Litígios de Sangue: As Guerras Totais e suas consequências para a América Latina

Autores

  • Valdir Aragão do Nascimento Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS
  • Álvaro Banducci Júnior Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS Professor Associado Coordenador do Mestrado em Antropologia Social PPGAS/UFMS

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i3.1630

Palavras-chave:

América Latina, Guerras Totais, Fronteiras, Consequências.

Resumo

O trabalho aqui apresentado objetiva discutir as consequências que as chamadas guerras totais exerceram, e exercem, sobre a história e a realidade sociocultural dos países da América Latina. Tenciona demonstrar que a motivação de grande parte dos conflitos havidos nessa região teve sua gênese na disputa por territórios e a consequente ampliação de fronteiras, deixando claras as ambições e intenções de dominação daqueles que recorreram à guerra como estratégia de expansão. A metodologia utilizada para a confecção do artigo é de caráter bibliográfico, em que se buscou a colaboração de estudiosos interessados na temática em análise. A conclusão a que se chega demonstra que o recurso da guerra nem sempre traz os resultados desejados para aqueles que nela se envolvem, ou são envolvidos. As guerras não terminam nos campos de batalha, onde os conflitos têm a sua face mais perversa; mas se prologam ao longo dos anos através das inúmeras influências e consequências que desencadeiam.

Biografia do Autor

Valdir Aragão do Nascimento, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS

Doutorando em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste PPGSD/UFMS, Mestre em Antropologia pelo PPGAnt/UFGD, Bacharrel em Ciências Sociais pela UFMS

Álvaro Banducci Júnior, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS Professor Associado Coordenador do Mestrado em Antropologia Social PPGAS/UFMS

Doutor e Mestre em Antropologia Social (USP), Professor/ orientador dos cursos de Ciências Sociais e do Mestrado em Antropologia Social da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/PPGAS/UFMS

Referências

BANDEIRA, Luiz Alberto Moniz. O expansionismo brasileiro: o papel do Brasil na Bacia do Prata. Da colonização ao Império, Rio de Janeiro: Philobiblion, 1985.

BANDEIRA, Luiz Alberto Moniz. A Guerra do Chaco. Revista brasileira de política internacional, Brasília, v. 41, n. 1, p. 162-197, 1998.

BANDUCCI JÚNIOR, Álvaro. Turismo e fronteira: integração cultural e tensões identitárias na divisa do Brasil com o Paraguai. Pasos, v. 9, n. 3, p. 7-18, 2011. Disponível em: http://www.pasosonline.org/es/articulos/495-turismo_e_fronteira_integrao_cultural_e_tenses_identitrias_na_divisa_do_brasil_com_o_paraguai Acesso em 20 jan. 2018.

BALLER, Leandro. FRONTEIRAS E FRONTEIRIÇOS: A construção das relações sociais e culturais entre brasileiros e paraguaios (1954-2014). 2014. 336 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD, Dourados/MS, 2014.

BARROS, Mario. Historia diplomatica de Chile (1541-1938). Barcelona: Ediciones ariel, 1970.

BELL, David A. A primeira guerra total: [a Europa de Napoleão e o nascimento dos confrontos internacionais como os conhecemos]. Rio de Janeiro: Record, 2012.

BEJARANO, Ramón César. Antecedentes de la guerra con Bolivia. Asunción: Casa Editorial Toledo, 1959.

BETHEL, Leslie Michael. História da América Latina: A América Latina Colonial. São Paulo: Edusp, 1997.

BETHEL, Leslie Michael. História da América Latina: da Independência a 1870, volume III. São Paulo: Edusp, 2001.

BIBLIOTECA VIRTUAL DA AMÉRICA LATINA. Sobre a América Latina (em português), 2017. Disponível em: http://www.bvmemorial.fapesp.br/php/level.php?lang=pt&component=19&item=3 Acesso em: 12 jan. 2019.

BOIDIN, Capucine. Pour une anthropologie et une histoire régressive de la guerre de la Triple Alliance. 2000-1870. In. RICHARD, N.; CAPDEVILA, L.; BOIDIN, C. (Ed.). Les guerres du Paraguay aux XIXe XXe siècles. Paris: Colibris; 2007.

BRAZIL, Maria do Carmo. O RIO PARAGUAI E A GUERRA: Contribuição para o ensino de história. In: Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, julho 2011. Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1313075762_ARQUIVO_MARIADOCARMOBRASIL_TEXTO_COMPLETO_ST_76_Versao_Agosto_2011.pdf Acesso em 13 abr. 2018.

BREZZO, Liliana M. La historia y los historiadores. In. TELESCA, I. (Coord.) Historia del Paraguay. Asunción-Paraguay: Taurus, 2010.

CAPDEVILA, Luc. Une guerre totale, 1864-1870. Rennes: PUR, 2007.

CALDEIRA, Jorge. Mauá, empresário do Império. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

CARDOZO, Efraím. Breve historia del Paraguay. Asunción-Paraguay: El Lector, 1994.

CENTENO, Miguel Angel. Blood and debt: war and the Nation-State in Latin America. United States Of America: The Pennsylvania State University, 2002.

CENTURIÓN, Juan Crisóstomo. Memorias o reminiscencias históricas sobre la guerra del Paraguay. Asunción: El Lector, 2010.

CERQUEIRA CÉSAR, Gustavo Rojas de.; NETO, Tomaz Espósito.; MACEDO, Gustavo.; BOULOS, Renata. Brasil e Paraguai: questões das relações bilaterais. Perspectivas do Território, n. 3, p. 1-18, 2015. Disponível em: https://www.academia.edu/29331646/Brasil_e_Paraguai_quest%C3%B5es_das_rela%C3%A7%C3%B5es_bilaterais Acsso em: 26 maio. 2018.

CHIAVENATO, Júlio José. A guerra do Chaco. São Paulo: Editora Brasiliense, 1979a.

CHIAVENATO, Júlio José. Genocídio americano: a guerra do Paraguai. São Paulo: Brasiliense, 1979b.

CREVELD, Martin Van. The transformation of war. New York: The Free Press, 1991.

DALLA-CORTE, Gabriela Caballero. La Guerra del Chaco: ciudadanía, Estado y Nación en el siglo XX. La crónica fotográfica de Carlos de Sanctis. Asunção: prohistoria edições, 2010.

DALLA-CORTE, Gabriela Caballero; VÁZQUEZ RECALDE, Fabricio. La conquista y ocupación de la frontera del Chaco entre Paraguay y Argentina. [S.l.]: Edicions Universitat Barcelona, 2011.

DAUDET, Léon. La guerre totale. Paris: Nouvelle Librairie Nationale, 1918. Disponível em: http://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k67250/f266.image.r= Acesso em 11 fev. 2018.

DE MARCO, Miguel Ángel. La Guerra del Paraguay. Buenos Ayres: Planeta, 2003.

DORIATIOTO, Francisco. Espaços nacionais na América Latina: da utopia bolivariana à fragmentação. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

DORIATIOTO, Francisco. O conflito com o Paraguai. A grande guerra do Brasil. São Paulo: Ática, 1996.

DORIATIOTO, Francisco. Maldita Guerra: nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

DORIATIOTO, Francisco. Una relación compleja: Paraguay y Brasil 1889-1954. Asunción, Paraguay: Tiempo de História, 2011.

DOURADO, Maria Teresa Garritano. A História esquecida da guerra do Paraguai: fome, doenças e penalidades. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo/USP, São Paulo, 2010.

DUARTE, Paulo de Queiroz. Os Voluntários da Pátria na Guerra do Paraguai. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1981.

FARCAU, Bruce, W. The Chaco War: Bolivia and Paraguay, 1932-1935. Connecticut/USA: Praeger Publishers, 1996. Disponível em: http://www.therockabillygirlnextdoor.com/the/the-chaco-war-bolivia-and-paraguay-1932-1935.pdf Acesso em: 23 fev. 2018.

FERRER, Isabel. A Bolívia denuncia Chile em Haia em busca de um acesso ao mar [online]. EL PAÍS Brasil, Caderno Internacional, 2014. Disponível em: http://brasil.elpais.com/brasil/2014/04/15/internacional/1397577253_116304.html Acesso em 17 jan. 2019.

FOSTER, John Bellamy; CLARK, Brett. Ecological imperialism: the curse of capitalism. Socialist Register, 2004, p. 186-201. New York: Monthly Review Press, 2004. Disponível em: http://socialistregister.com/index.php/srv/article/view/5817/2713#.WLXmDDsrK00 Acesso em 21 fev. 2018.

GUIOMAR, Jean-Yves. L´invention de la Guerre Totale. XVIII- XX siècle. Paris: Félin, 2004. Disponível em: https://klemensraphaelase.firebaseapp.com/l-invention-de-la-guerre-totale-xviiie-xxe-siecle-2866455665.pdf Acesso em 22 jan. 2018.

HIRST, Monica. As relações Brasil-Paraguai: baixos incentivos no latu e strictu sensu. Política Externa. v. 14, n. 3, p. 11-21, 2005. Disponível em: http://politicaexterna.com.br/1400/relacoes-brasil-paraguai-baixos-incentivos-latu-e-strictu-sensu/ Acesso em 14 abr. 2018.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

KLEIN, Herbert S. A Bolívia da Guerra do Pacífico à Guerra do Chaco, 1880-1932, em BETHELL, L. (Org.) História da América Latina: De 1870 a 1930. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, p. 377-412, 2002.

LANGA PIZARRO, Mar. La guerra de la Triple Alianza en la literatura paraguaya. Nuevo Mundo Mundos Nuevos, Coloquios, 2006. Disponível em: <http://nuevomundo.revues.org/1623>. Acesso em: 27 jan. 2019.

LUDENDORFF, Erich. A Guerra Total. Rio de Janeiro: Editorial Inquérito, 1941.

LUNDQUIST, Sven. Historia de los bombardeos, Madrid: nota 134, 2002.

MAESTRI, Mário. A guerra contra o Paraguai: história e historiografia: da instauração à restauração historiográfica [1871-2002]. La Guerra del Paraguay: historiografías, representaciones, contextos. Anual del CEL, Buenos Aires, 2008. Disponível em: https://nuevomundo.revues.org/55579 Acesso em 17 maio. 2018.

MESA, José de; MESA, Carlos; e GISBERT, Teresa. Historia de Bolivia. 7. Ed. La Paz: Editorial Gisbert y Cia, 2008.

MORA, Manuel Ravest. La Compania Salitrera y la Ocupacion de Antofagasta 1878-1879. Chile: Editorial Andrés Bello, 1983.

MICHEL ROMERO, Pablo. La Guerra del Chaco: reflexiones de un investigador del siglo XXI [online], 2011. Disponível em: http://www.boliviaentusmanos.com/historia/guerradelchaco1.php Acessado em: 14 dez. 2018.

MITRE, Antonio. Ligações perigosas: Estado e guerra na América Latina. Brasil: Plataforma Democrática, 2010. Disponível em: http://www.plataformademocratica.org/Arquivos/Ligacoes%20Perigosas.pdf Acessado em 22 jan. 2019.

MORAES, Denise. Compram-se soldados! Os libertos da província da Bahia na Guerra do Paraguai. 2016. 105 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/Unirio, Rio de Janeiro, 2016.

NASCIMENTO, Valdir Aragão do. “Yo soy paraguayo, chamigo”: breve estudo sobre a identidade no Paraguai. 2012. 177 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD, Dourados, 2012.

NASCIMENTO, Valdir Aragão do. Fronteiriço, brasileiro, paraguaio ou brasiguaio? Denominações Identitárias na Fronteira Pedro Juan Caballero (PY) e Ponta Porã (BR). ILHA – Revista de Antropologia. v. 16, n. 1, p. 105-137, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2014v16n1p105 Acesso em 21 jan. 2019.

NASCIMENTO, Valdir Aragão do. O periodismo e a construção da identidade nacional paraguaia no decurso e no pós-guerra da tríplice aliança (1864-1870). Fronteiras: Revista de História. v. 18 n. 31, p. 393-414, 2016. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/FRONTEIRAS/article/view/5476 Acesso em 15 fev. 2019.

POMER, León. A Guerra do Paraguai: a grande tragédia rioplatense. 2 ed. São Paulo: Global, 1980.

POTTHAST-JUKTEIT, Bárbara; WHIGHAM, Thomas L. La piedra “Roseta” paraguaya: nuevos conocimientos de causas con la demografia de la guerra de la Triple Alianza, 1964-1970. Revista Paraguaya de Sociologia, v. 35, n. 103, p. 152. Disponível em: http://hapi.ucla.edu/journal/detail/450 Acesso em: 4 fev. 2019.

RICHARD, Nicolas (Comp). Mala guerra: los indígenas en la guerra del Chaco (1932-1935). Asunción-Paraguay: ServiLibro, 2008.

SANTOS, Luís Cláudio Villafañe G. O império e as repúblicas do Pacífico: as relações do Brasil com Chile, Bolívia, Peru, Equador e Colômbia (1822-1889). Curitiba: Editora UFPR, 2002.

SCHULZ, John. O exército na política. Origens da intervenção militar, 1850-1894. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1994.

SEKI, Lucy. Línguas indígenas do Brasil no limiar do séc. XXI. Impulso (Piracicaba) v. 12. n. 27. p. 157-170, 2000. Disponível em: http://projetos.unioeste.br/projetos/cidadania/images/stories/Fevereiro/linguas_indgenas_do_Brasil_no_limiar_do_sculo_XXI.pdf Acesso em: 12 mar. 2019.

SOUZA, Marcelo Lopes. “Território” da divergência (e da confusão): em torno das imprecisas fronteiras de um conceito fundamental. In: SAQUET, M. A. (Org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP, 2009.

TAUNAY, Alfredo d’Escragnolle. A Retirada da Laguna: episódio da guerra do Paraguai. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

TORRACA, Mirta Mabel Escovar. Imigração e colonização menonita no processo de legitimação do Chaco paraguaio (1921-1935). 2006. 154 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD, 2006.

TUFARI RECALDE, Pablo E. La Guerra del Chaco. Antecedentes históricos y conducción político-estratégica del conflicto. Asunción, Paraguay: Dirección de Publicaciones, Fuerzas Armadas, 1987.

URRUTIA, Carlos López. Guerra del Pacífico. Ristre Multimedia, Pozuelo de Alarcón (Madrid), 2008.

WHIGHAM, Thomas L. Fruto de violencia y sacrificio: el nacionalismo paraguaio y la guerra de la triple alianza. In: CASAL, Juan Manuel; WHIGHAM, Thomas L. (Edición). Paraguay: el nacionalismo y la guerra. Asunción-Paraguay: SERVILIBRO, 2009.

ZOOK, David Hartzler. La conducción de la guerra del Chaco. Buenos Aires, Círculo Militar. Asunción-Paraguay. BVP Biblioteca Virtual del Paraguay, 1962. Disponível em: http://bvp-org-py.clasishopping.com/biblio_htm/zook/indice.pdf Acesso em: 21 fev. 2019.

Downloads

Publicado

23/01/2020

Como Citar

Nascimento, V. A. do, & Júnior, Álvaro B. (2020). Litígios de Sangue: As Guerras Totais e suas consequências para a América Latina. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i3.1630

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo