Práticas de racismo e xenofobia contra universitários caribenhos em Belém do Pará

Autores

  • Felipe Carlos Damasceno e Silva Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1485

Palavras-chave:

Racismo, Xenofobia, Universitários, Caribenhos

Resumo

Este trabalho nasceu a partir da produção de uma pesquisa de iniciação científica na qual se pode verificar, através do processo reflexivo, a demanda de investigar mais a fundo as relações cotidianas do/as interlocutores/as participantes. A princípio, se pretendia pesquisar sobre as relações de gênero existentes entre universitários/as haitianos/as no contexto da cidade de Belém do Pará. No entanto, através das primeiras entrevistas semiestruturadas realizadas no âmbito da referida pesquisa, foram identificados relatos de racismo e xenofobia sofridos pelos/as já mencionados/as estudantes. Diante do exposto se julgou pertinente alterar as categorias analíticas da pesquisa, estendê-la a uma monografia de conclusão da graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Pará, e, além de haitianos/as, expandir os/as sujeitos/as pesquisados/as para universitários/as oriundos/as dos demais países caribenhos. Esta pesquisa está dividida em três partes. Na primeira parte apresento um levantamento bibliográfico acerca da literatura sobre racismo e xenofobia buscando sinalizar as contribuições mais importantes sobre estas categorias em distintos contextos geográficos. Na segunda parte, ao realizar entrevistas semiestruturadas, busco identificar práticas de racismo e xenofobia no dia-a- dia de universitários/as oriundos/as de países caribenhos em Belém do Pará, e em seguida analisar seus impactos. Ao finalizar, faz-se um debate visando instigar novas pesquisas que contribuam para a luta antirracista.

Biografia do Autor

Felipe Carlos Damasceno e Silva, Universidade Federal do Pará

Graduado em Ciências Sociais(UFPA).

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. Xenofobia: Medo e Rejeição ao Estrangeiro. São Paulo: Cortez, 2016.

BAGGIO, Roberta Carmineiro; NASCIMENTO, Daniel Braga. Do Estatuto do Estrangeiro à nova Lei de Migração no Brasil: breves apontamentos. In: Migrações e direitos humanos: Problemática Sócioambiental, MÉJIA, Maria Rosa Gaviria (org). Ed: UNIVATES, 2018

BANTON, Michael. A ideia de raça. 1979.

BRASIL. Histórico do programa estudante convenio graduação – PEC-G. Disponível em: http://www.dce.mre.gov.br/PEC/G/historico/introducao.php. Acesso em: 15/09/2018.

______ . Histórico do programa estudante convenio pós-graduação – PEC-PG. Disponível em: http://www.dce.mre.gov.br/PEC/PG/historico.html. Acesso em: 15/09/2018.

CABECINHAS, Rosa. Racismo e xenofobia: a actualidade de uma velha questão. Comunicación e Cidadanía. n.2 2008 (p.163-181).

CRUZ NETO, Reinaldo Venâncio da. No Brasil, xenofobia tem cor e alvo: a realidade do deslocamento humano de haitianos ao Brasil, através do Estado do Acre, pós-catástrofe natural no Haiti em 2010. 2017. 135 f., il. Dissertação (Mestrado em Direito)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

DA EDUCAÇÃO SUPERIOR, INEP Censo. Divulgação dos Principais Resultados. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Ministério da Educação (MEC), 2016.

DA SILVA, Paulo Vinicius Baptista; TEIXEIRA, Rozana; PACIFICO, Tânia Mara. Políticas de promoção de igualdade racial e programas de distribuição de livros didáticos. Revista Educação e Pesquisa, v. 39, n. 1, p. 127-143, 2013.

DE MELO ROSA, Renata; DE MORAIS ALCÂNTARA, Pedro Ivo. Em busca do visto prometido: uma análise da política migratória brasileira e as aspirações da população haitiana migrante em Porto Velho/RO 10.5102/uri. v12i2. 3196. Revista Universitas: Relações Internacionais, v. 12, n. 2, 2015.

DE SOUZA, Arivaldo Santos. Racismo Institucional: para compreender o conceito. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 1, n. 3, p. 77-88, 2011.

DE SOUSA LIMA, Luciana; FEITOSA, Giulliany Gonçalves. Sair da África para estudar no Brasil: fluxos em discussão. Revista Psicologia & Sociedade, v. 29, 2017.

DUARTE, Rosália. Pesquisa qualitativa: reflexões sobre o trabalho de campo. Cadernos de pesquisa, n. 115, p. 139-154, 2002.

TODOROV, Tzvetan.. Nós e os outros: a reflexão francesa sobre a diversidade humana. Jorge Zahar: Rio de Janeiro, 1993.

HIRSCH, Olivia Nogueira. “A gente parece um camaleão: (re)construções identitárias em um grupo de estudantes cabo-verdianos no Rio de Janeiro. Pro-Posições, v.20, n.1. Campinas, 2009 (p.65-81).

LÓPEZ, Laura Cecilia. O conceito de racismo institucional: aplicações no campo da saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 16, p. 121-134, 2012.

LIMA, Marcus Eugênio Oliveira; VALA, Jorge. As novas formas de expressão do preconceito e do racismo. Estudos de psicologia (Natal), 2004.

MOORE, Carlos W. Racismo & Sociedade: novas bases epistemológicas para entender o racismo. Mazza, 2007.

MUNGOI, Dulce Maria Domingos Chale João. Ressignificando identidades: um estudo antropológico sobre experiências migratórias dos estudantes africanos no Brasil. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, v. 20, n. 38, 2012.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Editora Perspectiva SA, 2016.

PAULA, Elder Andrade de. Entre desastres e transgressões, a chegada dos imigrantes haitianos no “reino deste mundo amazônico”. Novos Cadernos NAEA, v. 16, n. 2, 2013 (p.187-206).

PISCITELLI, A. G. Tradição oral, memória e gênio: um comentário metodológico. In: Cadernos Pagu. Trajetórias e sentimentos. Campinas, IFCH/UNICAMP, n.1, 1993. Brasil e no Rio Grande do Sul. Tempo da Ciência, v. 23, n. 46, p. 115-131.

Quijano, Aníbal. "Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina.(2000)." Edgardo Lander (comp.) La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales. Perspectivas Latinoamericanas. Buenos Aires, Argentina: CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales: 201-246.2005.

RIBEIRO, Djamilla. O que é lugar de fala? Justificando, 2017.

ROCHA-TRINDADE, M. B. Sociologia das migrações. Lisboa: Universidade Aberta, 1995.

SANTOS, Ivair Augusto Alves dos. Direitos humanos e as práticas de racismo. In: Direitos humanos e as práticas de racismo. 2013.

SIMMEL, Georg. Soziologie. Untersuchungen über die Formen der Vergesellschaftung (Sociologia. Estudos sobre as formas de sociação). Berlim, Duncker e Humblot Editores, 1908, pp. 509 a 512. Tradução de Mauro Guilherme Pinheiro KOURY, 2005.

SILVA, Kelly; MORAIS, Sara Santos. Tendências e tensões de sociabilidade de estudantes dos Palop em duas universidades brasileiras. Pro-Posições, v. 23, n. 1, p. 163-182, 2012.

SOUZA, Arivaldo Santos de. Racismo Institucional: para compreender o conceito. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 1, n. 3, 2011 (p. 77-88).

SUBUHANA, Carlos et al. A experiência sociocultural de universitários da África Lusófona no Brasil: entremeando histórias. Pro-Posições, v. 20, n. 1, p. 103-126, 2009.

THOMAZ, Omar Ribeiro. Eles são assim: racismo e o terremoto de 12 de janeiro de 2010 no Haiti. Cadernos de Campo (São Paulo, 1991), v. 20, n. 20, 2011 (p. 273-284).

WERNECK, Jurema. Racismo institucional e saúde da população negra. Saúde e Sociedade, v. 25, p. 535-549, 2016.

VALENCIO, N. Da morte da qimera à procura de Pégaso: a importância da interpretação sociológica na análise do fenômeno chamado desastre. In: VALENCIO, N. et al. (Orgs.). Sociologia dos desastres. Construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: Rima, 2009.

VÉRAN, Jean-François; DA SILVA NOAL, Débora; FAINSTAT, Tyler. Nem refugiados, nem migrantes: a chegada dos haitianos à cidade de Tabatinga (Amazonas). Revista de Ciências Sociais, v. 57, n. 4, 2014.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

e Silva, F. C. D. (2019). Práticas de racismo e xenofobia contra universitários caribenhos em Belém do Pará. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1485

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura