A ocorrência da conjunção aditiva “e” no texto de divulgação sobre o Programa Ciência sem Fronteiras na Revista Tecnológica da UTFPR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i1.1390

Palavras-chave:

aditiva, conjunção, gramática, internacionalização, uso.

Resumo

Na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) mais de 1600 alunos participaram do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF), sendo que esta participação está divulgada em revista de edição comemorativa da UTFPR. O objetivo deste trabalho é discutir em linhas gerais a ocorrência da conjunção aditiva E em texto de divulgação sobre o Programa Ciência sem Fronteiras na UTFPR. Como metodologia utilizamos levantamento bibliográfico e pesquisa documental. Nossas discussões têm suporte teórico em Neves (1985), Castilho (2010), Pezatti (2005), entre outros.  Com base nos trechos retirados como recorte percebemos que a maior parte das ocorrências da conjunção aditiva E estão entre os sintagmas nominais e são utilizados para diferentes situações semânticas.

Biografia do Autor

Carina Merkle Lingnau, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Professora assistente do Departamento Acadêmico de Ciências Humanas, Letras e Artes (DAHLA)

Juliano Desiderato Antonio, Universidade Estadual de Maringá

Professor do Departamento de Letras da Universidade Estadual de Maringá, PR.

Pedro Luis Navarro Barbosa, Universidade Estadual de Maringá

Professor do Departamento de Letras da Universidade Estadual de Maringá, PR.

Referências

BRASIL. Decreto n. 7642, de 13 de dezembro de 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7642.htm. Acesso em: 30 jan. 2019.

BRASIL. Programa Ciência sem Fronteiras. Disponível em: < http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf>Acesso em: 30 set. 2015b.

CASTILHO, A. T. ; Nova Gramática do Português Brasileiro. 1a.. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2010. v. 1. 768p.

FORTES, F.S. Sintaxe greco-romana: Prisciano de Cesareia e Apolônio Díscolo na história do pensamento gramatical antigo. 2012.406f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 2012.

POLISSÍNDETO. In: DICIONÁRIO Michaelis. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=poliss%EDndeto >. Acesso em: 16 nov. 2015.

NEVES, M. H. M. ; O estatuto das chamadas conjunções coordenativas no sistema do português. Alfa (ILCSE/UNESP), São Paulo, v. 29, p. 59-66, 1985.

PEZATTI, Erotide Goreti ; Coordenando orações na língua portuguesa. Museu da Língua Portuguesa -. São Paulo: Portal da Língua Portuguesa - Língua e literatura, 2005 (publicação em mídia).

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Ciência sem Fronteiras. Disponível em: <http://www.utfpr.edu.br/estrutura-universitaria/diretorias-de-gestao/dircom/noticias/noticias/ciencia-sem-fronteiras-2> Acesso em 30 set.2015a.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Revista Tecnológica. Ano 1. Número 1. Abril 2015. Disponível em: http://portal.utfpr.edu.br/comunicacao/produtos/revista-tecnologica/revista-tecnologica-edicao-01/view Acesso em 30 jan.2019.

Downloads

Publicado

30/04/2020

Como Citar

Lingnau, C. M., Antonio, J. D., & Barbosa, P. L. N. (2020). A ocorrência da conjunção aditiva “e” no texto de divulgação sobre o Programa Ciência sem Fronteiras na Revista Tecnológica da UTFPR. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(1). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i1.1390

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)