MEMÓRIAS SUBMERSAS: análise sobre as memórias coletivas na formação do reservatório de Itaipu

Autores

  • Aracelli Bianchin Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA
  • Bruno César Alves Marcelino Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura - CLAEC http://orcid.org/0000-0002-0638-7889

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1620

Palavras-chave:

Reservatório de Itaipu, memórias, enquadramento

Resumo

Este artigo compõe uma investigação inicial que buscou identificar o enquadramento da memória coletiva sobre a formação do Reservatório de Itaipu do lado brasileiro. Trata-se de uma pesquisa composta por revisão bibliográfica, que também utilizou como fonte de dados mídias digitais e visita a dois atrativos turísticos da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Conclui-se que o enquadramento da memória sobre o processo de formação do Reservatório Itaipu não inclui toda a história. Embaixo d’água estão as ruínas e muitas memórias de lutas e das comunidades que a história oficial deixou de contar. Mecanismo que representa o impasse entre memória e esquecimento e que exprime, a reconstrução seletiva do passado como estratégia política. As memórias sociais coletivas da região alagada encontram-se submersas.

Biografia do Autor

Aracelli Bianchin, Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA

Mestra em Integração Contemporânea da América Latina; Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA; Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil.

Bruno César Alves Marcelino, Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura - CLAEC

Doutorando no Programa de Pós-graduação binacional em Estudos Sociais Interdisciplinários de Europa e América Latina (2018-2022), área de investigação em Estudos Socioculturais pela Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación da Universidad Nacional de La Plata (Argentina) e pelo Institut für Politik- und Verwaltungswissenschaften (Instituto de Ciências Políticas e Administrativas) da Universität Rostock (Alemanha), com auxílio financeiro do Centro Universitário Argentino Alemão - CUAA-DAHZ. Mestre em Integração Contemporânea da América Latina - ICAL (2016-2018), linha de pesquisa em Cultura, Colonialidade/Decolonialidade e Movimentos Sociais pelo Instituto Latino-Americano de Economia, Sociedade e Política - ILAESP da Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA, sendo bolsista do Programa de Demanda Social da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação. Bacharel em Produção e Política Cultural (2012-2015) pela Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA, sendo bolsista do Programa de Educação Tutorial  - PET Produção e Política Cultural. Diretor-Presidente e Pesquisador Associado do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura - CLAEC,  Editor-chefe da Editora CLAEC e da RELACult - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade (Qualis/CAPES - B2), organizador das edições do livro e-book Dossiê Cultura em Foco. Membro do Grupo de Pesquisa/CNPq TEAR - Territórios em Articulação: Processos de Luta e (Re)existência de Populações Rurais, Indígenas e Tradicionais na América Latina (UNILA) e do Grupo de Pesquisa/CNPq Metropolização e Desenvolvimento Regional da Universidade Feevale, na linha de pesquisa: Dinâmicas da cultura e conflitos sociais. Tem experiência e interesse nas áreas de Estudos culturais em regiões de fronteira, Integração cultural latino-americana, Políticas culturais e Produção e gestão cultural.

Referências

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas II – Rua de mão única Mão Única. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho, José Carlos Martins Barbosa. 3. ed. Obras escolhidas. v. 2. São Paulo: Brasiliense, 1993.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 4º Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

D’ALESSIO, M. M. Memória: leituras de M. Halbwachs e P. Nora. Revista Brasileira de História, São Paulo, 13 (25/26);97-103, set.92 /ago. 1993.

GALEANO, E. De pernas para o ar: a escola do mundo ao avesso. Porto Alegre: L&PM, 1999.

GERMANI, G. I. Expropriados, Terra e água: o conflito de Itaipu. Salvador: 2ª Ed. EDUFBA/ULBRA, 2003.

GROSSMAN, J. Violência e silêncio: Reescrevendo o futuro. História Oral, Revista da Associação Brasileira de História Oral, 2000.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. 2º Ed. São Paulo, Editora Centauro: Beatriz Sidou, 2003.

ITAIPU BINACIONAL. Site oficial. Disponível em: https://www.itaipu.gov.br . Acesso em 10 de jan.2016.

LE GOFF, J. História e memória. 4º Ed. São Paulo: Editora Unicamp: Bernardo Leitão, 1996.

MAZZAROLLO, J. A Taipa da Injustiça: esbanjamento econômico, drama social e holocausto ecológico em Itaipu. 2ª Ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

PELEGRINI, S. Cultura e Natureza: Os desafios das práticas preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental. In: Revista Brasileira, 2006.

POLLAK, M. Memória, esquecimento, silêncio. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro: vol. 2, nº 3, 1989.

___________. Memória e identidade social. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, nº 10, 1992.

RIBEIRO, M.F.B. Memórias do concreto: vozes na construção de Itaipu. Cascavel: Edunioeste, 2002.

SAMUEL, R. Teatros da Memória, In: Projeto história 4. São Paulo: Educ.1989.

SANTOS, A. P. Lago de memórias: a submersão das Sete Quedas, 2006.

SOUZA, E. B. C. de. Tríplice Fronteira: Fluxos da região Oeste do Paraná com o Paraguai e Argentina. In: Revista Terra, 2008.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Bianchin, A., & Alves Marcelino, B. C. (2019). MEMÓRIAS SUBMERSAS: análise sobre as memórias coletivas na formação do reservatório de Itaipu. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1620

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)