O MURO NO DISCURSO JORNALÍSTICO: EM QUESTÃO DA ANÁLISE DE DISCURSO

Autores

  • Renata Carneiro Lemes Universidade de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i2.1814

Palavras-chave:

Discurso, Sentido, Revistas Jornalísticas, Muros

Resumo

A partir da teoria da análise de discurso, este artigo, procura analisar sequencias discursivas de revistas jornalísticas “Veja” que tematizam sobre os muros, com o intuito de compreender o modo como dão visibilidade ao sentido de muro na sua relação com o sujeito. Uma vez que os sentidos em relação aos sujeitos se constituem simultaneamente, e a língua para significar inscreve na história. No percurso deste artigo, as leituras, imersão teórica possibilita compreender o muro no discurso jornalístico veiculado pela revista “Veja” é atravessado por distintas posições ideológicas que o significa distintamente, uma vez que o sentido de “muro” não se prende ao pré-estabelecido, da literalidade à palavra, varia conforme as distintas posições sujeito que constituem as condições de produção.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Renata Carneiro Lemes, Universidade de Mato Grosso

Doutoranda em Linguística

Referências

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

LAGAZI, Suzi. O desafio de dizer não. Campinas, SP: Pontes, 1988.

MARIANI, Bethania. O PCB e a imprensa: as conquistas no imaginário dos jornais 1922- 1989. Campinas, SP. Ed. Da Unicamp, RJ, Ed. Revan, 1998.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes,1999.

ORLANDI, Eni P. Paráfrase e Polissemia. A fluidez nos Limites do Simbólico. Revista do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade da UNICAMP, Campinas, nº. 4, mar. 1998.

ORLANDI, Eni P. Sentidos em fuga: Efeito da polissemia e do silêncio. In: Sujeito, Sociedade, Sentidos. Campinas, Editora RG, 2012.

PÊCHEUX, Michel. (1975). Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio.Tradução de Eni P. Orlandi [et al.]. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.

PÊCHEUX, Michel. Papel da memória. In: ACHARD, P. et al. Papel da memória. Tradução José horta Nunes. Campinas: Pontes, 2010.

PÊCHEUX, Michel. O discurso: Estrutura ou Acontecimento? 2. ed. Trad. Eni Pulcinelli Orlandi.Campinas, São Paulo: Pontes, 2012.

ROBIM, Régine. A memória Saturada. Campinas SP: Editora da Unicamp, 2016.

SOUZA, Tânia C. C. de. “A análise do não verbal e os usos da imagem nos meios de comunicação”. In: Revista do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade da Unicamp, n º 7 março 2001.

WATKINS, Nathalia. VEJA. Folha de São Paulo, São Paulo, 2 setemb. 2015. p. 68.

Downloads

Publicado

23/11/2020

Como Citar

Carneiro Lemes, R. (2020). O MURO NO DISCURSO JORNALÍSTICO: EM QUESTÃO DA ANÁLISE DE DISCURSO. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i2.1814

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo