Marcas da cultura patriarcal na violência dos corpos femininos: Uma abordagem do Direito Fraterno por uma sociedade não (in) humana

Autores

  • Gabrielle Scola Dutra Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI, campus Santo Ângelo-RS
  • Charlise Paula Colet Gimenez Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões - URI, campus Santo Ângelo.
  • Rosângela Angelin Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus Santo Ângelo-RS.

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1435

Palavras-chave:

Cultura Patriarcal, Direito Fraterno, Mulher, violência dos corpos femininos.

Resumo

A metateoria do Direito Fraterno contribui para a reflexão das realidades e promoção de espaços de alteridade a fim de que o reconhecimento da mulher seja garantido nas sociedades plurais e nos ordenamentos jurídicos. Tem-se a importância da fraternidade por apostar no desempenho de um papel político na interpretação e na transformação do mundo real, revelando um valor heurístico e uma eficácia prática. Se eliminada no cenário social, a fraternidade pode ser resgatada como meio de possibilitar o reconhecimento do outro e de sua alteridade. Justifica-se, portanto, a abordagem da violência dos corpos, a partir da cultura patriarcal, pelo estudo do Direito Fraterno, pois se trata de um Direito sensível, humano e fundamentado na fraternidade que exige o reconhecimento do amigo da humanidade, aquele que reconhece a mulher e possibilita que as relações sociais sejam pautadas na defesa dos Direitos Humanos e da humanidade como lugar comum.

Biografia do Autor

Gabrielle Scola Dutra, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI, campus Santo Ângelo-RS

Mestranda em Direito pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI, campus Santo Ângelo. Bolsista CAPES/TAXA. Membro do grupo de pesquisa: "Tutela dos Direitos e sua Efetividade" (Linha II - Políticas de Cidadania e Resolução de Conflitos), cadastrado no CNPQ e vinculado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direito, Mestrado e Doutorado da URI, campus de Santo Ângelo. Pós-Graduanda em Filosofia na Contemporaneidade (Especialização) pela URI-SA. Graduada em Direito pela URI-SA (2017). Tem experiência na área de Direito. E-mail: gabriellescoladutra@gmail.com.

Charlise Paula Colet Gimenez, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões - URI, campus Santo Ângelo.

Pós-Doutoranda em Direito pela UNIRITTER sob a orientação da professora Doutora Sandra Regina Martini. Doutora em Direito e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul ? UNISC. Especialista em Direito Penal e Processo Penal pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Direito stricto sensu - Mestrado e Doutorado, e Graduação em Direito, todos da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões - URI, campus Santo Ângelo. Coordenadora do Curso de Graduação em Direito da URI. Integrante do Grupo de Pesquisa "Conflito, Cidadania e Direitos Humanos", registrado no CNPQ. Advogada. Atua no estudo do Crime, Violência, Conflito e Formas de Tratamento de Conflitos - conciliação, mediação, arbitragem e justiça restaurativa.

Rosângela Angelin, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus Santo Ângelo-RS.

Pós-Doutora nas Faculdades EST (São Leopoldo). Doutora em Direito pela Universidade de Osnabrueck (Alemanha). Docente do Programa de Pós-Graduação stricto sensu ? Doutorado e Mestrado em Direito e da Graduação em Direito da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus Santo Ângelo-RS. Coordenadora dos Projetos de Pesquisa ?Direitos Humanos e Movimentos Sociais na Sociedade Multicultural?, vinculado ao PPGDireito, acima mencionado. Coordena o Projeto de Extensão "O lugar dos corpos das Mulheres na Sociedade: uma abordagem do corpo e da defesa pessoal". Líder do Grupo de Pesquisa registrado no CNPQ "Direitos de Minorias, Movimentos Sociais e Políticas Púbicas". Integrante do Núcleo de Pesquisa de Gênero da Faculdades EST. Integra a Marcha Mundial de Mulheres. Colaboradora em Projetos Sociais junto a Associação Regional de Desenvolvimento, Educação e Pesquisa (AREDE). 

Referências

ANDRADE, Vera Regina Pereira de. A soberania patriarcal: O Sistema de Justiça Criminal no tratamento da violência sexual contra a mulher. Boletim IBCCRIM, São Paulo, v. 1, n. 137, abr. 2004. Disponível em:<https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/15185/13811>. Acesso em: 05 abr. 2018.

ANGELIN, Rosângela. Mulheres e ecofeminismo: Uma abordagem voltada ao desenvolvimento sustentável. Revista Universidad en Diálogo. Vol. 7, N.°1, Enero-Junio 2017, pp. 51-68. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

ANGELIN, Rosângela; MADERS, Angelita Maria; BUSANELLO, Elisabete. Mulheres no espaço público: complexidades, desafios e limitações. In: VERONESE, Osmar; ANGELIN, Rosângela [Orgs.]. Direito de Minorias, Movimentos Sociais e Políticas Públicas. Santo Ângelo/RS: FuRI, 2018, p. 103-118.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo: fatos e mitos. 3. ed.. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2016.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 2ª ed., Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

COMPARATO, Fábio Konder. A Afirmação histórica dos direitos humanos. 3 ed. rev. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2003.

FREUND, Julien. Sociología del conflicto. Traduccion de Juan Guerrero Roiz de la Parra. Madrid: Ministério de Defensa, Secretaria General Técnica, D.I.., 1995.

GIMENEZ, Charlise Paula Colet. O novo no Direito de Luis Alberto Warat: Mediação e Sensibilidade. Curitiba: Juruá, 2018.

GIMENEZ, Charlise Paula Colet. PIAIA, Thami Covatti. O tratamento dos novos conflitos na pós-modernidade pelo direito fraterno: crises, migrações e insurgências. Revista Novos Estudos Jurídicos. Vol. 22. N. 1. Jan./abr. 2017. Disponível em: <https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/nej/article/view/10633/5970>. Acesso em: 10 jun. 2018.

GIMENEZ, Charlise Paula Colet; ANGELIN, Rosângela. O conflito entre os Direitos Humanos, cultura e religião sob a perspectiva do estupro contra mulheres no Brasil. In: Revista Direito em Debate. v. 26. n. 46 (2017). Disponível em: <https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/revistadireitoemdebate/article/view/6922>. Acesso em: 06 Dez. 2018.

GIMENEZ, Charlise Paula Colet. SPENGLER, Fabiana Marion. O mediador na resolução 125/2010 do CNJ: um estudo a partir do Tribunal Múltiplas Portas. Águas de São Pedro: Livro Novo, 2016

HAHN, Noli Bernardo. Um direito com sabor de injustiças e humilhações: um ensaio relacionando hermenêutica de gênero e direitos humanos. In: GIMENEZ, Charlise Paula Colet. LYRA, José Francisco Dias da Costa. Diálogo e entendimento: Direito, Multiculturalismo & políticas de cidadania e resolução de conflito: tomo 7. Campinas, SP: Millennium Editora, 2016, p. 51-70.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. SOVIK, Liv (Org.) Belo Horizonte: Editora UFMG.

LAGARDE Y DE LOS RÍOS, Marcela. Para mis socias de la vida. Madrid: horas y HORAS, 2005.

LYRA, José Francisco Dias da Costa. A expansão do Direito Penal na Pós-Moderna Sociedade do Risco: O Controle Penal e suas (im) possibilidades. In: (Re) Pensando Direito. V. 1. Nº 2. 2011. P. 55-78. Disponível em: <http://local.cnecsan.edu.br/revista/index.php/direito/article/view/34>. Acesso em: 24 jun. 2018.

RESTA, Elígio. O Direito Fraterno: Direito e sociedade Contemporânea. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.

SERPA, Maria de Nazareth. Teoria e Prática da Mediação de Conflitos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 1999.

TOURAINE, Alain. O mundo das mulheres. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

WARAT, Luis Alberto. Surfando na pororoca: ofício do mediador. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2004.

Downloads

Publicado

31/05/2019

Como Citar

Dutra, G. S., Colet Gimenez, C. P., & Angelin, R. (2019). Marcas da cultura patriarcal na violência dos corpos femininos: Uma abordagem do Direito Fraterno por uma sociedade não (in) humana. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i5.1435

Edição

Seção

II - Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura