História apagada: Barros, o Mulato, o pintor negro de Pelotas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i4.1763

Palavras-chave:

Cultura, artes, estudos em cultura

Resumo

O presente trabalho apresenta os resultados parciais da pesquisa realizada sobre o pintor pelotense Miguel Barros, na qual se fez uso da pesquisa documental com o objetivo de responder quem foi este pintor. A investigação foi iniciada no ano de 2018, na disciplina de História da Arte do RS do Curso de Conservação e Restauração da UFPel e tem como hipótese de que Barros foi um pintor de importância semelhante à de Leopoldo Gotuzzo. Miguel nasceu em Pelotas em 24 de agosto de 1913 e começou os estudos em artes plásticas nesta cidade, onde fez as primeiras exposições na década de 1930. Neste mesmo período dividiu seu tempo entre as atividades no Jornal "A Alvorada" e as atividades dentro do movimento negro. Também representou a "Frente Negra Pelotense" no 1° Congresso Afro-Brasileiro em Recife, ocasião que realizou a sua primeira exposição fora de Pelotas. Com essa, inaugurou uma série de viagens e exposições pelo Brasil e em alguns países Sul Americanos, nas quais buscava inspiração para suas obras, que eram paisagens e retratos, na maioria, dos diversos locais por onde circulou e das pessoas destes lugares. Mudou-se para São Paulo, na década de 60 fixando residência em Mogi das Cruzes, onde morou até sua morte, aos 97 anos, em 2011. Pintor reconhecido fora da cidade e esquecido em Pelotas. Assim, este artigo apresenta alguns resultados da pesquisa para o levantamento de dados sobre a vida e obra do artista plástico Miguel Barros ou, como escolheu ser chamado, Barros, o Mulato.

Biografia do Autor

Darlene Vilanova Sabany, Universidade Federal de Pelotas

Graduanda do Curso de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da Universidade Federal de Pelotas

Juliana Cavalheiro Rodrighiero, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Memória Social e Patrimônio Cultural; Professora Substituta Assistente; Universidade Federal de Pelotas - UFPel; Pelotas, RS; Brasil

Referências

A EXPOSIÇÃO de Barros, o Mulato. O Malho, Rio de Janeiro, nº 297, p. 28, 09 nov.1939.

ARTE. O Libertador, Pelotas, p.02, 15 de abril.1932.

ARTE: PINTURA. O Libertador, Pelotas, p.02, 23 de abril 1932.

ARTES & Artistas: Exposição Miguel Barros. Diário de Pernambuco, Recife, nº24, p. 14, 30 jan. 1935.

ARTES & Artistas: Exposição pintor Miguel Barros. Diário de Pernambuco, Recife, nº 257, p.10, 20 nov.1934.

ARTES e artistas: exposição de pintura. O Malho, Rio de Janeiro, nº 100, p.32, mai.1948.

BARROS, o Mulato em Juiz de Fora. O Malho, Rio de Janeiro, nº 308, p. 05, 27 abr.1939.

BARROS, o Mulato, em Nictheroy: Retratos de prestigiosas figuras daquela cidade. O Imparcial, Rio de Janeiro, nº 770, p. 14, 26 nov. 1937.

CARVALHO, Rodrigues. Exposição do pintor Miguel Barros. Jornal Pequeno, Recife, nº259, p. 01, 19 nov. 1934.

CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1973. v.1: A a C.

DA PARAHYBA: Exposição Miguel Barros. Diário de Pernambuco, Recife, nº199A, p.02, 24 ago.1935.

DEVEMOS criar a arte brasileira. Correio do Paraná, Curitiba, p. 04, 17 ago. 1941.

EXPOSIÇÃO de Barros, o Mulato. O Malho, Rio de Janeiro, nº 072, p.30, jan.1946.

EXPOSIÇÃO de Barros, o Mulato. O Malho, Rio de Janeiro, nº 315, p. 18, 15 jun.1939.

EXPOSIÇÃO Miguel Barros: Maceió. Diário de Pernambuco, Recife, nº171, p.05,02 jun. 1937.

EXPOSIÇÃO XXI. 1938, Belo Horizonte. Convite, Teatro Municipal. Disponível em: http://objdigital.bn.br/objdigital2/acervo_digital/div_manuscritos/mss1307848/mss1307848.pdf. Acesso em 8 dez. 2018.

EXPOSIÇÃO. O Imparcial, Rio de Janeiro, nº 811, p. 10, 15 jan.1938.

EXPOSIÇÕES de Pintura: Barros, o Mulato. O Malho, Rio de Janeiro, nº 044, p. 44, set.1943.

EXPOSIÇÕES: A exposição de Barros, o Mulato, no Assyrio. O Imparcial, Rio de Janeiro, nº 752, p. 10, 06 nov. 1937.

KERN, Maria Lúcia Bastos. A Emergência da Arte Modernista no Rio Grande do Sul. In: GOMES, Paulo (Org.) Artes Plásticas no Rio Grande do Sul: uma panorâmica. Porto Alegre: Lacto Sensu, 2007.

LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. Disponível em: http://brasilartesenciclopedias.com.br/nacional/barros_mulato.htm. Acesso em: 15 de abr. 2018.

NASCIMENTOS. A Alvorada, Pelotas, p. 02, 31 ago. 1913.

NOTA Barros, o Mulato. Última Hora, Paraná, ed. 93, p.08, 16 set. 1961.

NOTA. O Malho, Rio de Janeiro, nº 154, p.18, nov.1952.

O ARTISTA gaúcho Miguel Barros. Vida Doméstica, Rio de Janeiro, nº 226, p.23, jan.1937.

O VITORIOSO pintor gaúcho. Fon-Fon, Rio de Janeiro, Ed. 28 p. 20, 12 jul.1941.

ONTEN, hoje e amanhã: A exposição Miguel Barros encerrar-se-á, amanhã. Jornal Pequeno, Recife, nº 037, p.04, 14 fev. 1935.

PINTOR gaúcho realiza com sucesso uma exposição em Natal. A Federação, Porto Alegre, nº53, p.01, 04 de mar. 1936.

POLEGAR, O grande. Bota de 7 léguas: Quinto Salão. Jornal Pequeno, Recife, nº 210, p.06, 20 set. 1946.

PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

RIBEIRO, Estevão. A Margem da Exposição: Miguel Barros. Diário Popular, Pelotas, p. 08, 28 de abril 1932.

ROSA, Renato; PRESSER, Decio. Dicionário de Artes Plásticas no Rio Grande do Sul, 2. ed. rev. amp. - Porto Alegre: Editora da Universidade, UFRGS, 2000.

SALÃO “Barros, o Mulato”. O Imparcial, Rio de Janeiro, nº 1127, p. 11, 19 jan.1939.

SALÃO de Belas Artes de Piracicaba. (29º.1981:Piracicaba, SP). In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento333730/salao-de-belas-artes-de-piracicaba-29-1981-piracicaba-sp. Acesso em: 28 de abr. 2018.

SALÃO Paulista de Belas Artes (1976: São Paulo, SP). In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento281671/salao-paulista-de-belas-artes-1976-sao-paulo-sp. Acesso em: 28 de abr. 2018.

SALÃO Paulista de Belas Artes (9º. 1943: São Paulo, SP). In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento259205/9o-salao-paulista-de-belas-artes. Acesso em: 28 de abr. 2018.

SALÃO Paulista de Belas Artes. (14º.1948: São Paulo, SP). In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento80226/14o-salao-paulista-de-belas-artes. Acesso em: 28 de abr. 2018.

SALÃO Paulista de Belas Artes. (44º. 1980: São Paulo, SP). In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento256524/44o-salao-paulista-de-belas-artes. Acesso em: 28 de abr. 2018.

SANTOS, José Antônio dos. Trabalhadores e Movimento Negro: Negociação e Conflito no Sul do Brasil. Saeculum - Revista de História, n° 10. João Pessoa, jan./jul. 2004, p. 113-140. Disponível em: www.periodicos.ufpb.br. Acesso em: 10 de abr. 2018.

SEGUNGA-FEIRA a exposição de Barros, o Mulato. Jornal Pequeno, Recife, nº 128, p.03, 12 jun. 1953.

UMA VISÃO do Norte como expressão de arte. Jornal Pequeno, Recife, nº 96, p.01-02, 29 abr. 1937.

V.M. Notas de Arte: Miguel Barros. Diário Popular, Pelotas, p.04, 16 de abril 1932.

Downloads

Publicado

29/03/2020

Como Citar

Sabany, D. V., & Rodrighiero, J. C. (2020). História apagada: Barros, o Mulato, o pintor negro de Pelotas. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i4.1763

Edição

Seção

V - Encontro Humanístico Multidisciplinar