Animeventos: Uma perspectiva de Turismo através da observação do Otaku

Davi Oliveira Bento, Marcina Amália Nunes Moreira

Resumo


Este artigo tem como proposta uma análise do otaku no contexto dos animeventos promovidos no Brasil, compreendendo o fato de que os torna e os qualifica como turistas potenciais para um novo nicho de mercado. Uma tribo urbana formada por pessoas consideradas fãs da cultura pop japonesa que, dentro desses dos seus eventos sociais, incluem os personagens dos universos de mangás e animês, caracterizados por uma onda de pessoas transvestidas que expressam suas preferências por determinados títulos através de suas vestimentas e modo de agir, fazendo jus ao verdadeiro sentido do cosplay. Agregando também os shows dos gêneros musicais K-Pop, K-Rock, J-Pop, J-Rock e Anime Songs, que possuem uma legião de ouvintes espalhadas pela nação brasileira, evidenciadas pela “loucura” e versatilidade do povo pop japonês. Como parte da estrutura desses eventos, encontram-se disseminados em todo seu espaço os estandes com action figures, quadrinhos, acessórios otaku, roupas estilizadas ao gosto do público alvo, as competições de jogos, palestras e outros atrativos dependendo do evento. Considerando então a existência desses eventos de animê, pretende-se a análise das pesquisas exploratórias e descritivas feitas em 2014 nos eventos Anime Bomb em Pelotas (Rio Grande do Sul/RS) e no Anime Friends na cidade de São Paulo (SP), afim de entender esse público por meio suas motivações e padrões de consumo dentro de cada evento. A análise dos dados coletados proporcionou uma interessante provocação sobre a possível existência do turismo otaku em animeventos, instigando aprofundamentos ao estudo do turismo pop cultural nesse segmento.


Palavras-chave


Animeventos; Otaku; Cultura pop japonesa; Turista; Turismo pop cultural

Texto completo:

PDF

Referências


BARRAL, Étienne. Otaku: Os filhos do virtual. São Paulo: Editora SENAC, 2000.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

DIAS, Reinaldo. Planejamento e Desenvolvimento do Turismo no Brasil. São Paulo: Atlas, 2008.

FARIAS, E. K. V. A construção de atrativos turísticos com a comunidade. In: MURTA, Stela M. (Org.); ALBANO, Celina (Org.). Interpretar o Patrimônio: um exercício do olhar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na cultura. Tradução de Renato Zwick. Porto Alegre: L&PM Editores, 2010.

GALBRAITH, Patrick. Akihabara: Conditioning a Public “Otaku” Image. Duke University. 210-230, 2010. Disponível em: https://duke.academia.edu/PatrickWGalbraith. Acesso em: 10/11/2017.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

LAMARRE, Thomas. The Anime Machine: A Media Theory of Animation. USA: Universvity of Minnesota, 2009.

LUYTEN, Sonia M. B. (Org.) Cultura pop japonesa. São Paulo: Hedra, 2005.

MORRISON, Alasdair. Marketing de hospitalidade e turismo. São Paulo: CENGAGE Learning, 2012.

NAGADO, Alexandre (Org.); MATSUDA, Michel; GOES, Rodrigo. Cultura Pop Japonesa: Histórias e Curiosidades. 1ª edição. Março de 2011.

NAGADO, Alexandre. O mangá no contexto da cultura pop japonesa e universal; GUSMAN, Sidney. Mangás: hoje, o único formados de leitores do mercado brasileiro de quadrinhos. In: LUYTEN, Sonia B (Org). Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses. 3ª. Ed. São Paulo: Hedra, 2011.

PANOSSO NETTO, Alexandre; LOHMANN, Guilherme. Teorias do Turismo: Conceitos, Modelos e Sistemas. São Paulo: Aleph, 2008.

PRODANOV, Cleber Cristiano. FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

SALAZAR, Shirley. Os Cinco Sentidos Aplicados ao Planejamento Estratégico dos Eventos. In: NAKANE, Andréa (Org). Fatos&Tendências em Eventos: Os Cinco Sentidos. São Paulo: LCTE, 2012.

TRIGO, Luiz G. G.; NETTO, Alexandre P. REFLEXÕES SOBRE UM NOVO TURISMO: Política, Ciência e Sociedade. São Paulo: Aleph, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v4i0.793

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Davi Oliveira Bento, Marcina Amália Nunes Moreira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

RELACult - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

e-ISSN: 2525-7870

Facebook - Twitter - Instagram

Endereço eletrônico: relacult@claec.org


Qualis CAPES: B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

Responsável Editorial:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

www.claec.org/editora

Endereço eletrônico: editora@claec.org