Vivências de uma Trabalhadora Rural: memórias sobre as transformações da/na paisagem

Autores

  • Daniele Brocardo Universidade Estadual do Oeste do Paraná-UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1459

Palavras-chave:

Memórias, Relação Humanos/Meio Natural, Trabalho Agrícola, Vida no Campo.

Resumo

Este trabalho vincula-se à pesquisa que está sendo desenvolvida para a construção de uma tese na área de História. Essa pesquisa objetiva estudar diversas percepções sobre as transformações da/na paisagem que abrange o ecótono da Floresta Ombrófila Mista-FOM com a Floresta Estacional Semidecidual-FES, na região que compreendia o munícipio de Cascavel, no estado do Paraná, entre as décadas de 1950 a 1990. Essas transformações ocorreram a partir, principalmente, das ações de indústrias madeireiras e da agricultura. Deste modo, através da metodologia da História Oral, dialoga-se nesse texto com uma entrevista realizada com a senhora Lurdes Zancanaro Manica, que trabalhou na agricultura e na pecuária, no período e espaço estudados, atuando em diversas propriedades, juntamente com seu marido, já falecido. Espera-se com essa entrevista, considerar algumas de suas memórias construídas como uma mulher trabalhadora rural e as percepções apresentadas sobre as mudanças da/na paisagem. Destarte, o foco do texto ocorre sobre as relações: humanos/meio natural, divisão do trabalho familiar, a vida e o trabalho na agricultura e na pecuária.

Biografia do Autor

Daniele Brocardo, Universidade Estadual do Oeste do Paraná-UNIOESTE

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual do Oeste do Paraná-UNIOESTE, Linha de pesquisa Cultura e Identidades, bolsista CAPES;

Referências

ALENTEJANO, Paulo. Modernização da Agricultura. In: CALDART, Roseli Salete. et al (org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 479-483.

ALMEIDA, G. E. G. Fumo: servidão moderna e violação de direitos humanos. Curitiba: Terra de Direitos, 2005.

ARRUDA, Gilmar. Representações da natureza: história identidade e memória. In: ROLIM, Rivail C.; PELEGRINI, Sandra A.; DIAS, Reginaldo (Orgs). História, Espaço e Meio Ambiente. Maringá: ANPUH-PR. 2000, p.43-65.

CARNEIRO. F.F. et al (Org.). Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro/ São Paulo: Expressão Popular, 2015.

CONTE, Franciéli Aline. Efeitos do consumo de aditivos químicos alimentares na saúde humana. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, nº 181, ano XVI, p.69-81, 2016.

KHOURY, Yara A. O historiador, as fontes orais e a escrita da história. In: ALMEIDA, P. R. de; KHOURY Y. A.; MACIEL, L. A. (orgs.). Outras histórias: memórias e linguagens. São Paulo: Olho d’ Água, 2006. p.22-43.

MAICÁ, Eitel Dias. Sementes. In: CALDART, Roseli Salete et al (org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p.699-706.

MARCELO, Moreno dos Reis, et al. Conhecimentos, atitudes e práticas de agricultoras sobre o processo de produção de tabaco em um município da Região Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública [online], vol.33.p.148-161. 2017. Disponível em:<http://www.scielo.br>.

MENDONÇA, Fernanda Graebin. Alimentos Transgênicos x Alimentos de Qualidade: os desafios jurídicos para a garantia do direito humano à segurança alimentar. 2014. Disponível em: <http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=9fa382e159884a63>. Acesso em: 20/02/2019.

NOCELLI, R. C. F. et al. Riscos de Pesticidas sobre as Abelhas. In. Semana dos Polinizadores, 3, 2012, Petrolina Anais. Palestras e resumos: Embrapa Semiárido. Disponível em:<https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/69299/1/Roberta.pdf>. Acesso: 26/04/2019.

PEREIRA, M. C. de B. Revolução Verde. In: CALDART, Roseli Salete et al (org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p.687-691.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos históricos. Rio de janeiro, v. 5. n 10, p.200-212, 1992.

PORTELLI, Alessandro. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

PRIORI, Angelo Aparecido; PAIXÃO, Letícia Aparecida. A paisagem como fonte histórica e como produtora de memória. História Revista: revista da Faculdade de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Goiás, v. 20, n1, p.158-167, 2015. ISSN 1984-4530. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/historia/article/view/31759. Acesso: 18/07/2018.

SANTOS, M; GLASS, V. (Orgs.) Atlas do Agronegócio: fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll, 2018.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2004.

SCHAMA, Simon. Paisagem e Memória. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Difel, 1980.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Brocardo, D. (2019). Vivências de uma Trabalhadora Rural: memórias sobre as transformações da/na paisagem. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1459

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura