Considerações Sobre o Conceito de Ambiente e os Desafios Tecnológicos para Reflexões em Educação Ambiental

Autores

  • Samuel Lopes Pinheiro Doutorando em Educação Ambiental pelo PPGEA/ FURG

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i3.1922

Palavras-chave:

Ambiente, Desafios Tecnológicos, Educação Ambiental, Interdisciplinaridade

Resumo

O trabalho a seguir trata de uma reflexão a partir do encontro de horizontes, o da Educação Ambiental e o de se pensar os desafios das sociedades tecnológicas. Para isso, parte da pergunta sobre quais os diferentes entendimentos de ambiente, para o tratamento do conceito de “ambiente” em Sociologia Ambiental e se aventura na aproximação com a literatura de Henry Thoreau como forma de contextualizar o surgimento dos significados que ambiente pôde representar ao longo do século XX e após o seu consequente encontro com o ambiente tecnológico do início do século XXI. A partir disso, discute-se sobre discursos tecnológicos, como a questão de uma possível convergência entre tecnologia e ecologia e os seus desafios culturais e educativos. Embora valha-se da literatura e ilustrações do século XIX para refletir sobre o ambiente, não deixa de dissociar-se do tempo presente ao pontuar aspectos de crises civilizatórias da atualidade, ao destacar as injustiças ambientais que muitas vezes são exacerbadas com a aceleração tecnológica.  Os aspectos interdisciplinar e a inspiração da metodologia transdisciplinar, de buscar ir além das próprias disciplinas são fundamentais na constituição desse diálogo de saberes que não pretende se esgotar aqui, mas apenas ser um ponto de partida para outras reflexões.

Biografia do Autor

Samuel Lopes Pinheiro, Doutorando em Educação Ambiental pelo PPGEA/ FURG

Está em andamento com o Doutorado em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG) com período sanduíche em Paris - França através de edital PDSE- CAPES. Possui Mestrado em Educação Ambiental pela FURG (2017), Licenciatura em Letras Português/Inglês (2013) e Bacharelado em Administração (2008). Atua principalmente na área de Educação, com experiência em lecionar no Ensino Fundamental. Experiência como professor de Yoga - com Formação pela organização International Sivananda Yoga Vedanta Centre ( 2011 no Brasil e 2013 na Índia). Possui experiência em Agroeocologia, Biodinâmica, comercialização de produtos agroecológicos através da vivência e estágio no Sítio Talismã (2009-2011). Possui experiência em tradução através do NUTRA (FURG). Atualmente está em andamento com Graduação de Licenciatura em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) . É membro do Grupo de Estudo e Pesquisa da Complexidade (GEC) e membro ativo do Centre International de Recherches et études transdisciplinaires (CIRET) e pesquisador visitante do laboratório Connaisance, Organization et Systèmes Techiniques (COSTECH). Desenvolve pesquisa nos Fundamentos da Educação Ambiental

Referências

ACSELRAD, Henri. O que é justiça ambiental. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

ADAMS, Telmo; STRECK, Danilo. Educação popular e novas tecnologias. Revista Educação, Porto Alegre, v 33, n.2, p 119-127, 2010.

BACHIMONT, Bruno. Le nominalisme et la culture: questions posées par lês enjeux du numérique. In: STIEGLER, Bernard (org.). Digital studies: organealogie des savoirs et technologies de la conaissance. FYP éditions France, 2014.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura Carvalho. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Porto Alegre: L&PM,2015.

HANNIGAN, John. Sociologia Ambiental. Petrópolis: Editora Vozes, 2009.

LOUREIRO, Carlos. Trajetórias e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2009.

MORIN, Edgar. Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Porto Alegre: Sulina, 2015.

MORIN, Edgar. O método 1: a natureza da natureza. Porto Alegre: Sulina, 2016.

MORIN, Edgar. Entrevista feita por Simon Blin. Jornal francês Libération em 27 de março de 2020. Original disponível em: https://www.liberation.fr/debats/2020/03/27/edgar-morin-ressentir-plus-que-jamais-la-communaute-de-destins-de-toute-l-humanite_1783400 . Tradução para a língua portuguesa feita por Samuel Lopes Pinheiro e veiculada no site OBSERVARE: https://observatorioea.blogspot.com/2020/03/morin-sentir-mais-do-que-nunca.html

NICOLESCU, Basarab. Transdisciplinaridade: um esperança para a humanidade. In: DRAVET, Florence; PASQUIER, Florent; COLLADO, Javier; CASTRO, Gustavo (Orgs.).Transdisciplinaridade e educação do futuro. Brasília: Universidade Católica de Brasília, 2019.

THOREAU, Henry. Walden. Porto Alegre: L&PM, 2018.

THOREAU, Henry. La désobéissance civile. Barcelona: Le mot et le reste, 2018.

Downloads

Publicado

07/01/2021

Como Citar

Lopes Pinheiro, S. (2021). Considerações Sobre o Conceito de Ambiente e os Desafios Tecnológicos para Reflexões em Educação Ambiental. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i3.1922

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo