Na construção de uma imagem, o passado se faz presente

Autores

  • Juliana de Sá França Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1497

Palavras-chave:

América Latina, Discurso, Diversidade Cultural, Memória.

Resumo

Sabe-se que a língua não é neutra e que povos, lugares e, até mesmo, o status de uma língua estrangeira são constituídos no e pelo discurso. A partir da memória discursiva, que se apresenta permeada pela ideologia, os sujeitos significam o mundo por meio da linguagem ao mesmo tempo em que são interpretados por seus interlocutores. Assim, a abordagem de determinados temas selecionados pelos livros didáticos pode reforçar ou romper com sentidos que permeiam o imaginário dos sujeitos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. Tendo por base os fundamentos da Análise de Discurso de linha francesa, em especial a noção de memória, este trabalho objetiva refletir sobre efeitos de sentido relacionados à América Latina em uma unidade sobre diversidade cultural, presente em um livro didático de Língua Espanhola aprovado pelo Programa Nacional do Livro Didático. Para tanto, em um primeiro momento, apresenta-se um panorama sobre o ensino de línguas estrangeiras segundo a perspectiva discursiva, contemplando, também, o que preconizam documentos norteadores do ensino no Brasil em relação à diversidade cultural dos povos de fala hispana. Por fim, num gesto interpretativo, são apresentados efeitos de sentido sobre a América Latina a partir da materialidade discursiva analisada, observando se houve a superação de uma prática de ensino na Língua Espanhola que, durante muito tempo, pareceu mover-se em uma só direção: da Europa para os demais países. Entende-se que a língua não é um instrumento dócil e manejável, mas uma materialidade em que são tecidos discursos, sujeitos e memórias, o que possibilita questionamentos em torno dos discursos mobilizados no processo de ensino-aprendizagem.

Biografia do Autor

Juliana de Sá França, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora, Mestra e Licenciada em Letras pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Professora efetiva do curso de Letras Português/Espanhol da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, campus Marechal C. Rondon.

Referências

ANTUNES, Viviane Conceição; MODESTO, Wallace Oliveira. Herança africana nos livros didáticos de espanhol: ainda em busca da representatividade. IN: BARROS, Cristiano Silva de; COSTA, Elzimar Goettenauer; FREITAS, Luciana Maria Almeida. O livro didático de espanhol na escola brasileira. Campinas: Pontes Editores, 2018.

BRASIL. Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC, 2006.

______. Edital de Convocação 01/2013 - Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas para o programa nacional do livro didático PNLD 2015. Brasília, 2013.

______. Guia de livros didáticos PNLD 2015: língua estrangeira moderna. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2014.

CELADA, María Teresa. O espanhol para o brasileiro: uma língua singularmente estrangeira. 2002. [s.n.] Tese (Doutorado). Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, 2002.

COIMBRA, Ludmila; CHAVES, Luiza Santana; BARCIA, Pedro. Cercanía Joven: espanhol, 1º ano. São Paulo: Edições SM, 2013.

CORACINI, Maria José Rodrigues Faria. Pobreza e marginalidade em livro didático de francês como língua estrangeira: entre o poder e a discriminação. In: CORACINI, Maria José Rodrigues Faria; CAVALLARI, Juliana Santana. (Orgs.). (Des)construindo verdade(s) no/pelo material didático: discurso, identidade, ensino. Campinas: Pontes, 2016.

CORACINI, Maria José Rodrigues Faria; CAVALLARI, Juliana Santana. Prefácio. In: CORACINI, Maria José Rodrigues Faria; CAVALLARI, Juliana Santana. (Orgs.). (Des)construindo verdade(s) no/pelo material didático: discurso, identidade, ensino. Campinas: Pontes, 2016.

FERREIRA, Maria Cristina Leandro. O lugar do social e da cultura numa dimensão discursiva. IN: IN: INDURSKY, Freda; MITTMAN, Solange; FERREIRA, Maria Cristina Leandro (orgs.). Memória e história na/da Análise do Discurso. Campinas: Mercado de Letras, 2011.

LESSA, Giane da Silva Mariano. Memórias e identidades latino-americanas invisíveis e silenciadas no ensino-aprendizagem de espanhol e o papel político do professor. IN: ZOLIN-VESZ, Fernando (Org.). A (in)visibilidade da América Latina no ensino de Espanhol. Campinas: Pontes Editores, 2013.

MARIANI, Bethânia. Colonização linguística. Campinas: Pontes, 2004.

NOGUEIRA, Alessandra Sartori. Efeitos da memória discursiva na estereotipagem do povo brasileiro quando comparado ao estadunidense e ao inglês. IN: BERTOLDO, Ernesto Sergio; MUSSALIM, Fernanda (orgs.). Análise do discurso: aspectos da discursividade no ensino. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2006.

ORLANDI, Eni. Terra à vista: discurso de confronto entre o Velho e o Novo Mundo. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

PÊCHEUX, Michel. A Análise de Discurso: três épocas (1983). IN: GADET, F.; HAK, T. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

REVUZ, Christiane. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. IN: SIGNORINI, Inês (org.). Lingua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. São Paulo: Mercado de Letras, 2016.

RIBEIRO, Darcy. América Latina: a pátria grande. São Paulo: Global, 2017.

SERRANI-INFANTE, Silvana. Identidade e segundas línguas: as identificações no discurso. IN: SIGNORINI, Inês (org.). Lingua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. São Paulo: Mercado de Letras, 2016.

SOUZA, Deusa Maria. Gestos de censura. IN: CORACINI, Maria José Rodrigues Faria (org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. Campinas: Pontes, 1999.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

de Sá França, J. (2019). Na construção de uma imagem, o passado se faz presente. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1497

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura