Interlocuções entre cultura física, discursos de saúde e relações de poder-saber na institucionalização do corpo saudável

Autores

  • João Paulo Marques Universidade Estadual de Maringá
  • Pedro Navarro Universidade Estadual de Maringá
  • Larissa Lara Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i2.1873

Palavras-chave:

corpo saudável, cultura física, institucionalização corporal, poder-saber

Resumo

Esse artigo objetiva analisar o envolvimento discursivo do corpo saudável com manifestações estruturais do poder disciplinar de instituições médicas de saúde. As análises propostas, orientadas por teorias foucaultianas e pelos estudos culturais físicos, atentam para questões concernentes à subjetivação, à institucionalização e à codificação discursiva dos corpos. Tecemos apontamentos acerca das transformações da concepção de saúde do corpo nas sociedades ocidentais, de como operam a produção de uma subjetividade do corpo saudável e de como tal subjetividade se articula a projetos neoliberais de individualização da responsabilidade pela saúde e de medicalização dos fenômenos sociais. Ainda, levantamos algumas inquietações a respeito das relações de poder-saber que instituem essa subjetividade como produto e capital na rede de relações da indústria da saúde.

Biografia do Autor

João Paulo Marques, Universidade Estadual de Maringá

Bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (2019). Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/DEF/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/PLE/UEM/CNPq). Desenvolve pesquisas voltadas à abordagem dos corpos e das subjetividades sob direcionamentos dos estudos discursivos da linguagem e Physycal Cultural Studies. Orienta-se pela linha de Estudos Socioculturais em Educação Física, com interesses temáticos envolvendo corpo, subjetividade, discurso, cultura, cultura física e saúde.

Pedro Navarro, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (1991), especialização em Línguistica Aplicada, por essa mesma instituição (1995), mestrado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Assis, SP (1998), doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, SP (2004) e pós-doutorado em Estudos da Linguagem, pela Unicamp, Campinas, SP (2011) . Atualmente, é professor associado - nível C da Universidade Estadual de Maringá e pesquisador PQ -2, do CNPq. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Análise do Discurso de linha foucaultiana. É coordenador do GT - Estudos discursivos foucaultianos, na Anpoll, e líder do GEF - Grupo de estudos foucaultianos da UEM. Atua no Programa de pós-graduação em Letras, da UEM, orientando pesquisas sobre discurso, sujeito e poder, a partir de temas como sexualidade, velhice e identidades, incluindo as de gêneros, em textos e em imagens que circulam em jornais impressos e eletrônicos, em mídias televisivas, nas redes sociais e em discursos fílmicos.

Larissa Lara, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2004) e mestre em Educação Física pela mesma instituição (1999). Realizou o Estágio Sênior Pós-doutoral na Universidade de Bath, Reino Unido (Bolsista CAPES/Programas Estratégicos-DRI). É professora Associada no Departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá, docente no Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM-UEL e no Mestrado Profissional em Educação Física em Rede Nacional (PROEF). Coordenou o PEF-UEM-UEL no período de 2009 a 2011. Foi Coordenadora Adjunta do Colegiado do Curso de Educação Física da UEM (2006 a 2008), bolsista Produtividade em Pesquisa pela Fundação Araucária-PR (2011-2016), membro do Conselho Editorial da Eduem (2008 a 2019) e Chefe-Adjunta do Departamento de Educação Física da UEM (2018-2019). É líder do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (DEF/UEM/CNPq) e tutora do Grupo PET-Educação Física. É revisora de periódicos nacionais e Editora Associada do Journal Frontiers in Sports and Active Living (Physical Education and Pedagogy). Assumiu, em 2017, a função de Diretora Científica do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE) e, em 2019, o cargo de Editora chefe da Eduem (Editora da Universidade Estadual de Maringá). Suas investigações focam os estudos socioculturais e pedagógicos em Educação Física por meio da tematização de práticas corporais em interlocução com as ciências humanas e sociais, cujos enfoques são: corpo, cultura física, Physical Cultural Studies, cultura popular, políticas públicas de esporte e lazer e produção de conhecimento em educação física.

Referências

AMORIM, A. K. M. A. et al. Práticas corporais e desinstitucionalização em saúde mental: desafios e possibilidades. Estudos de Psicologia, v. 22, n. 1, p. 39-49, jan./mar. 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-294X2017000100005. Acesso em: 22 mai. 2020.

BATISTELLA, C. E. C. Abordagens contemporâneas do conceito de saúde. In: O Território e o Processo Saúde-Doença. Rio de Janeiro: Arca Fiocruz, 2007. p. 51-86.

CHAUÍ, M. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2008. 119 p.

CORBIN, A.; COURTINE, J. J.; VIGARELLO, G. (Orgs.). História do corpo: as mutações do olhar no século XX. Petrópolis: Vozes, 2011, 1792 p.

CRAWFORD, R. Health as a meaningful social practice. Health, v. 10, n. 4, p. 401-420, mai. 2006. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1363459306067310. Acesso em: 21 mai. 2020.

CSORDAS, T. J. Embodiment and experience: the existential ground of culture and self. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

DANTAS, E. R. A produção biopolítica do corpo saudável: mídia e subjetividade na cultura do excesso e da moderação. 2007. 211 F. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. 2007.

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU, 2005. 159 p.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 13 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2006a.

FOUCAULT, M. “Poder e saber/ Poderes e estratégias/ Diálogo sobre o poder”. Ditos & Escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006b, p. 223-266.

FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1878-1979). Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2012.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes. 2014.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: a vontade de saber. São Paulo: Paz & Terra, 2015.

FRANCOMBE-WEBB, J.; RICH, E.; DEPIAN, L. I move like you... but different: biopolitics and embodied methodologies. Cultural Studies - Critical Methodologies, v. 14, n. 5, p. 471–482, 2014.

FRANCOMBE-WEBB, J.; SILK, M. Young girls’ embodied experiences of femininity and social class. Sociology, v. 50, n. 6, p. 652–672, 2016.

FULLAGAR, S. A physical cultural studies perspective on physical (in) activity and health inequalities: the biopolitics of body practices and embodied movement. Tempos e Espaços em Educação., v. 12, n. 28, p. 63-76, jan. 2019. DOI: 10.20952. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/10161. Acesso em: 21 mai. 2020.

GARD, M. Fat bodies. In: SILK, M.; ANDREWS D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. p. 228-236.

GIARDINA, M.; NEWMAN, J. What is this ‘physical’ in physical cultural studies?. Sociology of Sport Journal, v. 28, n. 1, p. 36-63, 2011. DOI: 10.1123/ssj.28.1.36. Disponível em: https://journals.humankinetics.com/view/journals/ssj/28/1/article-p36.xml?tab_body=contributorNotes-6615. Acesso em: 21 mai. 2020.

HOWE, D. (Dis)abled bodies. In: SILK, M.; ANDREWS D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. p. 159-166.

LARA, L. M. Corpo, sentido ético-estético e cultura popular. Maringá: Eduem, 2011. 247 p.

LARA, L. M.; RICH, E. Os estudos de cultura física na Universidade de Bath - Reino Unido: dimensões de uma abordagem muito além da fisicalidade. Movimento, v. 23, n. 4, p. 1311-1324, out. 2017. Disponível em https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/74326. Acesso em: 21 mai. 2020.

LARA, L. M. Pesquisa e ensino em corpo, cultura e ludicidade em tempos de adversidades. In: LARA, L. M.; LOPES, B.R.; SOUZA, V.F.M. (Orgs.). Simpósio estudos culturais na educação física: 15 anos de pesquisa em corpo, cultura e ludicidade, 1., 2019, Maringá. Anais [...]. Maringá: GPCCL, 2019.

LARA, L. M.; LOPES, B.R.; SOUZA, V.F.M. (Orgs.). Simpósio estudos culturais na educação física: 15 anos de pesquisa em corpo, cultura e ludicidade, 1., 2019, Maringá. Anais [...]. Maringá: GPCCL, 2019.

MARQUES, J. P. Experiências do corpo nos estudos culturais e saberes formativos na educação física: subjetivação, institucionalização, saúde e disciplina. In: LARA, L. M.; LOPES, B.R.; SOUZA, V.F.M. (Orgs.). Simpósio estudos culturais na educação física: 15 anos de pesquisa em corpo, cultura e ludicidade, 1., 2019, Maringá. Anais [...] Maringá: GPCCL, 2019b.

MARQUES, J. P.; MIRANDA, A. C. M.; LARA, L. M. Corpos subjetivados e institucionalizados: um estudo da cultura física na obra Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. In: 28º Encontro Anual de Iniciação Científica, 2019, Maringá. Anais [....] Maringá, 2019.

MILLER, T. Spectacular and eroticized bodies. In: SILK, M.; ANDREWS D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. p. 257-264.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Saúde e Direitos Humanos. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, Grupo Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman, 2011.

MOULIN, A. M. O corpo diante da medicina. In: CORBIN, A.; COURTINE, J.J.; VIGARELLO, G. (Orgs.). História do corpo: as mutações do olhar no século XX. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 16-62.

PARKER, A.; WATSON, N. Spiritualized and religious bodies. In: SILK, M.; ANDREWS D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. p. 209-217.

PRADO, J. L. A. As narrativas do corpo saudável na era da Grande Saúde. Contemporânea, v. 5, n. 1, p. 1-26, dez. 2007, DOI: 10.9771/1809-9386. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/3505. Acesso em: 21 mai. 2020.

ROWE, D. Mediated bodies and commodified bodies. In: SILK, M.; ANDREWS D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. p. 237-245.

SAFAI, P. Medicalized and scientized bodies. In: SILK, M.; ANDREWS D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. p. 191-199.

SANTOS, M. A. et al. Corpo, saúde e sociedade de consumo: a construção social do corpo saudável. Saúde e Sociedade, v. 28, p. 239-252, 2019. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sausoc/2019.v28n3/239-252/. Acesso em: 30 jun. 2020.

SILK, M.; ANDREWS, D.; THORPE, H. (Orgs.). Routledge Handbook of Physical Cultural Studies. London and New York: Routledge International Handbooks, 2017. 610 p.

VIEIRA, A. P. Dança, educação e contemporaneidade: dilemas e desafios sobre o que ensinar e o que aprender. In: LARA, L. M. (Org.). Dança: dilemas e desafios na contemporaneidade. Maringá: Eduem, 2013. p. 155-184.

Downloads

Publicado

07/10/2020

Como Citar

Marques, J. P., Navarro, P., & Lara, L. (2020). Interlocuções entre cultura física, discursos de saúde e relações de poder-saber na institucionalização do corpo saudável. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i2.1873

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo