Um olhar sobre o patrimônio industrial da cidade: memórias dos ferramenteiros de Joinville-SC

Autores

  • Christiane Heloisa Kalb Departamento de Direito - CESUSC - Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina -
  • Mariluci Neis Carelli Departamento Mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade, Univille - Campi Joinville

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i3.1786

Palavras-chave:

Ferramentarias, Indústrias, História Oral, Memórias, Patrimônio Industrial.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o processo de formação do patrimônio industrial a partir das memórias dos ferramenteiros que iniciaram as primeiras ferramentarias para moldes plásticos em Joinville. Nesta região catarinense existem fábricas que no início do século XIX se estabeleceram na cidade. O patrimônio industrial existente está incorporado de várias formas, principalmente, composto do setor metalmecânico, plástico e indústria têxtil. Estas indústrias são a figura substancial na formação sócio-cultural-econômica da cidade, como um centro de indústria na região. A primeira ferramentaria, propriamente dita, surgiu durante a década de 1980, por causa da proibição, pelo governo brasileiro, da importação de máquinas estrangeiras. Esta decisão do Estado refletiu dentro de grandes empresas, excluindo do processo de produção as ferramentarias. Os profissionais demitidos destas empresas, foram encorajados a abrir seus próprios negócios, ocorrendo então, a terceirização desses serviços de ferramentarias. A metodologia aplicada nesta pesquisa foi a história oral, através de realização de entrevistas semiestruturadas e houve pesquisa documental e bibliográfica.

Biografia do Autor

Christiane Heloisa Kalb, Departamento de Direito - CESUSC - Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina -

Professora Doutora - Departamento de Direito - CESUSC - Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina - SC-401, n. 9301 - Santo Antonio de Lisboa, Florianópolis - SC, 88050-001, Brasil. Doutora em Ciências Humanas, PPGICH, UFSC, Florianópolis-SC. Mestre em Patrimônio Cultural e Sociedade, Univille, Joinville-SC. Advogada atuante em SC.Bacharel em Direito, Univille, Joinville.

Mariluci Neis Carelli, Departamento Mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade, Univille - Campi Joinville

Graduada em Serviço Social (1985), mestre em Sociologia Política (1992) e Doutora em Engenharia da Produção (2004), todos pela Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência em gestão universitária, foi Pró-Reitora de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, coordenadora de pesquisa e coordenadora de extensão na Universidade da Região de Joinville. Nesta Universidade é docente desde 1989, atualmente, é professora titular nos cursos graduação e do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural e Sociedade, realiza estudos na área de cultura e sustentabilidade, atuando principalmente nos seguintes temas: patrimônio ambiental cultural e paisagens culturais.

Referências

ALVES, Jorge Fernandes. Patrimônio industrial, educação e investigação: a propósito da rota do patrimônio industrial do Vale do Ave. Revista da Faculdade de Letras/História, Porto/Portugal, v. 5, s. 3, pp. 251-256, 2004.

BAKKAR, Muhamad. A indústria eletrometal-mecânica da região de Joinville: do aglomerado industrial ao arranjo produtivo local. 105 f. Dissertação (Mestrado em economia). Curitiba: UFPR – Universidade Federal do Paraná, 2009.

CAMPAGNOL, Gabriela. Usinas de açúcar: habitação e patrimônio industrial, 531 f. tese (Doutorado em arquitetura e urbanismo). São Carlos/SP: FAUUSP, 2008.

CANDAU, Joël. Memória e identidade. (trad) Maria Leticia Ferreira. São Paulo: Contexto, 2011.

CARVALHO, Claudia S. Rodrigues, et al. Um olhar contemporâneo sobre a preservação do patrimônio cultural material. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2008.

CHOAY, Françoise. Alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação liberdade UNESP, 2001.

COELHO, Ilanil. Pelas tramas de uma cidade migrante. Joinville: Editora da Univille, 2011.

CORREIA, Telma de Barros; Gunn, Philip. A industrialização brasileira e a dimensão geográfica dos estabelecimentos industriais. São Paulo: USP, 20??.

FICKER, Carlos. História de Joinville: subsídios para a crônica da colônia Dona Francisca. 2 ed. Joinville: Letra dágua, 2008.

FIESC 50 anos. Uma história voltada para a industrialização catarinense. Florianópolis: Expressão, 2000.

KUHL, Beatriz Mugayar. Algumas questões relativas ao patrimônio industrial e à sua preservação. Revista eletrônica do Iphan. São Paulo, 2006.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Arqueologia industrial: avaliação e perspectiva. In Memoriam. São Paulo, 1983. p. 221-230.

O PRIMEIRO portal do setor metal mecânico. Disponível em: Acess: jul 2012, 2011.

ROCHA, Isa de Oliveira. Industrialização de Joinville-SC: da gênese às exportações. Florianópolis: [s.n], 1997.

SACCHELLI, Carlos M. Registro do desenvolvimento das ferramentarias de Joinville. (multimídia vídeo) Entrevistas Transcritas. Joinville: ed. Eugênio Siqueira, 2009.

TERNES, Apolinário. Joinville: a construção da cidade. Joinville: Seigraph-Bartira, 1993.

Downloads

Publicado

06/01/2021

Como Citar

Kalb, C. H., & Carelli, M. N. (2021). Um olhar sobre o patrimônio industrial da cidade: memórias dos ferramenteiros de Joinville-SC. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i3.1786

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.