. 137-168.

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Relatório conjunto sobre a inclusão social, que sintetiza os resultados da análise dos planos de ação nacionais para a inclusão social (2003-2005), Bruxelas, 2003. Disponível em: ftp.infoeuropa.eurocid.pt/files/database/000021001-000022000/000021837.pdf. Acesso em: 20 jun. 2017.

FREIRE. P. A importância do ato de ler. São Paulo: Autores Associados/Cortez, 2003. 96 p.

GOHN, M.G. Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. 2ª ed. São Paulo, Cortez, 2001. 120 p.

HOW TO TRAIN YOUR DRAGON. Direção: Dean DeBlois e Chris Sanders. Produção: Bonnie Arnold. EUA: Dream Works, 2010.

LAJOLO, M. P. No mundo da leitura para a leitura do mundo. São Paulo: Ática, 2004. 112 p.

LOPES, J. R. Exclusão social e controle social: estratégias contemporâneas de redução da sujeiticidade. Psicologia & Sociedade. Florianópolis, v. 18, n. 2, p. 13-24, mai./ago. 2006.

_____. Processos sociais de exclusão e políticas públicas de enfrentamento da pobreza. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 53, p. 349-363, mai/ago 2008.

MACEDO, L. Ensaios Pedagógicos: como construir uma escola para todos? Porto Alegre: Artmed, 2004. 167 p.

MAZZA, J. Inclusão social, mercados de trabalho e capital humano na América Latina. In: BUVINIC, M.; MAZZA, J.; DEUTSCH, R. (Orgs.). Inclusão social e desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. 368 p.

MONSTERS UNIVERSITY. Direção: Dan Scanlon. Produção: Kori Rae. EUA: Disney/Pixar, 2013.

MOURA, E.; ZUCHETTI, D. T. Explorando outros cenários: educação não escolar e pedagogia social. Educação Unisinos, v. 10, n. 3, p. 228-236, set./dez. 2006.

MOYSÉS. M. A. A.; COLLARES. C. A. L. Dislexia e TDAH: uma análise a partir da ciência médica. In: CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DE SÃO PAULO (Org.) Medicalização de Crianças e Adolescentes: conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doenças de indivíduos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. p. 71-110.

ORTIZ, R. Anotações sobre religião e globalização. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 16, n. 47, p. 59-74, out. 2001.

_____. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 2011. 234 p.

PIMENTA, S. G.; FRANCO, M. A. S. Possibilidades investigativas/formativas da pesquisa-ação. São Paulo: Ed Loyola, 2008. 144 p.

ROCHA, R. Quem tem medo do ridículo? São Paulo: Global, 2004, 24 p.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000. 254 p.

SANTOS, M. P. Educação inclusiva: e definindo a educação especial. Ponto de Vista, n. 3/4, p. 103-118, jan./dez. 2002.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. O desenvolvimento de Processos Psicológicos Superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 186 p.

_____. S. Psicologia concreta do homem (Manuscrito de 1929). Educação & Sociedade, ano 21, n. 71, p. 23-44, out. 2000.

_____. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2009. 496 p.

_____. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Educação e Pesquisa, v. 37, n. 4, p. 861-870, dez. 2011.

WANDERLEY, M. B. Refletindo sobre a noção de exclusão. In: SAWAIA, B. (Org). As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Rio de Janeiro: Vozes, 2001. 157 p.

ZILBERMAN, R. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 2003. 235 p.

______. Como e por que ler a literatura infantil brasileira. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005. 200 p.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Silva, L. T. B., Moura, M. F. E. de M., Silva, S. T. L. B. da, & Santos, S. D. M. dos. (2017). Literatura Infantil e Cultura: Trajetórias para a Inclusão Social. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.458

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo