Paradiplomacia nas Relações Internacionais: a importância da cultura como elemento transformador do cenário político internacional

Autores

  • Nikolas Yoshitaka Konishi Bacharel em Relações Internacionais - UFPel

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.146

Palavras-chave:

Relações Internacionais, Cultura, Diplomacia, Paradiplomacia, Diplomacia Cultural

Resumo

O presente artigo possui como objetivo apresentar uma perspectiva das relações internacionais onde novos atores adentram aos processos diplomáticos, até então exclusivos das interações entre Estados-Nação. Na paradiplomacia, o Subnacional (regiões, estados federais e municípios), organizações e sociedade civil começam a dividir espaços antes restritos às governanças, auxiliando o desenvolvimento de políticas públicas. Com a crescente relevância dos estudos conceituais sobre Cultura, demonstra-se cada vez mais o papel importante que esta desempenha nas relações exteriores. Assim sendo, este trabalho terá como objetivo compreender as ações paradiplomáticas e qual a relevância da Cultura, em conjunto com a Teoria das Relações Internacionais, como instrumento de desenvolvimento para estas políticas. Observaremos ações políticas que ocorrem na zona de fronteira entre Brasil e Uruguai, para identificar as ações paradiplomáticas existentes.

Referências

ACHUGAR, Hugo. Planetas sem Boca. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.

AGUIRRE, I. Making sense of Paradiplomacy? An Intertextual Inquiry about a Concept in Search of a Definition . In: Aldecou, F. and Keating, M.(Eds.) Paradiplomacy in Action: the foreign relations of subnational governments. London/Portland, OR: Frank Class, 1999.

APPADURAI, ARJUN. Soberania sem territorialidade: notas para uma geografia pós nacional. Novos Estudos Cebrap, n.49, 1997.

APPADURAI, Arjun. Dimensões culturais da globalização: a modernidade sem peias. Lisboa: Teorema, 2004. 304p.

BALDWIN, David A. “Neoliberalism, Neorealism, And World Politics”. David A. Baldwin (ed.): Neorealism and neoliberalism: the contemporary debate (New York: Columbia University Press, 1993), pp.3-28.)

DIAS, Reinaldo. Um tema emergente nas Relações Internacionais: A paradiplomacia das cidades e municípios. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIII, n. 79, ago 2010. Disponível em: <http://www.ambitojuridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=8156>. Acesso em 05 de outubro de 2014.

DUCHACEK, Ivo. Perforated Sovereignties: Towards a Typology of New Actors in International Relations. In: Federalism and International Relations: the role of subnational units/ Ed: Hans MICHELMANN &Panayotis SOLDATOS. Oxford: Claredon Press, 1990, p. 1-33.

Federação Nacional dos Estudantes de Relações Internacionais: Disponível em: <http://www.feneri.org.br/feneri/faculdades>. Acesso em: 05 de outubro de 2014.

FREITAS, Cibele B. Figueiredo Freitas, Publicação: Estudo do Espaço Fronteiriço na obra “Uma terra só”, de Aldyr Garcia Schlee. Disponível em <http://www.celpcyro.org.br/joomla/index.php?option=com_content&view=article&Itemid=0&id=540>. Acesso em: 16 de novembro de 2014.

Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Gabinete do Governador - Assessoria de Cooperação e Relações Internacionais, Entrevista: Assessor fala sobre desdobramentos do Plano de Fronteira RS. Disponível em <http://www.relinter.rs.gov.br/conteudo/1197/?Entrevista%3A_assessor_fala_sobre_desdobramentos_do_Plano_de_Fronteira_RS >. Acesso em: 19 de novembro de 2014

Governo Municipal de Bagé, Matéria: Governo Brasileiro aprova projeto de Valorização do Patrimônio Cultural de Bagé. http://www.bage.rs.gov.br/noticias_visualiza.php?id=1570>. Acesso em: 19 de novembro de 2014.

GUIMARÃES, Lytton L. Relações Internacionais como Campo de Estudo. Cadernos da REL. Brasília: UnB, 2001.

HALL, stuart. A Identidade Cultural Na Pós-Modernidade. 7.ED. RIO DE JANEIRO: DP&Z, 2003.

HOBBES, T. Leviatã. São Paulo: Ícone, 2000, p. 95.)

KANT Immanuel. À paz perpétua. Trad. Sod a direção de Marco Zingano. Porto Alegre: LP&M, 2008.

IBGE, Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/fronteira.shtm?c=3>. Acesso em: 25 de outubro de 2014.

Manifesto Cultural da Fronteira Brasil-Uruguai. Disponível em: <http://primaveracomdilma.cc/manifesto-cultural-da-fronteira-brasil-uruguai/> Acesso em: 15 de outubro de 2014.

Ministério das Relações Exteriores - Agência Brasileira de Cooperação. Disponível em <http://www.abc.gov.br/>. Acesso em: 19 de novembro de 2014

MAQUIAVEL, N. O príncipe. São Paula: Revista dos Tribunais, 1997, p. 81.)

MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensão do homem. São Paulo. Cultrix,1964.

MINIUCI, Geraldo. Diplomacia federativa. São Paulo: mimeo, 2004.

MOREIRA, F de A; SENHORAS, E. M.; VITTE, C. de C. S. Geopolítica da Paradiplomacia Subnacional: um estudo sobre a extroversão internacional dos municípios da rede de Mercocidades. Disponível em <http://works.bepress.com/cgi/viewcontent. cgi?article=1121&context=eloi>. Acesso em: 05 de novembro de 2014.

MOREIRA, Maria Eunice. Portugueses e castelhanos na literatura sul-rio-grandense. Boletim – Revistada Associação Internacional de Leitura – Conselho Brasil Sul, nº 1-4, 1989.

NICOLSON, Harold. La diplomacia. México: FCE, 1955.

NYE, Joseph S. Soft Power: The Means to Success in World Politics. New York : Public Affairs, 2004.

PRIETO, Noé Cornago. O outro lado do novo regionalismo pós-soviético e da ásia-pacífico. In: VIGEVANI, Tullo (Org.). A dimensão subnacional e as relações internacionais. São Paulo: Unesp, 2004, p. 252-252

RIBEIRO, Antônio. Construir com o outro: A diversidade está naturalmente a misturar-se. 2008. Disponível em: < http://www.snpcultura.org/vol_construir_com_outro.html>. Acesso em: 16 de novembro de 2015.

RIBEIRO, Edgard Telles. Diplomacia Cultural: Seu Papel na Política Externa Brasileira. Fundação Alexandre Gusmão. Brasília, 2011. Disponível em: < http://funag.gov.br/loja/download/824-Diplomacia_Cultural_-_Seu_papel_na_PolItica_Externa_Brasileira_2011.pdf>. Acesso em: 17 de novembro de 2015.

SCHLEE, Aldyr Garcia. Uma terra só. São Paulo: Melhoramentos, 1984.

SINGER, J. David. Review: International Conflict: Three Levels of Analysis, World Politics, Vol. 12, No. 3. (Apr., 1960), pp. 453-461.

SINGER, J. David. The Level-of-Analysis Problem in International Relations, World Politics, Vol. 14, No. 1, The International System: Theoretical Essays. (Oct., 1961), pp. 77-92.

SOLDATOS, P. An Explanatory Framework for the Study of Federal States as Foreign-policy Actors. In: Michelmann, H.J. and Soldatos, P. (Eds.) Federalism and International Relations: the role of subnational units. Oxford: Claredon Press, 1990. Pp. 34-53

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

RUBIM, Antonio Albino Canelas. Políticas culturais do Governo Lula / Gil: desafios e enfrentamentos. Salvador, 2007. Disponível em <http://estudosculturais.com/revistalusofona/index.php/rlec/article/download/17/43>. Acesso em: 29 de novembro de 2014.

TELES, Reinaldo; PIERI, Vitor Stuart de; OLIVEIRA, Fabiana. O debate do turismo na paradiplomacia: o caso da Mercocidades. In: Teles, Reinaldo & Pieri, Vitor Stuart de (Orgs.). Turismo e Paradiplomacia das cidades: o local no diálogo com o global. Rio de Janeiro: Cenegri, 2014.

WALTZ, Kenneth N. O Homem, o Estado e a Guerra: uma análise teórica. São Paulo: Martins Fontes, 2004, 331p

WALTZ, Kenneth N. Theory of International Politics. New York: McGraw Hill, 1979.

WIRTZ, James (2007). A New Agenda for Security and Strategy? in BAYLIS, John [et al.].Strategy in the Contemporary World.Second edition. Oxford: Oxford University Press: 337-355

Downloads

Publicado

31/12/2015

Como Citar

Konishi, N. Y. (2015). Paradiplomacia nas Relações Internacionais: a importância da cultura como elemento transformador do cenário político internacional. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 1(02), 284–301. https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.146

Edição

Seção

Dossiê - Cultura, Fronteira e Relações Internacionais