O samba junino e a diversidade de gênero numa manifestação fortemente masculinizada

Autores

  • Gustavo de Melo Universidade Federal da Bahia - UFBA

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v2i4.245

Palavras-chave:

Cultura afro-brasileira, etnomusicologia, gênero, samba de roda

Resumo

Este artigo é parte de uma pesquisa em andamento que tem como tema central a construção musical do samba junino, apresenta um pequeno esboço histórico e relata os resultados iniciais do trabalho de campo iniciado em 2015, observando, sobretudo, a participação de pessoas do sexo masculino no papel de rainhas do samba. 

Biografia do Autor

Gustavo de Melo, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Atua principalmente nos seguintes temas: música, religiosidade e etnomusicologia. Graduado em Composição e Regência pela Universidade Federal da Bahia - UFBa, ao longo de sua carreira vem adquirindo conhecimento sobre música popular brasileira, especialmente as de raízes nordestinas como: samba-de-roda, xote, baião e músicas afro-religiosas, etc. Entrou no curso de composição e regência na Escola de Música da UFBA em 2002, onde fez pesquisa através do PIBIC/CNPQ sobre músicas do universo afro-religioso de Salvador. Foi diretor, compositor e arranjador no projeto Bahiamérica com a gravação de vídeo documentário. Como professor de violão pelo Espaço Cultural Pierre Verger, coordenou um grupo de estudo sobre o chorinho e um grupo de música experimental. Foi monitor do curso de extensão da UFBa ensinando teoria musical. Trabalhou como voluntário no projeto “Domingos Queiroz do Nascimento” no Terreiro Ilê axé Iji ati oyá onde ministrou aulas para crianças da comunidade do Eng.Velho de Brotas. Lançou em julho de 2013 o CD Gustavo de Melo e o Tambor de Corda que traz influências da música afro-religiosa trazendo para o violão os toques dos tambores. Entrou para o curso de licenciatura na UFBa como portador de diploma em 2012 defendendo o TCC em 2015. Atuou como bolsista PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) em 2013 no colégio Estadual Álvaro Silva no IAPI. Atualmente é aluno do curso de Mestrado em Etnomusicologia na UFBa em pequisa cujo tema é "O samba duro: O Samba Junino e o São João de Salvador" buscando compreender a construção musical nessa manifestação.

Referências

DÖRING, K. Cantador de Chula: O samba antigo do Recôncavo. 1. ed. Salvador, BA: Pinaúna, 2016. 256 p.

GOMES, R. C. S. A Casa do Samba, o Samba da Rua: relações de gênero, arte e tradição no samba carioca. In: NOGUEIRA, I. P.; FONSECA, S. C. (Org.). Estudo de Gênero, corpo e música: abordagens metodológicas. Goiânia, Porto Alegre: ANPPOM, 2013, p. 354 – 379. Série pesquisa em música no Brasil, v. 3.

LIMA, A. Uma crítica cultural sobre o pagode baiano: música que se ouve, se dança e se observa. 1. ed. Salvador, BA: Pinaúna, 2016. 128 p.

MERRIAN, A. P. THE ANTHROPOLOGY OF MUSIC. 1. ed. Evanston, Illinois: Northwestern University Press, 1980. 358 p.

SANDRONI, C. (Coord.). Samba de Roda do Recôncavo Baiano. Brasília: IPHAN, 2016.

SEEGER, A. Ethnography of Music. In:____ Ethnomusicology: an introdution. 1. ed. New York, London: W.W. Norton & Company, 1992. cap. IV, p. 88 - 109.

Downloads

Publicado

31/12/2016

Como Citar

de Melo, G. (2016). O samba junino e a diversidade de gênero numa manifestação fortemente masculinizada. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 2(4), 310–317. https://doi.org/10.23899/relacult.v2i4.245

Edição

Seção

Dossiê - Estudos de Gênero, Feminismo e Sexualidades