Moisés Bertoni: Ciência e Estado-Nação (1890-1929)

Autores

  • Wagner Henrique Neres Fiuza Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) e Secretaria Estadual da Educação do Paraná (SEED)

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1537

Palavras-chave:

América Latina, Ciência, Moisés Bertoni, Paraguai.

Resumo

Poderia ser a ciência uma forma de afirmar, consolidar ou estremecer relações internacionais? Em que medida a ciência se produziu nesta relação entre nacional e internacional na América Latina no início do século XX? Estas perguntas surgiram na pesquisa sobre a obra de Moisés Bertoni durante o período em que viveu e publicou na República do Paraguai (1890-1929). Nascido na Europa, Bertoni escolheu o Paraguai para trabalhar e findar seus dias. Ali, empreendeu enorme trabalho científico de campo e fundou sua própria editora, a Ex Sylvis. A partir dali, publicava seus resultados e também recebia publicações do mundo todo. O financiamento estatal, mesmo que precário, estabeleceu estreitas relações entre o Estado e a produção intelectual de Bertoni. Não sem razão, ele e sua família representavam o Paraguai em congressos científicos internacionais, estabelecendo contatos e buscando afirmar um lugar para ele no circuito científico e para aquele país no concerto das nações. Em fase inicial, a pesquisa aponta a relação entre o esforço científico de perseguir leis e regras universais, e a delimitação dessas práticas em fronteiras nacionais. Neste sentido, o cientista Bertoni é co-participante da construção do estado-nação paraguaio, de suas significações identitárias e da fixação de suas fronteiras simbólicas.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas, nação e consciência nacional. São Paulo: Ática, 1989.

BARATTI, Danilo. Moisés Santiago Bertoni y la generación nacionalista-indigenista paraguaya. Bulletin Société Suisse des Américanistes, n.66-67, p.41-47. 2002-2003.

BERTONI, Moisés. La Civilización Guarani. Puerto Bertoni: Ex Sylvis, 1922.

FLECK, Eliane Cristina Deckmann. A abordagem historiográfca dos séculos XIX e XX sobre a atuação de médicos e boticários jesuítas na América platina no século XVIII. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.21, n.2, abr.-jun. 2014, p. 667-685.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

________. Vigiar e Punir. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

________. Sobre a Geografia. In:________. Microfísica do Poder. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2014.

HOBSBAWM, Eric. A Era dos Impérios 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

________. Nações e Nacionalismos desde 1780. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

MOREIRA, Luís Felipe Viel. A Historiografia Brasileira e o Revisionismo Histórico Platino. ENCONTRO INTERNACIONAL DA ANPHLAC, VIII, Vitória. Anais..., Vitória, 2008.

NIEMEYER, Aline; BUTTURA, Evaldo. Moisés Bertoni: Uma vida para a Ciência. Foz do Iguaçu: Editora Epígrafe, 2012.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org); HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 4ª. Ed. Petrópolis: Vozes, 2000. P. 7-72.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Fiuza, W. H. N. (2019). Moisés Bertoni: Ciência e Estado-Nação (1890-1929). RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1537

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura