Memória, Identidade e Patrimônio Quilombola

Autores

  • Rodrigo da Costa Segovia Universidade Federal de Pelotas - UFPel
  • Davi Kiermes Tavares Universidade Federal de Pelotas - UFPEL
  • Gisele Dutra Quevedo Universidade Federal de Pelotas - UFPEL
  • José Paulo Seifert Brahm Universidade Federal de Pleotas - UFPEL

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.150

Palavras-chave:

Comunidades Quilombolas, Patrimônio, Memória, Identidade

Resumo

Este artigo visa analisar a Comunidade Quilombola, sua memória e identidade, nesse contexto busca-se dialogar com a pesquisa que está sendo desenvolvida junto a Comunidade Quilombo Madeira, bem como com o projeto para conclusão do Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas. Sendo assim não foi possível deixar de fazer colocações relacionadas a Comunidades Quilombolas, em primeiro momento abordam-se questões relativas ao termo quilombola, logo a pós uma breve apresentação da comunidade onde a pesquisa está sendo efetuada e por final acerca-se com maior ênfase as discussões sobre Memória e Identidade.

Referências

AGIER, Michel. Distúrbios identitários em tempos de globalização. Mana, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, out. 2001.

Ameida, Alfredo Wagner Berno. Os quilombos e as novas etnias: é necessário que nos libertamos da definição arqueológica, In: LAITÃO, Sérgio (Org.). Direitos territoriais das comunidades negras rurais. Documentos do ISA, N. 5. 1999. Vitória/ES.

BEZERRA. Daniele Borges, LENEDEFF. Tatiana Bolivar. Lugares de afeto nada empoeirados: Uma discussão sobre memória e identidade do idoso asilado, o registro como promoção de saúde mental. XI Encontro Estadual de História. Furg 2012.

BOHN. Letícia Ribas Diefenthaeler. Patrimônio Histórico cultural da Ilha da Rita: refletindo sobre identidades e heranças culturais. Tamanini – Joinville: Ed. UNIVILLE, 2010.

BRASIL. Constituição Federal, 1988.

CANDAU, Joel. Conflits de memóire: pertinence d’une metaphore? In: BONNET, Véronique (sous la direction de). Conflits de Mémoire. Paris: Khartala, 2004.

CANDAU, Joel. Bases antropológicas e expressões mundanas da busca patrimonial: memória, tradição e identidade. Memória em Rede, Pelotas, v.1,n.1, jan/jul.2009. p.43-58.

CANDAU, Joel. Memória e Identidade. Tradução: Maria Leticia Ferreira. São Paulo: contexto, 2011.

CANDAU, Joel. Memória e Identidade: do indivíduo às retóricas holistas. Memória e Identidade. Tradu¬ção Maria Leticia Ferreira, 1ªed., São Paulo: Contexto, 2012. p. 21-57

CAPA. Revelando os quilombos do Sul. Pelotas, 2010.

CHAUÍ, Marilena Cidadania cultural, 1ª Ed. – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2006.

DECRETO 4887/2003, de 20 de novembro de 2003, trata sobre a regulamentação do reconhecimento de terras quilombolas. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/D4887.htm Acesso em 05.08.2015.

DURAND, Gilbert. O Imaginário: ensaio a cerca das ciências sociais e da filosofia da imagem. Trad. Renée Eve Levié. 2 ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2001.

FERREIRA, Maria Letícia. A Memória dos Santos Lugares. Revista Memória em Rede. Pelotas, v.1, n1, dez. 2009/mar. 2010.

FERREIRA. Maria Letícia Mazzucchi, CERQUEIRA. Fabio Vergara. Mulheres e doces: o saber-fazer na cidade de Pelotas. Revista Patrimônio e Memória

São Paulo, Unesp, v. 8, n.1, p. 255-276, janeiro-junho, 2012.

FUNARI, P. P. A. & PELEGRINI, S. C. A. Patrimônio Histórico e Cultural. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006. 72p.

IZQUIERDO, Ivan. Memórias. Estudos históricos [online]. 1989, vol.3, n.6, pp. 89-112.

MAETRI FILHO, Mario José. O Escravo no Rio Grande do Sul: a charqueada e a gênese do escravismo gaúcho. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes; Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 1984.

MAGALHÃES, Fernando Museus Património e Identidade: Ritualidade, Educação, Conservação, Pesquisa, Exposição. Porto, Portugal: Profedições, Ltda/ Jornal a Página. 2005.

MILLER, Brenda. Cognitive neurosciences and the study of memory .Neuron, Vol. 20, 445–468, March, 1998

NORA, Pierre apud LE GOFF, Jacques. A História Nova. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1993, p.7.

REBOUÇAS. Jaqueline Argolo. MEMÓRIA E IDENTIDADES: ENTRE AS REPRESENTAÇÕES DE UMA CIDADE (AMARGOSA, 1930 – 1950). III Encontro Baiano de Estudos em Cultura. 2012.

RODRIGUES. Ana Ramos, SERRES, Juliane Primon. Museu: memória e esquecimento, do individual ao coletivo. Revista Mouseion. Canoas, n. 14, abr. 2013.

SOMBRA,Paula. Un parcours collectif autour du militantisme politique en Argentine : de la mémoire des « combattants révolutionnaires » aux discours sur la victimisation , Conserveries mémorielles [En ligne], # 15 | 2014.

HALBWACHS, Maurice. Les cadres sociaux de la mémoire. Paris: Mouton, 1976.

HALBWACHS, M. “A invenção das tradições” In: HOBSBAWN, E. e RANGER, E, (orgs). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

Downloads

Publicado

31/12/2015

Como Citar

da Costa Segovia, R., Kiermes Tavares, D., Dutra Quevedo, G., & Seifert Brahm, J. P. (2015). Memória, Identidade e Patrimônio Quilombola. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 1(02), 302–312. https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.150

Edição

Seção

Dossiê - Cultura, Fronteira e Relações Internacionais

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.