A bicha e o macho: poder e resistência nas músicas de Linn da Quebrada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i3.1040

Palavras-chave:

ComunidadeLGBTQ , Discurso, Heteronormatividade, Resistência, Subjetividade.

Resumo

Na última década, observou-se um aumento das discussões sobre gênero, bem como da visibilidade de sujeitos pertencentes à comunidade LGBTQ+. Além de se diferenciar da comunidade externa a ela, a dita heterossexual, a própria sigla demonstra que internamente há vários grupos e, portanto várias subjetividades.Desse modo, buscamos investigar o jogo de forças estabelecido internamente à comunidade LGBTQ+ e a sua consequente relação com a circulação/validação de subjetividades.No esteio de uma análise discursiva que mobiliza noções foucaultianas, são mobilizados neste trabalho conceitos comosubjetividade, poder e resistência. A série enunciativa mobilizada é composta por músicas da cantora Lin da Quebrada, em seu álbum ‘Pajubá’, lançado em 2017. As análises indicaram que o discurso construído nas músicas estabelece uma resistência ao padrão do gay com perfil masculinizado, o macho, em prol da valorização da subjetividade do gayfeminio, a bicha.

Biografia do Autor

João Vitor Xavier dos Santos, Universidade Estadual de Maringá

Graduando em Letrras

Adélli Bortolon Bazza, Universidade Estadual de Maringá

Professora no Departamento de Língua Portuguesa da Universidade Estadual de Maringá

Referências

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2003.

FACCHINI, R. Movimento homossexual no Brasil: recompondo um histórico. Cad. AEL, v.10. p. 82-125. n.18/19, 2003.

FOUCAULT, M. Genealogia e poder. In ____. Microfísica do Poder. São Paulo: Graal, 2013a.

____. Nietzsche, a genealogia e a história. In ____. Microfísica do Poder. São Paulo: Graal, 2013b.

____. Os intelectuais e o poder. In ____. Microfísica do Poder. São Paulo: Graal, 2013c.

____. Poder-corpo. In ____. Microfísica do Poder. São Paulo: Graal, 2013d.

FRY, P. Da hierarquia à igualdade: a construção histórica da homossexualidade no Brasil. In: Para inglês ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.

JÚNIOR, A. V. Do altar para as ruas: luta, resistência e construção identitária de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. Bagoas. N.02. p. 171-190. 2008.

LINN DA QUEBRADA. A lenda. Pajubá. 2017. Disponível em:. Acesso em 20 de nov. 2018.

________. Bixa travesti.Pajubá. 2017. Disponível em: . Acesso em 20 de nov. 2018.

________. Coytada.Pajubá. 2017. Disponível em: . Acesso em 20 de nov. 2018.

________. Enviadescer.Pajubá. 2017. Disponível em:. Acesso em 20 de nov. 2018.

________. Prostituto/ Pare querida.Pajubá. 2017. Disponível em: . Acesso em 20 de nov. 2018.

________. Talento.Pajubá. 2017. Disponível em:. Acesso em 20 de nov. 2018.

________. Transudo.Pajubá. 2017. Disponível em: .Acesso em 20 de nov. 2018.

MACRAE, E. A construção da igualdade: Identidade sexual e política no Brasil da “abertura”. Campinas, Ed. da Unicamp, 1990.

Downloads

Publicado

06/02/2019

Como Citar

Santos, J. V. X. dos, & Bazza, A. B. (2019). A bicha e o macho: poder e resistência nas músicas de Linn da Quebrada. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v4i3.1040

Edição

Seção

Dossiê - Discurso, mídia e sociedade