Escritos do Visconde de Ouro Preto e outros Autores sobre o Golpe Republicano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i3.1783

Palavras-chave:

República, Federalismo, Golpe, Visconde de Ouro Preto.

Resumo

Afonso Celso de Assis Figueiredo, Visconde de Ouro Preto, foi o ultimo Presidente do Gabinete Ministerial (ou Primeiro-ministro) do Império do Brasil. Após a Proclamação da República, no exílio, escreveu um folhetim intitulado Advento da ditadura militar no Brasil, no qual oferece sua versão sobre o que chamou de “sublevação militar que derrubou a monarquia brasileira”. Baseado no texto de Ouro Preto e em outros autores que relatam os eventos que deram origem a República, o artigo pretende sustentar que a verdadeira causa que esteia o do movimento republicano não é a republica em si, mas a descentralização do poder e o estabelecimento de um pacto federativo no país. O texto defende também, que os eventos que geraram o estabelecimento da república, em certo sentido, se deram de forma precipitada, sem comando e, principalmente, sem envolvimento popular, caracterizando-se como um golpe, sendo que o relato do Visconde de Ouro Preto, a despeito de contra-argumentos que lhe possam ser apresentados, é o fio condutor da argumentação que o artigo apresenta.

Biografia do Autor

Ronaldo Raemy Rangel, Fundação Getulio Vargas (IDE)

Economista, mestre pela PUCCamp e doutor em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp. Professor de pós-graduação e coordenador na Fundação Getulio Vargas.

Gabriel Dolabela Raemy Rangel, Universidade Candido Mendes

Advogado, mestre em Direito pela UGF e doutorando em Sociologia e Direito na UFF. Professor na Universidade Candido Mendes - Ucam

Referências

ABREU M. P; LAGO, L. A economia brasileira no Império, 1822-1889. Textos para Discussão, PUC-RJ, n. 584. 2001.

AMORIM, R. O futuro da economia brasileira. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=K4_wMcaoutI>. Acesso em: 17 jan. 2020.

ARRETCHE, M. Federalismo e democracia no Brasil: a visão da ciência política norte-americana. São Paulo em Perspectiva, v. 15. n 4. Ouc /Dec. 2001. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/spp/v15n4/10369.pdf?origin=publication_detail> Acesso em 28 jan. 2020.

BONAVIDES, P. Política e Constituição: os caminhos da democracia. Rio de Janeiro: Forense, 1985

BRASIL. IPEA. História − Império de crises. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=2572:catid=28&Itemid=23>. Acesso em: 17 mai. 2019.

BUARQUE DE HOLANDA, S. História geral da civilização brasileira: Do Império à República. Tomo II. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 1992. v. 7.

CARONE, E. A evolução industrial de São Paulo (1889-1930). São Paulo: Editora SENAC, 2001.

Cartas de D. Pedro II à Princesa Imperial. Disponível em: <https://idisabel.files.wordpress.com/2011/06/cartas-de-pedro-ii-a-princesa-imperial.pdf>. Aceso em 16 fev. 2020.

CARVALHO, J. M. Os bestializados, o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

FERNANDES, F. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.

______. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Dominus Editora e Editora da USP, 1965. v. 1.

FREYRE, G. Sobrados e mucambos. Rio de Janeiro: Record, 1990.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 2003.

GAMBI, T. O debate político e o pensamento econômico no Império brasileiro: centralização de poder e monopólio de emissão no segundo Banco do Brasil (1852-1853). Almanack, n.09, abril de 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/alm/n9/2236-4633-alm-9-00176.pdf> Acesso em 12 jan. 2020.

Manifesto do Partido Republicano. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4360902/mod_resource/content/2/manifesto%20republicano%201870.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2020.

MELLO. E. C. Um imenso Portugal − História e historiografia. Rio de Janeiro: Editora 34, 2002.

MOGGRIDGE, D. E. Problems in the History of the international economy since 1870: The gold standard. Textos para Discussão, PUC-RJ, n. 160, abr. 1987.

NOVAIS, F. Caio Prado Jr. na historiografia brasileira. In: NOVAIS, F. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777- 1808). São Paulo: Hucitec, 1979.

______. O Brasil nos quadros do antigo sistema colonial. In: MOTA, C (Org). Brasil em perspectiva. São Paulo: Difusão Editorial. 1977.

OURO PRETO. Advento da ditadura militar no Brasil. Edições do Senado Federal. Vol. 243. Brasília: Conselho Editorial - CEDIT, 2017. v. 243.

PROUDHON, P. J. O princípio federativo. São Paulo: Imaginário, 2001.

RODRIGUES, J.A (Org.). Vilfredo Pareto: Sociologia. São Paulo: Ática, 1984.

SCHWARCZ, L. M. As barbas do Imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SODRÉ, N. W. Síntese de história da educação brasileira. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

VIANA, O. O idealismo na Constituição. In: CARDOSO, V. (Org,). À margem da historia da República. Brasília: Editora Unb, 1981

______. O idealismo na evolução política do Império e da República. São Paulo: Biblioteca O Estado de São Paulo, 1922.

Downloads

Publicado

06/01/2021

Como Citar

Rangel, R. R., & Raemy Rangel, G. D. (2021). Escritos do Visconde de Ouro Preto e outros Autores sobre o Golpe Republicano. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i3.1783

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo