Exército, Nação e Saúde: A medicina militar brasileira como elemento de criação de fronteira nacionais

Tiago Penteado Bomfim, Vanderlei Sebastião de Souza, Wagner Neres Fiuza

Resumo


Pretendemos a partir deste texto investigar e analisar, a atuação do médico e higienista do exército brasileiro Arthur Lobo da Silva, como produtor do conhecimento cientifico da área da saúde desta instituição, entre os anos de 1920 a 1940. Do mesmo modo, será preciso entender de que maneira a medicina militar se constituiu como um elemento criador de fronteira no início do século XX. A participação de Arthur Lobo da Silva nestes campos foi materializada em diversas publicações como jornais, periódicos, entre outros. Tais obras servirão de componente básico para analise deste trabalho. Destaca-se que as ideias do autor sobre higiene, saúde, e o papel do exército nos permitirão compreender a sua representação de nação, fronteira e região e o que este autor acredita ser o papel do Estado brasileiro no período. Ao expor tais opiniões e posicionamentos Arthur Lobo da Silva ira se inserir no debate com outros intelectuais brasileiros, a respeito dos problemas sanitários do país o que inviabilizava no período a criação de uma “nação”, “fronteira” e de um “povo brasileiro”, a inserção destes militares nesta discussão legitimou o papel do Exército como uma das soluções sociais para estes problemas. Para fazer tal analise, além de utilizar algumas publicações de Arthur Lobo da Silva, em periódicos militares e civis, os livros A luta contra as moléstias venéreas no Exército brasileiro (1929), O serviço de saúde do Exército brasileiro (1958), Antropologia no Exército brasileiro (1929), também serão utilizados para mapear a sua trajetória intelectual. 


Palavras-chave


Exército; fronteira; medicina militar; saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Claudia. Participação do Exército na proclamação da República: Revendo a Questão Militar. ANPUH – XXII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – João Pessoa, 2003.

CARDOSO, Rachel Motta. A Higiene Militar: um estudo comparado entre o Serviço de Saúde do Exército Brasileiro e o Cuerpo de Sanidad do Exército Argentino (1888-1930), Rio de Janeiro: [s.n.], 2013.

DIAS, João Carlos Pinto (Org). Clínica e terapêutica da doença de Chagas: uma abordagem prática para o clinico geral. Rio de Janeiro:FIOCRUZ, 1997.

HOCHMAN, Gilberto. A Era do Saneamento: As bases da política de Saúde Pública no Brasil, 2ª edição, Editora Hucitec, São Paulo, 2006.

LIMA, Nísia Trindade, HOCHMAN, Gilberto. Condenado pela raça, absolvido pela medicina: O Brasil descoberto pelo movimento sanitarista da Primeira República. In: MAIO, Marcos Chor, SANTOS, Ricardo Ventura (Orgs.). Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, Centro Cultural Banco do Brasil, 1996. 252p

LIMA, Nísia Trindade. Um sertão chamado Brasil: Intelectuais e representação geográfica da identidade nacional. Rio de Janeiro. Editora Revan, 1999

LÖWY, I. Vírus, mosquitos e modernidade: a febre amarela no Brasil entre ciência e política [online]. Tradução de Irene Ernest Dias. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006. 427 p. História e Saúde collection. ISBN 85-7541-062-8. Available from Scielo Books.

SÁ, Dominichi Miranda de. A voz do Brasil: Miguel Pereira e o discurso sobre o “imenso hospital”. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v.16, supl.1, jul. 2009, p.333-348.

SILVA, Arthur Lobo da. A luta contra as moléstias venéreas no exército brasileiro. Imprensa gráfica editora Paulo Pongetti & Cia. Rio de Janeiro.1929

________. O Serviço de Saúde do Exército Brasileiro (Historia evolutiva desde os tempos primórdios até os tempos atuais). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1958.

SOUZA, Vanderlei Sebastião de. A política biológica como projeto: A ‘eugenia negativa’ e a construção da nacionalidade na trajetória de Renato Kehl (1917-1932). Dissertação de Mestrado (História das Ciências), Rio de Janeiro: Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2006




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v3i3.523

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Tiago Penteado Bomfim, Vanderlei Sebastião de Souza, Wagner Neres Fiuza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Qualis CAPES (2013-2016):

B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

e-ISSN 2016/Atual: 2525-7870 | e-ISSN 2015/2016: 2447-018X

Facebook - Twitter - Instagram

Realização:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

Endereço Eletrônico: relacult@claec.org


Contador disponível desde 05/2016.

universidades e ensino superior
contador de visitas