PATRIMONIALIZAÇÃO DOS ESPAÇOS RELIGIOSOS AFRO-BRASILEIROS: discussões a partir das teorias da sociedade e da cultura

Autores

  • Walkyria Chagas da Silva Santos UFSB/UnB

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i6.1805

Resumo

O presente texto visa apresentar discussões que entrelaçam o tema patrimonialização dos espaços religiosos afro-brasileiros no Estado da Bahia e teorias da sociedade e da cultura. O autor selecionado como central para elaboração do diálogo é Stuart Hall. Stuart, que no livro “Da diáspora: identidades e mediações culturais” apresenta discussões que são interessantes para abordagem da temática, tais como tradição, diáspora e identidade. Para situar o debate, vale informar que, as políticas culturais são iniciadas no Brasil na década de 30 do século XX, e apenas em 1986 é tombado definitivamente o primeiro monumento negro, o Ilê Axé Iyá Nassô Oká. A intenção não é abordar todas as discussões e todos os conceitos trazidos pelo autor, mas sim utilizá-los como ponto de partida para pensar a diáspora e sua relação com os espaços religiosos afro-brasileiros, a relação que se estabelece entre o órgão estatal responsável pela patrimonialização de bens culturais e o povo de santo, e o jogo de poder que se estabelece nessa relação.

Downloads

Publicado

30/04/2021 — Atualizado em 30/04/2021

Como Citar

Santos, W. C. da S. (2021). PATRIMONIALIZAÇÃO DOS ESPAÇOS RELIGIOSOS AFRO-BRASILEIROS: discussões a partir das teorias da sociedade e da cultura. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(6). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i6.1805

Edição

Seção

I - Congresso Internacional Online de Estudos sobre Culturas