Mulheres, seus saberes, fazeres e afazeres: o gênero feminino nos museus da imigração alemã no sul do Brasil

Autores

  • Daniel Luciano Gevehr Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) - Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT). http://orcid.org/0000-0003-1815-4457
  • Franciele Berti PPG em Desenvolvimento Regional; Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Shirlei Alexandra Fetter PPG em Desenvolvimento Regional
  • Vanuza Alves Mittanck PPG em Desenvolvimento Regional;

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.441

Palavras-chave:

Mulheres de origem germânica, Narrativas visuais, Museus de imigração.

Resumo

A pesquisa discute as narrativas visuais produzidas sobre as mulheres de origem germânica nos museus de imigração da Antiga Colônia Alemã de São Leopoldo (RS – Brasil). A constituição das expografias apresentam discursos sobre a mulher de origem germânica – e que através das narrativas expostas nos museus – permitem compreender os imaginários sociais e as representações construídas sobre as mulheres. Valemo-nos da análise das narrativas visuais presentes nas ambiências dos museus, onde encontramos espaços como a “cozinha”, a

“sala-de-estar”, o “quarto” e objetos que procuram colocar em relevo seus saberes e afazeres. Pretendemos mostrar como estes lugares de memória contribuem para a difusão de representações sobre o gênero feminino. Através da investigação pretendemos discutir os elementos simbólicos que buscam materializar, através de sua expografia, uma determinada história das mulheres. Essa, por sua vez, nos revela escolhas e enquadramentos da memória ao mesmo tempo em que define aquilo que deve ser mostrado e guardado para a exposição pública. Os museus são compreendidos na pesquisa como manifestações simbólicas, que falam de forma direta sobre o lugar e sobre os grupos sociais responsáveis pela sua produção, num processo de lutas simbólicas, no qual a imposição de representações sobre o passado passa pela seleção daquilo que deve ser preservado nos espaços sociais, e que passam a representar parte do passado.

Biografia do Autor

Daniel Luciano Gevehr, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) - Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT).

Daniel Luciano Gevehr é doutor em história (2007) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Possui graduação em história (2000) e mestrado em história (2003) pela mesma Universidade. Autor da Tese Pelos Caminhos de Jacobina: memórias e sentimentos (res)significados, aprovada com grau máximo pela banca examinadora. É Professor Titular, nível II do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR), onde atua como Líder do Grupo de Pesquisa (CNPq) Instituições, Ordenamento Territorial e Políticas Públicas para o Desenvolvimento Regional, das Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT) e tem orientado dissertações de mestrado nessa área de investigação. Atua, ainda, como Professor Adjunto e Coordenador dos Cursos de História e de Geografia no Instituto Superior de Educação Ivoti (ISEI). É Coordenador Institucional do Pibid - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (CAPES-ISEI). Seu campo de investigação privilegia, atualmente, as questões que envolvem a problemática do patrimônio cultural, da educação patrimonial, da memória,das sensibilidades, da produção dos espaços urbanos, das representações e da produção de narrativas visuais em espaços museológicos associados à imigração alemã no sul do Brasil. Tem experiência na área de História, Patrimônio e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: História do Brasil e do Rio Grande do Sul, Movimento Mucker, Patrimônio Cultural, Educação Patrimonial, Processos de Produção dos Espaços Urbanos, Ensino de História, Memória, Gênero e Processos identitários.

Franciele Berti, PPG em Desenvolvimento Regional; Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil

Mestranda em Desenvolvimento Regional (Bolsista Capes); Graduada em Tecnologia de Eventos; PPG em Desenvolvimento Regional; Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil

Shirlei Alexandra Fetter, PPG em Desenvolvimento Regional

Mestranda em Desenvolvimento Regional (Bolsista Capes); Graduada em Pedagogia; PPG em Desenvolvimento Regional; Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil

Vanuza Alves Mittanck, PPG em Desenvolvimento Regional;

Mestranda em Desenvolvimento Regional (Bolsista Capes); Graduada em Pedagogia; PPG em Desenvolvimento Regional; Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil

Referências

BACZKO, B. Imaginação social. In: Enciclopedia Einaudi (Anthropos-Homem). Portugal: Imprensa nacional/Casa da Moeda, s/d. v.5. p. 309-310.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand. 2001. 313p.

BURKE, P. Testemunha ocular: história e imagem. Bauru: EDUSC, 2004. 270p.

CANDAU, J. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2012. 219p.

CHARTIER, R. À beira da falésia. A história entre certezas e inquietude. Porto Alegre: UFRGS, 2002. 275p.

CHOAY, F. A Alegoria do Patrimônio. 3 ed. São Paulo: Unesp, 2006. 282p.

GONÇALVES, J. Os museus e a cidade. In: ABREU, R.; CHAGAS, M. (org). Memória e Patrimônio. Ensaios Contemporâneos. 2 ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009. p. 171-186.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004. 224p.

HOBSBAWN, E. Introdução: a invenção das tradições. In: HOBSBAWN, Eric & RANGER, Terence. A Invenção das Tradições. 5 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008. p. 09-23.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001. p.17-44.

Le GOFF, J. História e memória. 5. ed. Campinas: UNICAMP, 2003. 504p.

LLOSA, M. V. A civilização do espetáculo. Uma radiografia do nosso tempo e da nossa cultura. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013. 207p.

MENESES, U. T. B. de. A Exposição museológica e o conhecimento histórico. In: FIGUEIREDO, B. G.; VIDAL, D. G. Museus. Dos Gabinetes de Curiosidades à Museologia Moderna. 2 ed. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. p.15-88.

MENESES, J. N. C. História e Turismo Cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 127p.

NORA, P. Entre memória e história. A problemática dos lugares. Projeto história. São Paulo, n. 10, p.07-28, dez. 1993. [Revista do Programa de Estudos Pós-graduados em História e do Departamento de História PUCSP].

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da história. Bauru. São Paulo: EDUSC, 2005. 503p.

PERROT, Michelle. A história dos quartos. São Paulo: Paz e Terra, 2011. 344p.

POLLACK, M. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p.03-15, 1989.

POULOT, D. Museu e Museologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. 159p.

POUTIGNAT, P; STREITFF-FENART, J. Teorias da Etnicidade seguido de Grupos Étnicos e suas Fronteiras de Frederik Barth. São Paulo: Editora da UNESP, 1998.

SEYFERTH, G. A dimensão cultural da imigração. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 26, n. 77. p. 47-62, 2011.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. Estudos sobre cultura popular e tradicional. São Paulo: Cia. Das Letras, 2013. 493p.

VARINE, H. de. As raízes do futuro. O patrimônio a serviço do desenvolvimento local. Porto Alegre: Medianiz, 2013. 256p.

VELOSO, M. O Fetiche do Patrimônio. Habitus. Goiânia, v.4, n.1, p.437-454, jan-jun. 2006.

WOODWAR, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. da (org). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 14 ed. Petrópolis: Vozes, 2014. p. 07-72.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Gevehr, D. L., Berti, F., Fetter, S. A., & Alves Mittanck, V. (2017). Mulheres, seus saberes, fazeres e afazeres: o gênero feminino nos museus da imigração alemã no sul do Brasil. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.441

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo