COMUNICAÇÃO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E CONHECIMENTO: percepção pública de estudantes do ensino médio em escola da zona rural, Pernambuco-BRASIL

Betania Maciel, Felipe de Carvalho Souza

Resumo


Propiciar uma reflexão capaz de abarcar elementos da teoria social na construção das identidades, possibilitando compreender como se dá a construção do conhecimento, resultante do letramento científico na formação contemporânea, nos principais processos de estratificação de atores na sociedade moderna, identificando quais as principais estratégias de comunicação utilizadas e os impactos das Tecnologias de Informação e Comunicação no cotidiano da população jovem no meio rural, sobretudo no que condiciona a percepção pública sobre Ciência e Tecnologia. A pesquisa de campo caracterizou-se pelas investigações em que, além da pesquisa bibliográfica e/ou documental, elaborou-se a coleta de dados junto a alunos e professores, com o recurso de diferentes tipos de pesquisa ex-post-facto, pesquisa-ação e a pesquisa participante.  Constatou-se que as tecnologias de informação e comunicação disponibilizam grande volume e diversidade de informações que implicam o desenvolvimento de habilidades e a reconstrução permanente de conhecimentos que tornam a seleção e o tratamento das informações eficientes e objetivos. Com este debate relacionado a prática e desdobramento da comunicação científica na escola, constatou-se que a atitude do grupo pesquisado em relação à ciência e à tecnologia é positiva e otimista. Há uma expectativa de que a ciência seja um fator de transformação para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Isso tem a ver com a percepção da ciência como um instrumento que gera resultados aplicáveis às suas vidas e capaz de solucionar problemas, como por exemplo, na área de saúde e meio ambiente.

Palavras-chave


Ciência; Juventude; Percepção Pública; Tecnologia; Ensino Médio.

Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BARREIRA, César. Ligado na galera, juventude, violência e cidadania na cidade de Fortaleza. Brasília: UNESCO, 1999.

CANCLINI, Néstor García, 2003. Globalizar-se ou defender a identidade: como escapar dessa opção. In: CANCLINI, Néstor García. A Globalização imaginada. São Paulo: Iluminuras, 2003. pp. 19 – 40.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em Rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura; v.1. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

_______________. Galáxia da internet: reflexões sobre a internet, negócios e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CASTELLS, Manuel; CARDOSO, Gustavo (org.). A Sociedade em Rede: do conhecimento à ação política. Conferência. Belém (Por): Imprensa Nacional, 2005.

Chauí MS. Convite à filosofia. 3a ed. São Paulo: Ática; 1995

Chaui, Marilena. Cultura e democracia . En: Crítica y emancipación : Revista latinoamericana de Ciencias Sociales. Año 1, no. 1 (jun. 2008- ). Buenos Aires : CLACSO, 2008- . -- ISSN 1999-8104. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/secret/CyE/cye3S2a.pdf (acesso em 20/01/2015)

GIDDENS, Anthony (2000). Mundo em descontrole. Rio de Janeiro, Record. HABERMAS, Jürgen (1989). Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006.

LIMA, Ivanice, & SANTOS, Maria Salett Tauk. "Rádio comunitária construindo o capital social: mulheres rurais na produção radiofônica.” Comunicação & Educação [Online], 17.1 (2012): 23-30. (Acesso em 29 de Outubro de 2014).

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MATTELART, Armand. A construção Social do direito à Comunicação como parte integrante dos direitos humanos. Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo, v.32, n.1, p. 33-50, jan./jun. 2009.

MARCONDES FILHO, Ciro. Para entender a comunicação: contatos antecipados com a

nova teoria. São Paulo: Ed. Paulus, 2008. (Coleção temas de Comunicação).

MILLS, C. Wright. Sobre o artesanato intelectual e outros ensaios. trad. Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Ed. ZAHAR, 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social in: Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. Orgs. Suely Ferrereira Deslandes; Otávio Cruz Neto; Romeu Gosmes; Maria Cecília de Souza Minayo. Petrópolis/RJ: Vozes, 1994.

MORIN, Edgar. O método 3: conhecimento do conhecimento. Trad. Juremir Machado da Silva. 5a edição. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2015

PERUZZO, Cicilia (2005). Internet e democracia comunicacional: entre os entraves, utopias e o direito à comunicação. in MELO, José Marques de.

SABBATINI, M. Alfabetização e Cultura Científica: conceitos convergentes? Comunicação & Ciência, volume 1, n. 1, dez 2004. Disponível em: www. jornalismocientífico.com.br SATHLER, Luciano (2005). Direitos à comunicação na sociedade da informação. São Bernardo do Campo, Umesp.

SABBATINI, M. Novos modelos da percepção pública da ciência e da tecnologia: do modelo contextual de comunicação científica aos pr

ocessos de participação social. XXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2004, Porto Alegre.

SPENILLO, Giuseppa. M. D. “Direito Humano a Comunicação” In Direito à Comunicação: uma formulação contemporânea de exigências de mudanças nas estruturas coletivas de comunicação e informação. Contribuições para uma análise sociogenesiológica e configuracional da articulação CRIS Brasil. CPDA – UFRRJ. Rio de Janeiro, 2008.

SUZINA, Ana Cristina. A contribuição dos meios de comunicação populares e alternativos ao desenvolvimento da democracia e da cidadania no Brasil. Anais do V Congresso da Compolítica, 2013.

UNESCO. Comissão Internacional para o Estudo dos Problemas da comunicação. (1983). Um mundo e muitas vozes; comunicação e informação na nossa época. Rio de Janeiro, Editora da Fundação Getúlio Vargas.

VOGT, C. Ciência, comunicação e cultura científica. In: Vogt, C.(org). Cultura científica: desafios. SP: Universidade de São Paulo, Fapesp, 2006. p.19-26.




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v4i0.697

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Betania Maciel, Felipe de Carvalho Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

RELACult - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

e-ISSN: 2525-7870

Facebook - Twitter - Instagram

Endereço eletrônico: relacult@claec.org


Qualis CAPES: B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

Responsável Editorial:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

www.claec.org/editora

Endereço eletrônico: editora@claec.org