Educação técnica e integração: a política de criação dos Institutos Federais de Fronteiras

Autores

  • Andréa Marcia Legnani UNIOESTE CAMPUS FOZ DO IGUAÇU
  • Silvana Aparecida Souza UNIOESTE CAMPUS FOZ DO IGUAÇU

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1441

Palavras-chave:

Educação Profissional, Fronteira, Políticas Públicas, Território

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo preliminar sobre as possibilidades e desafios da implantação dos Institutos Federais de Fronteira (IFF’s), envolve analisar as categorias território, fronteira, integração, educação profissional, políticas públicas e educacionais, que permeiam o tema abordado.  A pesquisa tem a abordagem qualitativa, que utiliza como estratégia metodológica o estudo comparativo, envolve a consulta bibliográfica e documental. Tem como objetivo compreender e analisar como se efetiva a política de implantação de Institutos Federais de Fronteira.  Optou-se pelo o estudo comparado, pois possibilitou a análise de dois casos de instituições de ensino distintas, observando-os em suas peculiaridades locais e temporais, além de, proporcionar uma interpretação numa perspectiva em que aborda uma temática no campo da educação profissional em região de fronteira, comparando a implantação do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSUL) Campus Santana do Livramento que apresenta uma experiência na oferta de cursos binacionais entre instituições de ensino do Brasil e Uruguai e o Instituto Federal do Paraná (IFPR) – Campus Foz do Iguaçu o qual oferta vagas em curso subsequente para alunos oriundos do Paraguai e Argentina.

Biografia do Autor

Andréa Marcia Legnani, UNIOESTE CAMPUS FOZ DO IGUAÇU

Mestre em Sociedade Cultura e Fronteiras; Aluna Especial da disciplina Territórios, Territorialidades, Poder, Fronteiras e Redes do Programa de Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu – SOCIEDADE, CULTURA E FRONTEIRASUNIOESTE; Foz do Iguaçu, Paraná e Brasil; andrea.legnani@hotmail.com

Silvana Aparecida Souza, UNIOESTE CAMPUS FOZ DO IGUAÇU

 Pós-doutora no Programa de Pós-graduação em Política Social (PPGSP) da UnB, Doutorado em Educação pela USP, Professora Associada do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. E-mail: silvana.souza@unioeste.br

 

Referências

ALBUQUERQUE, J. L. C. A Dinâmica das Fronteiras: deslocamento e circulação dos “brasiguaios” entre os limites nacionais. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n. 31, p. 137-166, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ha/v15n31/a06v1531.pdf . Acesso em 27 dez. de 2018.

BALASSA, B. Teoria da Integração Econômica. Lisboa: Livraria Clássica Editora A. M. Teixeira & (Filhos), 1982.

BRASIL. Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República Oriental da Uruguai para a criação de Escolas e/ou institutos binacionais fronteiriços profissionais e/ou técnicos e para credenciamento de cursos técnicos binacionais fronteiriços, de 1 de abril de 2005. Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/decreto/D8455.htm. Acesso em: 26 dez. de 2018.

BRASIL, Ministério da Integração Nacional. Proposta de Reestruturação do Programa de Desenvolvimento da Faixa de Fronteira, Brasília: Ministério da Integração Nacional, 2005. Disponível em: https://docs.ufpr.br/~adilar/SEMIN%C3%81RIOS%202018/Problem%C3%A1tica%20Fronteiras/Programa%20Nacional%20Faixa%20Fronteira.pdf. Acesso em: 27 dez. de 2018.

CURCIO, D. da R. Cooperação e Integração na Fronteira Brasil–Uruguai Desafios e Perspectivas na Implantação de Cursos Binacionais de Educação Técnica. Anais do I Congresso Brasileiro de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território, 2014.

DINIS, M. A. P.; MELLO, L. M. de. Cursos binacionais: relatos de uma experiência. Santana do Livramento: Ed. Cia do eBook, 2015.

FLICK, U. Introdução a Pesquisa Qualitativa. Tradução: Joice Elias Costa. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

ENGELS, F. A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado. Tradução de Leandro Konder. 9ª ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1984.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. Educação Profissional e Desenvolvimento. Coletânea organizada pelo Centro Internacional de Educação Técnica e Profissional, com o patrocínio da UNESCO. Berlim, 2005. Disponível em: http://redeescoladegoverno.fdrh.rs.gov.br/upload/1392219264_Educa%C3%A7%C3%A3o%20Profissional%20e%20Desenvolvimento.pdf. Acesso em: 07 set. 2016.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Volume 2. 2º ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2001.

LEGNANI, A. M.; CURY, M. J. F. A Política de Implantação dos Institutos Federais de Fronteira: um estudo comparado IFSUL-campus Santana do Livramento e IFPR- campus Foz do Iguaçu. In: Olhares interdisciplinares sobre território e as territorialidades em fronteiras. Curitiba: CRV, 2018.

LUCHETTI, L, A. O papel desempenhado pelo estado no estabelecimento de políticas sociais em áreas de fronteira. In: Contribuciones a las Ciencias Sociales, 2014. Disponível em: < www.eumed.net/rev/cccss/27/políticas-sociales-fronteras.html >. Acesso em: 04 set. 2016.

MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto Comunista. 4ª ed. Tradução Alvaro Pina. São Paulo: Boitempo, 2005. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2545967/mod_resource/content/1/MARX%3B%20ENGELS.%20Manifesto%20Comunista.pdf . Acesso em: 26 de dez. de 2018.

MARX, K. 1818-1883. O capital: crítica da economia política. 35ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

¬¬_________. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. Tradução Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2011. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2804654/mod_resource/content/0/Marx%20-%20O%2018%20Brum%C3%A1rio%20de%20Lu%C3%ADs%20Bonaparte%20%28Boitempo%29.pdf. Acesso em: 26 de dez. de 2018.

NOGUEIRA, R. J. B. Fronteira: Espaço de Referência Identitária? Revista Ateliê Geográfico da Universidade Federal de Goiânia – UFG/IESA. V.1, n.2, Dez/2007, Goiânia-GO, 2007. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/atelie/article/view/3013/3051. Acesso em: 04 set. 2016.

NÓVOA, A. Modelos de análise de educação comparada: o campo e o mapa. In: Educação Comparada: rotas além-mar. Donaldo Bello de Souza e Silvia Alicia Martinez (organizadores). São Paulo: Xamã, 2009.

PARO, V. H. Administração Escolar: Introdução Crítica. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2000.

PESAVENTO, S. J. Além das fronteiras. In: Fronteiras Culturais: Brasil – Uruguai – Argentina. MARTINS, Maria Helena. (org.). São Paulo: Ateliê Editorial, 2002.

PORTAL MEC. Histórico da Educação Profissional. 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/centenario/historico_educacao_profissional.pdf. Acesso em: 5 set. 2016.

RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do Poder. Tradução Maria Cecília França. São Paulo: Editora Ática. 1993.

SILVA, A.; LIMA, P. H. A. O contexto dos Cursos Binacionais na Fronteira Sant’Ana do Livramento-BR/Rivera-UY. In: Cursos binacionais: relatos de uma experiência inovadora. /Miguel Angelo Pereira Dinis, Luciano Moura de Mello. Santana do Livramento: Ed. Cia do eBook, 2015.

SOUZA, S. A. de. Educação, trabalho voluntário e responsabilidade social. São Paulo: Xamã, 2013.

TCU. Tribunal de Contas da União. Relatório: Auditoria Operacional. Avaliação de Governança de Políticas Públicas. Fortalecimento da Faixa de Fronteira. 2014. Disponível em: http://portal.tcu.gov.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=8A8182A24F99F813014FB44F0D0500F4&inline=1. Acesso em: 04 set. 2016.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Legnani, A. M., & Souza, S. A. (2019). Educação técnica e integração: a política de criação dos Institutos Federais de Fronteiras. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1441

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura