A presença de haitianos no oeste catarinense: o encontro com a branquitude

Autores

  • Claudete Gomes Soares Universidade Federal da Fronteira Sul

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1549

Palavras-chave:

Branquitude, Haitianos, Identidade, Representação racial, Santa Catarina

Resumo

O objetivo desse artigo é evidenciar os significados atribuídos por estudantes universitários haitianos de uma universidade brasileira às suas experiências no Oeste Catarinense, seja como moradores da cidade de Chapecó e/ou região, seja como estudantes da UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul). Trata-se dos resultados de uma pesquisa sobre a integração haitiana no Oeste Catarinense em andamento, financiada pela FAPESC (Chamada pública 07/2015), que tem como objetivo investigar a presença negra, por meio da imigração haitiana, em uma região do país que constrói a sua identidade a partir da afirmação da branquitude, construída no marco de uma origem europeia sempre reivindicada em oposição aos povos racializados: indígenas e caboclos.  Será explorado como os estudantes haitianos, a partir de suas experiências, têm significado, percebido e reagido a esse encontro com a branquitude. Os estudantes haitianos em suas narrativas sobre as relações que estabelecem com a cidade e com a universidade percebem e evidenciam relações de poder construídas por meio do sistema de representação racial?  A tendência desses estudantes seria enfatizar ou minimizar o impacto do elemento racial como condiciontante de suas experiências na cidade de Chapecó e região? Existe a percepção por esses estudantes de que ocupam o lugar de outsiders na região Oeste Catarinense? Foram realizadas quinze entrevistas semiestruturadas com estudantes universitários haitianos. Para a análise dos dados coletados, tem-se utilizado os estudos sobre branquitude, as contribuições de Stuart Hall, Frantz Fanon, Norbert Elias e John Scotson, autores que nos possibilitam pensar a relação entre identidades e as estruturas de poder constituídas no marco da experiência colonial e da escravidão.

Referências

ANDREOLA, Neuri José. Os brasileiros e os estrangeiros: as relações de sociabilidade entre o grupo de brancos e o grupo de negros “em um bairro de Chapecó”. Chapecó, 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Sociais) – Universidade Federal da Fronteira Sul.

BARROS, Carolyne Reis. Trabalho e território de haitianos na região metropolitana de Belo Horizonte: precariedade e resistência. São Paulo, 2017. Tese (Doutorado em Psicologia Social). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2017.

CARDOSO, Paulino de Jesus Francisco. Em busca de um fantasma: as populações de origem africana em Desterro, Florianópolis, de 1860 a 1888. Padê: estudos em filosofia, raça, gênero e direitos humanos. UniCEUB, FACJS, vol.2 n.1, 2007.

CHAUÍ, Marilena. Brasil Mito Fundador e sociedade autoritária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2007.

COSTA. Rafael Rodrigues. “Por que a cultura do Sul ficou de fora do retrato do Brasil na Olimpíada?". Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/caderno-g/g-ideias/por-que-a-cultura-do-sul-ficou-de-fora-do-retrato-do-brasil-na-olimpiada- 39kp1nc56n98jnjyropdhpxqw/. Acessado em: 10 de junho de 2018.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John. L. Os estabelecidos e os Outsiders. Sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Zahar 2000.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: Ed. UFBA, 2008.

FELLET, João. Dilma diz que haitianos são bem-vindos no Brasil, mas condena ação de coiotes. Disponível em https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2012/02/120131_haiti_dilma_jf. Acesso em: 14 de dezembro de 2018.

GROSFOGUEL, Ramón. El concepto de «racismo» en Michel Foucault y Frantz Fanon: ¿teorizar desde la zona del ser o desde la zona del no-ser? Tabula Rasa, nº.16, 79-102, enero-junio 2012.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Tradução: Daniel Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio: Apicuri, 2016.

HALL, Stuart. Pensando a Diáspora (Reflexões Sobre a Terra no Exterior). In: ____. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Liv Sovik (org); Trad. Adelaine La Guardia Resende. Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília: Representação da Unesco no Brasil, 2003.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu (org. e trad.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2011.

HANDERSON, Joseph. Diáspora. As dinâmicas da mobilidade haitiana no Brasil, no Suriname e na Guiana Francesa. 2015. Tese (Doutorado em Antropologia). Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)/Museu Nacional, Rio de Janeiro, 2015.

HANDERSON, Joseph. Vodu no Haiti, Candomblé no Brasil: identidades culturais e sistemas religiosos como concepções de mundo Afro-Latino-Americano. Pelotas, 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Instituto de Sociologia e Política. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010.

JOSEPH. Rose-Myrlie. L'articulation des rapports sociaux de sexe, de classe et de race dans la migration et le travail des femmes haitiennes. Tese (Doutorado em Sociologia) 2015.Université de Lausanne, Paris, 2015.

KOIFMAN, Fábio. Imigrante ideal: O Ministério da Justiça e a entrada de estrangeiros no Brasil (1941-1945). Rio de Janeiro: Editora José Olympio (Edição para Kindle), 2012.

LEITE, Ilka B. Descendentes de africanos em Santa Catarina: invisibilidade e segregação In: LEITE, I. B. (Org.). Negros no Sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996.

MAGALHÃES, Luís Felipe Aires Magalhães. A imigração haitiana em Santa Catarina: perfil sociodemográfico do fluxo, contradições da inserção laboral e dependência de remessas no Haiti, 2017. Tese (Doutorado em Demografia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti. Africanos em Santa Catarina: escravidão e identidade étnica (1750-1850) In: Seminário Internacional “Nas Rotas do Império: Eixos Mercantis, Tráfico de Escravos, Relações Sociais no Mundo Português”. Universidade Federal do Rio de Janeiro, junho, 2006.

NOGUEIRA, Fabiana Bezerra. Dèyè mòn, gen mòn: Imigração Haitiana no Brasil – Relatos do Vivido. São Paulo, 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

OLIVEIRA. Eliziane Tamanho de. Branquitude e poder nas relações entre moradores locais e imigrantes haitianos: falando de raça no oeste catarinense. Chapecó, 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Sociais) – Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2017.

RENK, Arlene. A colonização do oeste catarinense: as representações dos brasileiros. Cadernos do CEOM, ano 19, n.23, 2014.

RIBEIRO, Vivian Stefany. A interação haitiana em Concórdia. Chapecó, 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Sociais) – Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2018.

SAYAD, Abdelmalek. O que é um Imigrante? In:______. Imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo, Edusp,1998.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o encardido, o branco e o branquissimo. Annablume: São Paulo: 2013.

SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da identidade e da diferença. In:______. (org. e trad.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

SOARES, Claudete Gomes; ANDREOLA, Neuri. Branquitude e representações sobre imigrantes haitianos no oeste catarinense. Temáticas, v.2, n.49/50, p.85-114, fev/dez, 2017.

STAUDT, Taíse. "Sou diáspora: identidade e mobilidade nas memórias de haitianos no Brasil". Chapecó, 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (História) – Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL. Institui o Programa de Acesso à Educação Superior da UFFS para estudantes haitianos - PROHAITI e dispõe sobre os procedimentos para operacionalização das atividades do programa. Resolução n.32/2013. Chapeco, 12 de dezembro de 2013.

WARE, Vron (org.). Branquidade: identidade branca e multiculturalismo. Editora Garamond: Rio de Janeiro, 2004.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Soares, C. G. (2019). A presença de haitianos no oeste catarinense: o encontro com a branquitude. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1549

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura