O CRAM Rejane Marisa dal Bó e sua importância para o enfrentamento da violência contra a mulher

Autores

  • Ana Luisa Hickmann Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA
  • Lorena Rodrigues de Freitas Universidade Federal da Integração Latino Americana - UNILA

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1507

Palavras-chave:

CRAM, centros de referência, violência contra a mulher, gênero, violência

Resumo

A presente pesquisa, ainda em andamento, visa realizar um apanhado histórico sobre a violência contra a mulher, os tipos de violência que sofrem as mulheres, e tem como objetivo também descrever o serviço ofertado pelo Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM) Rejane Marisa dal Bó, que atua no município de Foz do Iguaçu, prestando acolhimento e acompanhamento a mulheres que estão ou já estiveram em situações de violência. Neste trabalho, irei discorrer sobre alguns pontos fundamentais para tratar do tema da violência contra as mulheres, debatendo sobre os conceitos que envolvem o assunto, que ainda é tratado como tabu.

Biografia do Autor

Ana Luisa Hickmann, Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA

Graduanda em Antropologia e Diversidade Cultural pela Universidade Federal da Integração Latino Americana - UNILA.

Referências

BRASIL, Casa Civil. Lei nº 11.340. Brasília, 2006. Disponível em: http://www.institutomariadapenha.org.br/assets/downloads/lei-11340-2006-lei-maria-da-penha.pdf. Acesso em: 13 março 2019.

BRASIL, Planalto. Lei nº 13.104. Brasília, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13104.html. Acesso em: 05 março 2019.

BRASIL, Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Norma Técnica de Uniformização dos Centros de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência. Brasília, 2006.

BRASIL, Senado Federal. Dialogando sobre a Lei Maria da Penha. Instituto Legislativo Brasileiro: Brasília, 2017.

BRASIL, Senado Federal. Comissão Parlamentar Mista de Inquérito. Relatório final: Violência contra a Mulher. Brasília, 2013. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/496481 Acesso em: 10 março 2019.

HERTZOG, K. Atenção às mulheres vítimas de violência de gênero nos serviços de saúde de Foz do Iguaçu – PR. Foz do Iguaçu, 2017.

Instituto Maria da Penha. Ciclo da Violência. Disponível em: http://www.institutomariadapenha.org.br/violencia-domestica/ciclo-da-violencia.html. Acesso em: 13 março 2019.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública: 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Disponível em: https://www.mpma.mp.br/arquivos/CAOPCEAP/8o_anuario_brasileiro_de_seguranca_publica.pdf Acesso em: 03 fevereiro 2019.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE FOZ DO IGUAÇU. Estatísticas do CRAM apontam

que Foz avançou no Atendimento Especializado à Mulher Vítima de Violência. Foz do

Iguaçu, 2015. Disponível em: http://www.pmfi.pr.gov.br/noticia/?idNoticia=37301 Acesso em: 12 março 2019.

SAFFIOTI, H. Gênero patriarcado violência. 2ª. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

SEGATO, R. Las Estructuras Elementares de La Violencia: Ensayos sobre el género, el psicanalisis y los derechos humanos. Quilmes: Prometeo, 2003.

TELES, M. A; MELO, M. O que é violência contra a mulher. 1ª ed. São Paulo: Brasiliense, 2012.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Hickmann, A. L., & de Freitas, L. R. (2019). O CRAM Rejane Marisa dal Bó e sua importância para o enfrentamento da violência contra a mulher. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1507

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura