Educação Especial na iniciação à docência: investigação, ação e formação

Autores

  • Fernando Saija de Caldas Campelo Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v2i1.103

Palavras-chave:

Aprendizagem Profissional da Docência, Educação Especial, Investigação-Ação, PIBID, Produção do conhecimento.

Resumo

Este trabalho tem por tema a formação de profissionais para a Educação Especial através do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID. O objetivo do trabalho é discutirmos os fundamentos teóricos freireanos que subsidiam a formação e iniciação à docência na perspectiva freireana conforme aponta Martinez (2015), articulando com as reflexões sobre o conceito de aula, em Rays (2002), juntamente com a aprendizagem profissional da docência (MIZUKAMI, et. al., 2002) através da Investigação-Ação Educacional (CARR; KEMMIS, 1988) e a produção colaborativa de conhecimento no âmbito do PIBID a partir da Educação Dialógico-Problematizadora freireana (FREIRE, 1979, 1983, 1996, 2003).  A metodologia deste trabalho parte da construção teórica dos fundamentos que subsidiam nossa ação e formação, através da revisão bibliográfica sobre os temas e a experiência pessoal dos bolsistas de iniciação à docência. Em relação à formação de professores, ressaltamos a aprendizagem profissional da docência que se torna possível através do PIBID e a investigação-ação educacional como forma potencial de melhorar o trabalho de formar professores através da reflexão sobre a própria prática, atuando na realidade e refletindo sobre ela, formando professores que relacionam teoria e prática, não dicotomizando-as. Dessa forma, alcança-se a práxis, quando se reflete sobre a prática e retornamos à teoria buscando qualificar nossa ação. Assim, é possível a produção do conhecimento através da prática, construindo então uma epistemologia da prática.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

BORGES, Cecília Maria Ferreira O Professor da Educação Básica e seus Saberes Profissionais. Araraquara, Editora : JM, 2004

BRASIL. Portaria nº 096, de 18 de julho de 2013 – Aprova as normas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – Pibid. Disponível em: <http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid>. Acesso em abril de 2013.

______. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB nº 02, de 11 de setembro de 2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Diário Oficial da União, 14 de setembro de 2001.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de Dezembro de 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: Maio de 2013.

BRAVO, Maria. P. C; EISMAN, Leonor. B. Investigación Educativa. Alfar, Sevilla, 1994

CARR, Wilfred.; KEMMIS, Stephen. Teoría crítica de la enseñanza: La investigación-acción en la formación del professorado. Barcelona: Ediciones Martínez Roca S.A, 1988.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. 9 ed. revista – Campinas, SP: Autores Associados, 2011 (Coleção educação contemporânea)

DE BASTOS, Fábio; GRABAUSKA, Clayton. J. Investigação-Ação Educacional: possibilidades críticas e emancipatórias na prática educativa. In: Heuresis Revista Electrónica de Investigación Curricular y Educativa, vol.1, n.2, 1998. Cadiz, España. Disponível em: , Acesso em: fevereiro/2015

DE OLIVEIRA, Everton. F. Processos cíclicos do desenvolvimento profissional: para além de métodos e procedimentos acadêmicos. In: CADERNOS DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. IX Escola de Investigação-ação (EIA): Conflitos e desafios. Centro de Educação, Laboratório de Pesquisa e Documentação LAPEDOC. Santa Maria, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 16a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983

______. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da ação. In: BRANDÃO, C. R (org). Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 2006

______. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996 (Coleção Leitura)

GRABAUSKA, Clayton. J. Educação Problematizadora e Formação de professores no Contexto Universitário. In: Aprimorando-se com Paulo Freire... no Quefazer Educativo. Recife, PE: Bagaço, 2006

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: Investigação, formação e produção de Conhecimentos. Editora : Líber Livro Editora, 2008.

MARTINEZ, Lucas da S. Iniciação à Docência: reflexão sobre a prática docente em uma perspectiva freireana. 2015, 55 f. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Pedagogia) – Universidade Federal do Pampa, Jaguarão.

______; DE OLIVEIRA, Everton Fêrrer; MOSCATO, Jarbas Parise. Inclusão de alunos com deficiência: alguns apontamentos. Diálogo, Canoas, n. 30, Unilassale, 2015. No prelo.

MIZUKAMI, M. et al. Escolas e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar, 2002.

PEREIRA, Júlio. E. D. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Educ. Soc., Campinas , v. 20, n. 68, p. 109-125, Dec. 1999. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73301999000300006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 21 jun. 2015.

RAYS, Oswaldo Alonso. O conceito de aula: um dos saberes necessários à práxis pedagógica. In: RAYS, Oswaldo Alonso (org.). Educação: ensaios reflexivos. Editora Pallotti, Santa Maria, RS, 2002

VIGOSTSKI, Lev S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

Downloads

Publicado

09/03/2016

Como Citar

Campelo, F. S. de C. (2016). Educação Especial na iniciação à docência: investigação, ação e formação. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 2(1), 330–342. https://doi.org/10.23899/relacult.v2i1.103

Edição

Seção

Dossiê - Formação Acadêmica, Educação e Sociedade