Gastronomia e Turismo Reflexões Sobre a Preservação da Culinária Tradicional na Cidade de Caldas Novas (Go)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1500

Palavras-chave:

Caldas Novas (GO), Culinária, Patrimônio Cultural Intangível, Sustentabilidade

Resumo

A cidade de Caldas Novas, polo turístico encravado no interior do estado de Goiás e com importância econômica crescente, não só regional como nacional, é o ponto de partida para o objetivo de refletir sobre a importância da história e da cultura regionais para uma renovada percepção do turismo em todas as suas vertentes. Apesar de faltarem dados científicos sobre tal afirmação, sabe-se que os locais onde há recuperação e preservação histórica são os mais visitados em escala internacional, não só em termos de patrimônios visíveis ou materiais (arquitetura, arte, vestuário etc.), mas também outras características inerentes à cultura, como as festas, a dança e a gastronomia, que constituem, em sua composição, o patrimônio intangível de uma sociedade ou destino turístico. Neste sentido, incita-se a preservação do patrimônio cultural em um local de atração turística como um fator de contribuição para o desenvolvimento local em uma perspectiva sustentável. Para que isto ocorra, é necessário que a população local se envolva com este patrimônio histórico, consolidando o valor e o sentido histórico e até mesmo emocional deste para esta população. Há no turismo, e no desenvolvimento do mesmo, uma necessidade cada vez mais premente de se estudar e caracterizar não só os impactos econômicos envolvidos, mas também os impactos ambientais, sociais, psicológicos, geográficos, antropológicos e históricos, apesar do enfoque financeiro ainda ser em grande parte o norteador dos demais estudos. Nesta perspectiva, desenvolveu-se este artigo buscando refletir sobre a possibilidade de reencontrar a identidade histórico-cultural a partir das receitas que caracterizam este polo turístico nacional que é Caldas Novas, tendo como objetivos não apenas compreender a importância da preservação do patrimônio cultural imaterial para o desenvolvimento do turismo, mas também deste como mediador da recuperação e preservação do patrimônio cultural de uma localidade.

Biografia do Autor

Adriana Roveri das Neves, Universidade Estadual de Goiás - Câmpus Caldas Novas

Possui graduação em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1996). Atualmente é professora titular da Universidade Estadual de Goiás. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração de Empresas, atuando principalmente nos seguintes temas: Administração, Planejamento Estratégico, Estratégias Competitivas, Gestão da Qualidade e Produtividade e Atendimento Hoteleiro. Mestre no Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Ambiente e Sociedade na Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Morrinhos, com ênfase em Sustentabilidade e preservação de Patrimônio Histórico Gastronômico, sendo bolsista da FAPEG. Participante do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Sustentável da Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Caldas Novas.

Referências

BARBOSA, Romero Ribeiro. Saberes, sabores e sentidos: a gastronomia no contexto da geografia cultural. In: ALMEIDA, Maria Geralda de; CHAVEIRO, Eguimar Felício; BRAGA, Helaine da Costa (orgs.). Geografia e Cultura: a vida dos lugares e os lugares da vida. Goiânia: Editora Vieira, 2008.

BRAUNE, Renata; FRANCO, Sílvia Cintra. O que é Gastronomia. São Paulo: Brasiliense, 2007.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292p.

CASCUDO, Luís da Câmara. História da alimentação no Brasil. 4. ed. São Paulo: Global, 2011.

DA MATTA, Roberto. O que faz o Brasil, Brasil? Rio de Janeiro, Rocco. 1986.

DIAS, Reinaldo. Turismo e Patrimônio Cultural: recursos que acompanham o crescimento das cidades. São Paulo: Saraiva, 2006.

FAGLIARI, G. S. Turismo e Alimentação: Análises introdutórias. Ed.Roca, São Paulo, 2005.

FLANDRIN, J. L. MONTANARI, M. A história da alimentação. Paris. Ed. Fayard, 1996.

GODOY, José Teóphilo de. História e Estórias de Caldas Novas. Goiânia: Oriente, 1978.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- Cidades/Goiás/Caldas Novas. 2010. Disponível em < http://cod.ibge.gov.br/EIL> Acesso em abr 2017

IPHAN - Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Cartas Patrimoniais. 2015. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/portal/montarPaginaSecao.do?id=17575&sigla=Institucional&retorno=paginaInstitucional>. Acesso em: 30/04/2017.

IPHAN. Termo de Referência para a Salvaguarda de bens Registrados como Patrimônio Cultural do Brasil. s.d. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/portal/baixaFcdAnexo.do?id=1911> Acesso em: 30/04/2017

MACHADO, Jurema; BRAGA, Sylvia. Comunicação e Cidades Patrimônio Mundial no Brasil. Brasilia: UNESCO, IPHAN, 2010.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Os “usos culturais” da cultura. IN YÁZIGI, Eduardo; CARLOS, Ana Fani Alessandri; CRUZ, Rita de Cássia Ariza da (organizadores). Turismo: espaço, paisagem e cultura. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1999

MÜLLER, Silvana Graudenz. Patrimônio Cultural Gastronômico: identificação, sistematização e disseminação dos saberes e fazeres tradicionais. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina – Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, 2012. Tese de Doutoramento. Disponível em: http://btd.egc.ufsc.br/wp-content/uploads/2012/05/Silvana-Graudenz-M%C3%BCller.pdf Acesso em Abril 2017.

MÜLLER, Silvana Graudenz, AMARAL, Fabiana Mortimer e REMOR, Carlos Augusto. Alimentação e cultura: preservação da gastronomia tradicional. Anais do VI Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul. Caxias do Sul, Julho 2010. Disponível em: http://www.ucs.br/ucs/tplVSeminTur%20/eventos/seminarios_semintur/semin_tur_6/gt13/arquivos/13/Alimentacao%20e%20Cultura%20Preservacao%20da%20Gastronomia%20Tradicional.pdf Acesso em Abril 2017.

OLIVEIRA, Hamilton Afonso de. Uma reflexão histórica do turismo: o caso Caldas Novas (1970-1990). Dissertação de mestrado apresentada à Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2001

NARDIN, Caroline Rigo. Gostos, aromas e sabores: memórias e turismo gastronômico em Bento Gonçalves. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2015. Dissertação de Mestrado.

ORTENCIO, Waldomiro Bariani. A Cozinha Goiana: estudo - receituário. 2ª ed. Goiânia, Oriente, 1980.

PAULO, Renata Ferreira Calado de. O turismo e a dinâmica intra-urbana de Caldas Novas (GO): uma análise da expansão e reestruturação do complexo hoteleiro. Dissertação de mestrado apresentada ao programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2005.

PELEGRINI, Sandra C. A. Cultura e natureza: os desafios das práticas preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 26, nº 51, p. 115 – 140, 2006.

PELLEGRINI FILHO, Américo. Ecologia, cultura e turismo. Campinas, SP: Papirus, 1993.

ROSSI, Paolo. Comer: necessidade, desejo, obsessão. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

SIQUEIRA, Michel Chelala. Caldas Novas 100 anos. Brasília: Academia Brasileira de Arte, Cultura e História; São Paulo: Instituto Biográfico do Brasil – IBB, 2012.

SCHLÜTER, Regina G. Gastronomia e Turismo. São Paulo, Aleph, 2003.

UNESCO. Recomendação para a salvaguarda do patrimônio cultural imaterial. Disponível em: <http://www.unesco.org.br/areas/cultura/areastematicas/patrimonio/ patrimonioimaterial/index_html/mostra_documento> Acesso em: 01/05/2017.

VARINE, Hugues de. As raízes do futuro: o patrimônio a serviço do desenvolvimento local. Trad. Maria de Lourdes Parreiras Horta. Porto Alegre: Medianiz, 2012

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

das Neves, A. R. (2019). Gastronomia e Turismo Reflexões Sobre a Preservação da Culinária Tradicional na Cidade de Caldas Novas (Go). RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1500

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura