Concurso Miss Mulata Rio Grande do Sul: o conflito da cor e a branquitude nos padrões estéticos

Autores

  • Beatriz Floôr Quadrado Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.102

Palavras-chave:

Mulata, negritude, branquitude, cor, estética

Resumo

O trabalho de pesquisa tem como temática o concurso de beleza intitulado “Miss Mulata” da cidade de Arroio Grande, região sul do Rio Grande do sul. O concurso tem origem em 1969 e seu último ano de realização foi 1999, sendo que em 1989 deixa de abranger apenas a região sul para se tornar Estadual. O principal objetivo da pesquisa é entender o uso da terminologia “mulata” para o concurso junto à identidade, do grupo envolvido; mas também levando em consideração épocas, histórias e a diversidade dos grupos negros. Por isso, a necessidade de uma análise da relação de beleza, gênero e raça para entender a relevância do concurso para as mulheres negras da cidade de Arroio Grande, junto à dominação do padrão estético da branquitude. A principal metodologia do trabalho é a Historia Oral. Enfim, levar-se em conta, nesta pesquisa, que o concurso Miss Mulata analisado é uma forma de estratégia étnico-social, de re-apropriação de significados, além de uma forma valorização e auto-estima do grupo envolto no concurso.

Biografia do Autor

Beatriz Floôr Quadrado, Universidade Federal de Pelotas

Mestranda em História pelo PPGH UFPel, Históra.

Downloads

Publicado

31/12/2015

Como Citar

Quadrado, B. F. (2015). Concurso Miss Mulata Rio Grande do Sul: o conflito da cor e a branquitude nos padrões estéticos. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 1(02), 144–155. https://doi.org/10.23899/relacult.v1i02.102

Edição

Seção

Dossiê - Estudos de Gênero, Feminismo e Sexualidades