Os dreadlocks na mira da modernidade: discriminação e resistência. Olhar crítico a partir das teorias pós-coloniais e decoloniais

Autores

  • Emmanuel Samuel Universidade Federal da Integração Latino-americana

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i2.1931

Palavras-chave:

Haiti-dreadlocks-discriminação-modernidade-categorias marginalizadas

Resumo

Este artigo propõe uma análise do preconceito aos dreadlocks no Haiti. Procuramos entender essa manifestação através das teorias pós-coloniais e decoloniais como arcabouços teóricos. Como métodos teóricos, permitem entender a forma em que a modernidade se operacionaliza exercendo um controle sobre os cortes de cabelo e esse controle se faz por meio da discriminação. A discriminação, neste caso, é uma forma de mostrar a hierarquização de qual tipo de padrão de cabelo em relação a outro é aceito. Pois, ao ter os dreadlocks revela a resistência a um confinamento da ideia de beleza, a negação e a desterritorialização dos padrões de beleza oficial-tradicional eurocêntrica. Tal padrão universal de beleza sugere, portanto, como o cabelo tem que ser. Neste cenário, é preciso analisar a operacionalização da modernidade que reivindica ser universalista.

Downloads

Publicado

19/12/2021

Como Citar

Samuel, E. (2021). Os dreadlocks na mira da modernidade: discriminação e resistência. Olhar crítico a partir das teorias pós-coloniais e decoloniais. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i2.1931

Edição

Seção

Dossiê: - Minorías, trabajo y políticas culturales en América Latina