Marambiré como Patrimônio Cultural e Instrumento de Resistência do Quilombo do Pacoval/Pará

Autores

  • Andréa Simone Rente Leão Universidade Federal do Oeste do Pará
  • Girlian Silva de Sousa Universidade Federal do Oeste do Pará
  • Edilmar de Santana Quaresma Universidade Federal do Oeste do Pará
  • Joice Eliane Vasconcelos de Oliveira Universidade Federal do Oeste do Pará

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1517

Palavras-chave:

cultura, Ciências Sociais, estudos em cultura

Resumo

O presente ensaio introdutório tem o propósito de apresentar a dança do Marambiré como patrimônio cultural e de resistência do Quilombo do Pacoval e, portanto, um exemplo de organização cultural e social amazônica. A representação da dança do Marambiré é tida pelos quilombolas do Pacoval como a perpetuação da história de seus ancestrais, ao mesmo tempo, forma de manter viva sua cultura e origem. A origem das informações sobre o Quilombo do Pacoval, vem de autores locais, nacionais e entrevistas realizadas com os membros da dança do Marambiré – coordenação e componentes. Desta forma, conclui-se reafirmando que a ancestralidade negra, religiosidade, (re)existência cultural afro às intolerâncias sofridas e horizontalidade comunitária são características facilmente identificáveis nos comunitários do Quilombo do Pacoval, local onde a musicalidade se funde com a religião, expressando através da dança do Marambiré toda sua história de resistência cultural, social e política.

Biografia do Autor

Andréa Simone Rente Leão, Universidade Federal do Oeste do Pará

Docente da Ufopa, no Instituto de Ciências da Sociedade, curso Ciências Econômicas.

Girlian Silva de Sousa, Universidade Federal do Oeste do Pará

Docente Substituta da Ufopa, no Instituto de Ciências da Sociedade, curso Ciências Econômicas.

Edilmar de Santana Quaresma, Universidade Federal do Oeste do Pará

Estudante de Gestão Pública e Desenvolvimento Regional; do Instituto de Ciências da Sociedade.

Joice Eliane Vasconcelos de Oliveira, Universidade Federal do Oeste do Pará

Estudante de Gestão Pública e Desenvolvimento Regional, no Instituto de Ciências da Sociedade.

Referências

ALMEIDA, A. W. B. de. Terra de Quilombo, Terras Indígenas, “Babaçuais Livre”, “Castanhais do Povo”, Faixinais e Fundos de Pasto: terras tradicionalmente ocupadas. Manaus: PPGSCA: UFAM, 2008.

AZEVEDO, I. M. Puxirum: Memória dos Negros do Oeste Paraense. Belém: Editora IAP, 2002.

BLOG ANAMANI. Dança do Marambiré. Disponível em: https://blogmanamani.wordpress.com/2015/07/29/marambire-de-alenquer-para. Acesso: 28/12/2018.

BRASIL. Presidência da República. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ constitui% C3%A7ao.htm>. Acesso em: 10 mai. 2018.

COSTA-BERNADINO, J.; GROSFOGUEL, R. Decolonialidade e perspectiva negra. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 31, n. 01, p. 15-24, jan./abr. 2016.

COSTA, R. L. N.; CARIPUNA, R. E. As Festas da Ramada no Quilombo do Pacoval, Alenquer (1960-1970). 2015. 36 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura Integrada em História e Geografia) Instituto de Educação, Universidade Federal do Oeste do Pará, Alenquer, 2015.

DUPRAT, D. Prefácio. In: SHIRAISHI NETO, Joaquim (Org.). Direito dos Povos e das Comunidades Tradicionais no Brasil: declarações, convenções internacionais e dispositivos jurídicos definidores de uma política nacional. Manaus: UEA, 2007, s/n.

FIGUEIREDO, A. Um Natal de Negros: esboço etnográfico sobre um ritual religioso num quilombo amazônico. Revista de Antropologia, v. 02, n. 38, p. 207-238, 1995. Disponível em: https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.1995.111569. Acesso em: 28/12/2018.

FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES. Personalidades Negras – Dandara. 7 de julho de 2014. Disponível em: http://www.palmares.gov.br/?p=33387. Acesso em: 25 de dezembro de 2018.

FUNES, E. A. “Nasci nas Matas nunca tive senhor”: história e memória dos mocambos do Baixo Amazonas. 1995. 441 f. Tese (Doutorado em História Social) – Instituto de História, Universidade de São Paulo, 1995.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras. 34ª Ed. 2005.

GOMES, F. dos S. Mocambos e quilombos: uma história do campesinato negro no Brasil. 1ª Ed. São Paulo: Claro Enigma, 2015.

GONÇALVES, P. 17 Mulheres Negras Brasileiras que Lutaram Contra escravidão. Portal Géledes. 10 de julho de 2017. Disponível em: https://www.geledes.org.br/17-mulheres-negras-brasileiras-que-lutaram-contra-escravidao/. Acesso em: 25 de dezembro de 2018.

INCRA. Título de Reconhecimento de Domínio/INCRA/Nº 001/96. Disponível em: cpisp.org.br/wp-content/uploads/2017/06/PACOVAL-DE-ALENQUER-PA-20.11.1996.pdf. Acesso em 28/12/2018.

ONU MULHERES. Mulheres quilombolas: liderança e resistência para combater a invisibilidade. 19 de setembro de 2017. Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/noticias/mdulheres-quilombolas-lideranca-e-resistencia-para-combater-a-invisibilidade/. Acesso em: 25/12/2018.

PARÁ. Governo do Estado. Lei n. 7.113, de 19 de março de 2008. Dispõe sobre declarar como Patrimônio Cultural e Artístico do Estado do Pará a dança “MARAMBIRÉ” do município de Alenquer – Pa. In: Diário Oficial do Estado do Pará. Poder Executivo, Belém, PA, 24 mar. 2008. Executivo 1, p, 06. Disponível em: www.ioepa.com.br/pages/2008/03/24/2008.03.24.DOE_6.pdf. Acesso em: 19/05/2018.

QUEIROZ, W. Contribuições para a História de Alenquer. Alenquer: Edição do autor, 2017.

QUEIROZ, W. Nação Negra. Alenquer: Edição do autor, 2011.

SASSEN, S. Expulsões: brutalidade e complexidade na economia global. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2016.

SOUZA, G. S. de; PEZZUTI, J. C. B. Breve Ensaio sobre a Lógica Subjetiva dos Povos e Comunidades Tradicionais Amazônidas. Novos Cadernos NAEA, Belém, v. 20, n. 2, p. 111-126, mai/ago. 2017.

TEIXEIRA, L. C. L. Marambiré: o negro no folclore paraense. Belém: SECULT; FCPTN, 1989.

WOLKER, A. C. Pluralismo, Justiça e Legitimidade dos Novos Direitos. Revista Sequência, Florianópolis, n, 54, p. 95-106, jul. 2007.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Leão, A. S. R., Sousa, G. S. de, Quaresma, E. de S., & Oliveira, J. E. V. de. (2019). Marambiré como Patrimônio Cultural e Instrumento de Resistência do Quilombo do Pacoval/Pará. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1517

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura