Os caminhos da Ação Política: o pensamento de Arendt e Butler, a partir de dois “recortes” da atualidade

Autores

  • Eduardo Jose Bordignon Benedetti Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Programa de Pós-Graduação em Filosofia http://orcid.org/0000-0002-7608-586X
  • Sônia Maria Schio Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia, Sociologia e Política da Universidade Federal de Pelotas (DFil/IFISP).

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v2i4.298

Palavras-chave:

ação, política, imigrantes, Hannah Arendt

Resumo

O texto parte de acontecimentos políticos da atualidade para, na esfera do pensamento político, refletir brevemente acerca dos rumos da ação política. Para tanto, o referencial teórico de Hannah Arendt (1906-1975) é utilizado em diálogo com as obras de Judith Butler (1956-), especialmente no livro Who sings the Nation State? (2007).

Biografia do Autor

Eduardo Jose Bordignon Benedetti, Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Bacharel em Direito pela UFPel (2015). Integrante do GEHAr – Grupo de Estudos Hannah Arendt (DFil/IFISP/UFPel). 

Sônia Maria Schio, Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia, Sociologia e Política da Universidade Federal de Pelotas (DFil/IFISP).

Doutora em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora do Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia, Sociologia e Política da Universidade Federal de Pelotas (DFil/IFISP/UFPel). Coordenadora do GEHAr - Grupo de Estudos Hannah Arendt.

Referências

ALMEIDA, Paulo Sérgio de. Migração e tráfico de pessoas. Cadernos de Debate Refúgio, Migrações e Cidadania, Brasília, DF, v. 7, n. 7, p. 43-50, 2012.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

_________. Lições sobre a Filosofia Política de Kant. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

_________. Entre o Passado e o Futuro. 4ª ed., São Paulo: Perspectiva, 1997.

_________. A Vida do Espírito: o pensar, o querer, o julgar. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

_________. A promessa da Política. Rio de Janeiro: Difel, 2008.

_________. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

_________. Sobre a Revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

BALIBAR, Etienne. (De)Constructing the Human as Human Institution: A Reflection on the Coherence of Hannah Arendt's Practical Philosophy. Social Research. Nova York, v.74, n.3, p. 727-738, 2007.

BENEDETTI, Eduardo Jose Bordignon. 'Direito a ter Direitos': a (re)fundação dos Direitos Humanos no pensamento de Hannah Arendt. In: Sobre Responsabilidade: Anais do III Congresso Mundial de Filosofia Moral e Política. Pelotas: NEPFil online, 2014. v. 1. p. 121-132.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: Obras escolhidas I. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BUTLER, Judith. SPIVAK, Gayatri. Who Sings the Nation State?. Calcutá: Seagull Books, 2007.

_________; Performativity, Precarity and Sexual Politics. AIBR. Revista de Antropología Iberoamericana. v.4, n. 3, p. i – xiii. IV, 2009.

_________; Notes Toward A Performative Theory of Assembly. Harvard University Press. 2015.

KANT, Immanuel. A Paz Perpétua e outros Opúsculos, Lisboa: Edições 70, 1990.

LAFER, Celso. A reconstrução dos direitos humanos: a contribuição de Hannah Arendt. Estudos Avançados. São Paulo, vol. 11, n. 30, p.55-65, 1997.

SCHIO, Sônia Maria. Hannah Arendt: história e liberdade: da ação a reflexão. Porto Alegre: Clarinete, 2012.

REZEK, José Francisco. Direito internacional público: curso elementar. São Paulo: Saraiva, 2000.

Downloads

Publicado

31/12/2016

Como Citar

Bordignon Benedetti, E. J., & Schio, S. M. (2016). Os caminhos da Ação Política: o pensamento de Arendt e Butler, a partir de dois “recortes” da atualidade. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 2(4), 408–418. https://doi.org/10.23899/relacult.v2i4.298

Edição

Seção

Dossiê - Cultura, Fronteira e Relações Internacionais