O ensino de espanhol em escolas pelotenses

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.148

Resumo

Este trabalho analisa a realidade do ensino de língua espanhola em escolas de Ensino Fundamental e Médio da cidade de Pelotas (RS). A ideia surgiu a partir de observações realizadas na disciplina de Estágio de Observação, do curso de Português e Espanhol da UFPel, no semestre 2015/1, a partir do momento em que se pôde perceber que o que o estagiário encontra em sala de aula não condiz com o que é estudado, principalmente em aulas de Linguística Aplicada. Para este estudo, utilizaram-se relatos obtidos pelo autor deste trabalho e de mais quatro informantes, os quais estagiaram em escolas da rede pública pelotense no mesmo período. A análise comparativa fundamentou-se principalmente em textos de teorias de aprendizagem de línguas estrangeiras e nos PCN’s para o ensino de LE’s no Brasil, de modo a contrastar o que afirmam os teóricos e o que realmente encontrou-se nas escolas. Este estudo ancora-se na abordagem qualitativa e na metodologia aplicada por serem formas de pesquisa mais relacionadas às experiências humanas, suas interpretações terem carácter mais flexível e por permitirem uma melhor aplicação ao ensino e aprendizagem de LE. Os resultados obtidos indicam que a realidade do ensino de espanhol nas escolas difere do que ensinam os professores na universidade, pois se percebeu que o ensino dessa língua é precário, não indo ao encontro do que sugerem os PCN’s, no que se refere à transformação do aluno em agente discursivo em LE.

Palavras-chave: aprendizagem, espanhol, língua estrangeira.

Biografia do Autor

Erick Rosa Hernandes, Universidade Federal de Pelotas

Licenciando em Letras - Português e Espanhol.

Downloads

Publicado

31/12/2015

Como Citar

Hernandes, E. R. (2015). O ensino de espanhol em escolas pelotenses. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 1(02), 41–50. https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.148

Edição

Seção

Dossiê - Educação, Política e Sociedade