Tramas na Formação de Professoras Migrantes: Significados, Trânsitos e Teias em Histórias de Vida

Autores

  • Ilca Pena Baia Sarraf Secretaria de Estado de Educação - SEDUC

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1591

Palavras-chave:

História de Vida, Professoras Migrantes, Formação Inicial e Continuada.

Resumo

Neste trabalho, analiso tramas nas histórias de formação docente, vividas por Raimunda Wilma Corrêa Vilar Brasil, Maria Dilma Corrêa, Rosiete Corrêa Siqueira, Jurema do Socorro Pacheco Viegas e Maria de Fátima Rodrigues Alves, mulheres migrantes que se fizeram professoras em Melgaço, município do arquipélago de Marajó, no Pará, entre as décadas de 1980 a 2010. Baseada no campo teoricometodológico da História de Vida, discuto trajetórias da formação docente à luz da legislação, da historiografia da educação e, especialmente, das narrativas das professoras migrantes. Por esse enredo, a questão que procuro responder ao longo da pesquisa é com que formação acadêmica essas professoras iniciaram a profissão docente em Melgaço e de que modo trilharam os caminhos da formação continuada? Para isso, o texto está dividido em três partes. Na primeira, “Escolha pela docência e significados da profissão”, enfoco os desejos profissionais e os sonhos vividos ou abandonados no exercício do Magistério pelas professoras migrantes. Em seguida, em “Nos trânsitos da Formação”, mapeio cursos e percursos vivenciados na prática da qualificação profissional e, por último, em “Múltiplas Teias na Vida das Professoras”, aponto limites e avanços no processo metodológico e relacional entre professor-aluno e demais agentes sociais que conformavam a realidade melgacense nas duas últimas décadas do século XX e primeira década do século XXI. Por fim, o estudo demonstra que investigar histórias de vida permite mergulhos em percursos pessoais, profissionais e práticas vividas em coletividade, mas apreendidos a partir da ótica e subjetividades das próprias professoras migrantes.

Biografia do Autor

Ilca Pena Baia Sarraf, Secretaria de Estado de Educação - SEDUC

Mestra em Educação pela Universidade do Estado do Pará, especialista em Coordenação e Supervisão Pedagógica pela Pontificia Universidade Católica de Minas Gerais e Pedagoga pela Universidade Federal do Pará.

Referências

ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, Autêntica, v. 1, n. 1, ago./dez. p. 41-56, 2009.

ARCHANGELO, Ana. O amor e o ódio na vida do professor: passado e presente na busca de elos perdidos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

BHABHA, Homi. O local da Cultura. Traduação de Myriam Ávila et al. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003.

CARNEIRO, Moaci Alves. LDB fácil: leitura crítico-compreensiva, artigo a artigo. 18. ed. atualizada e ampliada. – Petropólis, RJ: Vozes, 2011.

CUNHA, Emmanuel Ribeiro et al. Formação profissional: representações de professores formados em serviço. Revista Contrapontos - Eletrônica, v. 11, n. 1, p. 34-47, jan-abr., 2011.

DOMINICÉ, Pierre. O que a vida lhes ensinou. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias (orgs.). O Método (Auto)biográfico e a Formação. Lisboa: Ministério da Saúde. Depart. de Recursos Humanos da Saúde/Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988, p. 131-153.

FONTANA, Roseli A. Cação. Como nos tornamos professoras? Belo Horizonte, 2. ed. Autêntica, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GATTI, Bernadete. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez., 2010.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Ofício de Cartógrafo: travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Loyola, 2004.

MOITA, Maria da Conceição. Percursos de formação e de transformação. In: NÓVOA, António (org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1992, p. 111-140.

MONTEIRO, Albêne Lis. Autoformação, histórias de vida e construções de identidade do/a educador/a. Tese (Doutorado em Educação: Currículo), PUC-SP, 2002.

MORGADO, José Carlos. Identidade e profissionalidade docente: sentidos e (im)possibilidades. Revista Ensaio: avaliação, políticas públicas e Educação, v 19, n. 73. Rio de Janeiro, p. 793-812, out./dez., 2011.

NÓVOA, António e FINGER, Mathias. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988.

NÓVOA, António (org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992.

LECHNER, Elsa (org.). Histórias de Vida: olhares interdisciplinares. Porto: Edição, Edições Afrontamento, 2009.

PASSEGGI, Mª da C. et al. Entre a vida e a formação: Pesquisa (auto)biográfica, docência e profissionalização. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 369-386, 2011.

RIBEIRO, Neurilene Martines e SOUZA, Elizeu Clementino. Vidas de professoras de escolas rurais: memórias da manhã, tarde e noite. Revista Pedagógica - UNOCHAPECÓ - Ano-14 - n. 27, v. 2, p. 114-140, jul./dez. 2011.

SARRAF-PACHECO, Agenor. À Margens dos “Marajós”: cotidiano, memórias e imagens da “Cidade-Floresta” – Melgaço-PA. Belém: Paka-Tatu, 2006.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14 n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Prefácio – Experiências e narrativas: redes de pesquisa-ação-formação. In: PÉREZ, Cármen Lúcia Vidal (org.). Experiências e Narrativas em Educação. Rio de Janeiro: EdUFF, 2017, p. 9-14.

SOUZA, Elizeu Clementino de e et al (org.). Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro: QUARTET; FAPERJ, 2008.

SOUZA, Elizeu Clementino de (org.). História de vida e formação de professores. Brasília: SEE-MEC, Boletim 01, março de 2007.

SOUZA, Elizeu Clementino de (org). Autobiografias, histórias de vida e formação: pesquisa e ensino. Porto Alegre: EDUPUCRS, 2006.

______. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A; Salvador, BA: UNEB, 2006a.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Sarraf, I. P. B. (2019). Tramas na Formação de Professoras Migrantes: Significados, Trânsitos e Teias em Histórias de Vida. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1591

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura