O desenvolvimento do senso analítico no processo de ensino e aprendizagem na Educação Ambiental

Autores

  • Ronualdo Marques Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Claudia Regina Xavier Universidade Tecnológica Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i2.1393

Palavras-chave:

Senso Analítico, Pegada Ecológica do Lixo, Ensino e aprendizagem, Educação Ambiental

Resumo

A Educação Ambiental no processo de ensino e aprendizagem interfere diretamente em nossas vidas e discuti-la possibilita interação e inter-relação para aproximar teoria à prática a partir de reflexões e discussões para que este saber contribua com a mudança de comportamento dos indivíduos em sua relação com o Meio Ambiente. Este estudo exibe uma discussão sobre as inferências levantadas na aplicação de uma Sequência Didática sobre a Pegada Ecológica do Lixo para a promoção da Educação Ambiental, buscando identificar e analisar o desenvolvimento do senso analítico de estudantes de uma turma de 6º ano do Ensino Fundamental de Curitiba-PR. Observou-se na aplicação da Sequência Didática que o uso de argumentos não é uma capacidade inata e só se adquire pela prática, bem como a importância da relação dialógica e a importância do discurso na aquisição do conhecimento científico. Dessa forma conclui-se a presença de um ensino explícito da argumentação melhora o envolvimento dos estudantes tanto quanto ao conhecimento como a sua capacidade de tomada de decisões, manifestando o senso analítico dos alunos, visto que o desenvolvimento de ações integradas e participativas potencializa as discussões que emergem das relações entre os seres humanos, a sociedade e a natureza.

Biografia do Autor

Ronualdo Marques, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Mestre em Ensino de Ciências no Programa de Mestrado em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Universidade Tecnológica Federal do Paraná (PPGFECT-UTFPR); especialização em Educação Especial pela Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (UNIVALE); especialização em Educação e Gestão Ambiental pela Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (UNIVALE); especialização em Gestão Pública Municipal pela UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); especialização em Filosofia Contemporânea pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras (FACEL). Graduando em Pedagogia no Centro Universitário Internacional (UNINTER). Graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Claudia Regina Xavier, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Profa. Dra. no Programa de Mestrado de Formação Científica, Educacional e Tecnológica - FCET/UTFPR.
Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Química pela Universidade Federal do Paraná (1996) e mestrado em Química pela Universidade Federal do Paraná (1998). Participou em Treinamento Avançado em Instrumentos de Gestão Ambiental em Hamburgo- Alemanha (2001) e posteriormente se titulou doutora em Ciências Ambientais pela Universidade de Concepción- Chile (2006). Atualmente é Professora Titular da Universidade Tecnológica Federal do Paraná- UTFPR.

Referências

AMARAL, R. M. Desenvolvimento e aplicação de um método para o mapeamento de competências em inteligência competitiva. 2006. 209 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)– Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2006. Disponível em: . Acesso em: 10/01/2019.

AMERICAN PSYCHOLOGICAL ASSOCIATION. Dicionário de Psicologia - APA. Porto Alegre: Artmed, 2010.

BANERJEE, A.; BANDYOPADHYAY, T.; ACHARYA, P. Data analytics: Hyped up aspirations or true potential. Vikalpa, v. 38, n. 4, p. 1-11, 2013.

BAGGINI, J.; FOSL, P. S. As ferramentas dos filósofos: um compendio sobre conceitos e métodos filosóficos. São Paulo: Loyola, 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo (Edição revista e actualizada). Lisboa: Edições, v. 70, 2009.

BECK, J. B. and WIERSEMA, M. F. ‘Executive Decision Making: Linking Dynamic Managerial Capabilities to the Resource Portfolio and Strategic Outcomes’, Journal of Leadership & Organizational Studies, 20(4), p. 408–419, 2013.

BRAGA, A. A Gestão da Informação. Revista Millenium. v. 19, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer CEB n. 4/98. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Brasília, DF: MEC/CNE, 1998.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Gente, 2002.

COMUZZI, M; PATEL, A. How organisations leverage Big Data: a maturity model. Industrial Management & Data Systems, v. 116, n. 8, p. 1468-1492, 2016.

CRESWELL, J. W.; CLARK, V. L. P. Pesquisa de Métodos Mistos: Série Métodos de Pesquisa. Penso Editora, 2015.

DANKE, I. R. O processo do conhecimento na pedagogia da libertação: as idéias de Freire, Fiori e Dussel. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

EGGERS, J. P.; KAPLAN, S. Cognition and capabilities: a multi-level perspective. The Academy of Management Annals, v. 7, n. 1, p. 295-340, 2013.

ESTEBAN, M. P. S. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: Artmed, 2010.

EVANS, J. R.; LINDNER, C. H. Business analytics: the next frontier for decision sciences. Decision Line, v. 43, n. 2, p. 4-6, 2012.

FREITAS, L.; MORIN, E.; NICOLESCU, B. Carta de transdisciplinaridade. In: NICOLESCU, B. et al. Educação e transdisciplinaridade. Brasília: UNESCO, p.177-81, 2000.

GAVETTI, G. PERSPECTIVE—Toward a behavioral theory of strategy. Organization Science, v. 23, n. 1, p. 267-285, 2012.

GUEDES, J. C. S. Educação ambiental nas escolas de ensino fundamental: estudo de caso. Garanhuns: Ed. do autor, 2006.

GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na educação. 5. ed. Campinas: Papirus, 1995.

HELFAT, C. E.; MARTIN, J. A. Dynamic Managerial Capabilities Review and Assessment of Managerial Impact on Strategic Change. Journal of Management, 41(5), 1281-1312. 2015.

HODGKINSON, G. P.; STARBUCK, W. H. Organizational decision making: mapping terrains on different planets. In: The Oxford Handbook of Organizational Decision Making. 2008.

LAVALLE, S.; LESSER, E.; SHOCKLEY, R.; HOPKINS, M. S.; KRUSCHWITZ, N. Big data, analytics and the path from insights to value. MIT Sloan Management Review, v. 52, n. 2, p. 21, 2011.

MANGUEIRA, L. G.; ALVES, A. S. Análise comparativa dos principais modelos de maturidade destinados à gestão de dados. In: X Congresso Nacional de Excelência em Gestão, Rio de Janeiro, 2014.

MARQUES, R. Pegada ecológica do lixo: desenvolvimento crítico, analítico e científico na educação ambiental de estudantes do 6º ano do ensino fundamental. 2018. 146 f. Dissertação (Mestrado em Formação Científica, Educacional e Tecnológica) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2018. Disponível em: < http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/2964 >. Acesso em: 10/01/2019.

MATIAS, C. J.; GRECO, P. J. Cognição & ação nos jogos esportivos coletivos. Ciências & Cognição, v. 15, n. 1, p. 252-271, 2010.

MELO, M. C. H.; CRUZ, G. C. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no ensino médio. Revista Imagens da Educação [on-line] v. 4, n. 2, p. 31-39, 2014 Disponível em: Acesso em: 09/01/2019.

MORTIMER, E.F; SANTOS, W.L.P. Tomada de Decisão para Ação Social Responsável no Ensino de Ciências. Revista Ciência & Educação, v.7, n.1, p. 95-111, 2001.

NADKARNI, S.; BARR, P. S. Environmental context, managerial cognition, and strategic action: an integrated view. Strategic Management Journal, v. 29, n. 13, p. 1395-1427, 2008.

NICOLESCU, B. A pratica da transdisciplinaridade. In: NICOLESCU, B. et al. Educação e Transdisciplinaridade. Brasília: UNESCO, p. 139-152, 2000.

PEDROSO, C. V. Jogos didáticos no ensino de biologia: uma proposta metodológica baseada em modelo didático. In Anais do IX Congresso Nacional de Educação – Educere; III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia - PR (pp. 3182-3190). Curitiba, PR, 2009. Disponível em: < http://pt.calameo.com/read/0051600938835ab1c48ec > Acesso em: 10/01/2019.

PIPINO, L. L.; LEE, Y. W.; WANG, R. Y. Data quality assessment. Communications of the ACM, v. 45, n. 4, p. 211-218, 2002.

SANTOS, E. M.; FARIA, L. C. M. O educador e o olhar antropológico. Fórum Crítico da Educação: Revista do ISEP/Programa de Mestrado em Ciências Pedagógicas. v. 3, n. 1, out. 2004.

SIMON, H. A. Bounded rationality and organizational learning. Organization Science, v. 2, n. 1, p. 125-134, 1991.

TEECE, D. J.; PISANO, G. The dynamic capabilities of firms: an introduction. Industrial and Corporate Change, v. 3, n. 3, p. 537-556, 1994.

TOULMIN, S. The uses of Argument.New York: Cambridge University Press, 1958.

ZOLLER, U. Expanding the meaning of STS and the movement across the globe. In: YAGER, R. E. (Ed.). The science, technology, society movement.Washington, DC: National Science Teachers Association, p.125-134, 1993.

WALSH, J. P. Managerial and organizational cognition: Notes from a trip down memory lane. Organization Science, 6: 280-321, 1995.

WENZEL, J. W. Three Perspectives on Argument: Rhetoric, Dialetic, Logic. In: TRAPP, R. e SCHUETZ, J. (Ed.). Perspectives of argumentation: Essays in honour of Wayne Brockriede. New York: Waveland, p. 9-26, 1990.

YUS, R. Educação integral: uma educação holística para o século XXI. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Downloads

Publicado

26/09/2019

Como Citar

Marques, R., & Xavier, C. R. (2019). O desenvolvimento do senso analítico no processo de ensino e aprendizagem na Educação Ambiental. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i2.1393

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo