Os jovens e as relações com o saber: elementos para construção de uma pesquisa

Autores

  • Lucas Martinez UFSM
  • Sueli Salva UFSM

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v2i4.258

Palavras-chave:

Distorção idade-série, Escolarização, Jovens, Relação com o saber, Situações de fracasso escolar.

Resumo

Este trabalho busca aprofundar alguns aspectos  teóricos de uma pesquisa de mestrado intitulada Os jovens no ensino fundamental e a relação com o saber: um estudo de caso no município de Santa Maria/RS. A pesquisa tem por objetivo refletir sobre o processo de escolarização de jovens com mais de 15 anos de idade que ainda se encontram no Ensino Fundamental visando compreender como os jovens se relacionam com o saber. A distorção idade-série, a produção das situações de fracasso escolar, os índices de avaliação nacional, todos estes corroboram para a evidência deste tema. Compreender quem são os jovens, quais as relações que eles estabelecem entre o saber escolar e em até que ponto a escola privilegia a construção dessa relação, quais as culturas que permeiam a escola e de que forma podemos nos aproximar deles para superar as dificuldades no trajeto escolar e conduzir o processo formativo ultrapassando a distorção idade-série torna-se o eixo central de nossa reflexão.

Biografia do Autor

Lucas Martinez, UFSM

Pedagogo pela Universidade Federal do Pampa. Mestrando em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria.

Sueli Salva, UFSM

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Caderno de reflexões: jovens de 15 a 17 anos no Ensino Fundamental. Brasília: Via Comunicação, 2011.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE). Planejando a Próxima Década: Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Brasília: MEC, SASE, 2014. Disponível em: <http://pne.mec.gov.br/images/pdf/pne_conhecendo_20_metas.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2015

CAMACHO, Luiza Mitiko Yshiguro. A invisibilidade da juventude na vida escolar. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 22, n. 02, p. 325-343, jul./dez. 2004

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: Elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000

______.Os jovens e o saber: Perspectivas mundiais. Porto Alegre: Editora Artmed, 2001

______. Relação com a escola e o saber nos bairros populares. Revista Perspectiva, v.20, n. Especial, Jul/Dez 2002

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação. n.24, p.40-52, set/dez, 2003

______.; NOGUEIRA, Paulo Henrique de Queiroz.; MIRANDA, Shirley de Aparecida.; Uma introdução: juventude ou juventudes? In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Caderno de reflexões: jovens de 15 a 17 anos no Ensino Fundamental. Brasília: Via Comunicação, 2011.

ESTRÁZULAS, Mônica Batista Pereira et al., Projeto Trajetórias Criativas: Uma proposta metodológica para o atendimento de jovens de 15 a 17 anos no ensino fundamental. In: 31º SEURS – Seminário de Extensão Universitária da Região Sul, 2013, Florianópolis. Anais do 31º SEURS – Seminário de Extensão Universitária da Região Sul, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/117316>. Acesso em : 4 nov. 2015

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 16a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

______. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da ação. In: BRANDÃO, C. R (org). Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 2006

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 53ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016

MATOS, Manuel. Jovens, alunos, ensino secundário: um mundo crescente de contradições. Revista Educação, Sociedade & Culturas. n.27, 2008. Revista do Cento de Investigação e Intervenção Educativa. Porto: Edições Afrontamento, 2008.

MELUCCI, Alberto. Juventude, Tempo e Movimentos Sociais. Revista Brasileira de Educação. n.5 e n.6, p.5-14, mai/ago. – set/dez, 1997

SALVA, Sueli. Narrativas da Vivência Juvenil Feminina: histórias e poéticas produzidas por jovens de periferia urbana de Porto Alegre. Porto Alegre, 2009, 329F. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

TOMAZETTI, Elizete et al. (Orgs.). Os sentidos do Ensino Médio: Olhares juvenis sobre a escola contemporânea. 2. ed. rev. ampl. São Leopoldo: Oikos, 2014.

UNICEF. Situação da Adolescência no Brasil. O direito de ser adolescente: Oportunidade para reduzir vulnerabilidade e superar desigualdades. Brasília, DF: UNICEF, 2011.

Downloads

Publicado

31/12/2016

Como Citar

Martinez, L., & Salva, S. (2016). Os jovens e as relações com o saber: elementos para construção de uma pesquisa. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 2(4), 99–106. https://doi.org/10.23899/relacult.v2i4.258

Edição

Seção

Dossiê - Formação Acadêmica, Educação e Sociedade