Memória, Identidade e Patrimônio Quilombola

Rodrigo da Costa Segovia, Davi Kiermes Tavares, Gisele Dutra Quevedo, José Paulo Seifert Brahm

Resumo


Este artigo visa analisar a Comunidade Quilombola, sua memória e identidade, nesse contexto busca-se dialogar com a pesquisa que está sendo desenvolvida junto a Comunidade Quilombo Madeira, bem como com o projeto para conclusão do Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural da Universidade Federal de Pelotas. Sendo assim não foi possível deixar de fazer colocações relacionadas a Comunidades Quilombolas, em primeiro momento abordam-se questões relativas ao termo quilombola, logo a pós uma breve apresentação da comunidade onde a pesquisa está sendo efetuada e por final acerca-se com maior ênfase as discussões sobre Memória e Identidade.


Palavras-chave


Comunidades Quilombolas, Patrimônio, Memória, Identidade

Texto completo:

PDF

Referências


AGIER, Michel. Distúrbios identitários em tempos de globalização. Mana, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, out. 2001.

Ameida, Alfredo Wagner Berno. Os quilombos e as novas etnias: é necessário que nos libertamos da definição arqueológica, In: LAITÃO, Sérgio (Org.). Direitos territoriais das comunidades negras rurais. Documentos do ISA, N. 5. 1999. Vitória/ES.

BEZERRA. Daniele Borges, LENEDEFF. Tatiana Bolivar. Lugares de afeto nada empoeirados: Uma discussão sobre memória e identidade do idoso asilado, o registro como promoção de saúde mental. XI Encontro Estadual de História. Furg 2012.

BOHN. Letícia Ribas Diefenthaeler. Patrimônio Histórico cultural da Ilha da Rita: refletindo sobre identidades e heranças culturais. Tamanini – Joinville: Ed. UNIVILLE, 2010.

BRASIL. Constituição Federal, 1988.

CANDAU, Joel. Conflits de memóire: pertinence d’une metaphore? In: BONNET, Véronique (sous la direction de). Conflits de Mémoire. Paris: Khartala, 2004.

CANDAU, Joel. Bases antropológicas e expressões mundanas da busca patrimonial: memória, tradição e identidade. Memória em Rede, Pelotas, v.1,n.1, jan/jul.2009. p.43-58.

CANDAU, Joel. Memória e Identidade. Tradução: Maria Leticia Ferreira. São Paulo: contexto, 2011.

CANDAU, Joel. Memória e Identidade: do indivíduo às retóricas holistas. Memória e Identidade. Tradu¬ção Maria Leticia Ferreira, 1ªed., São Paulo: Contexto, 2012. p. 21-57

CAPA. Revelando os quilombos do Sul. Pelotas, 2010.

CHAUÍ, Marilena Cidadania cultural, 1ª Ed. – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2006.

DECRETO 4887/2003, de 20 de novembro de 2003, trata sobre a regulamentação do reconhecimento de terras quilombolas. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/D4887.htm Acesso em 05.08.2015.

DURAND, Gilbert. O Imaginário: ensaio a cerca das ciências sociais e da filosofia da imagem. Trad. Renée Eve Levié. 2 ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2001.

FERREIRA, Maria Letícia. A Memória dos Santos Lugares. Revista Memória em Rede. Pelotas, v.1, n1, dez. 2009/mar. 2010.

FERREIRA. Maria Letícia Mazzucchi, CERQUEIRA. Fabio Vergara. Mulheres e doces: o saber-fazer na cidade de Pelotas. Revista Patrimônio e Memória

São Paulo, Unesp, v. 8, n.1, p. 255-276, janeiro-junho, 2012.

FUNARI, P. P. A. & PELEGRINI, S. C. A. Patrimônio Histórico e Cultural. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006. 72p.

IZQUIERDO, Ivan. Memórias. Estudos históricos [online]. 1989, vol.3, n.6, pp. 89-112.

MAETRI FILHO, Mario José. O Escravo no Rio Grande do Sul: a charqueada e a gênese do escravismo gaúcho. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes; Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 1984.

MAGALHÃES, Fernando Museus Património e Identidade: Ritualidade, Educação, Conservação, Pesquisa, Exposição. Porto, Portugal: Profedições, Ltda/ Jornal a Página. 2005.

MILLER, Brenda. Cognitive neurosciences and the study of memory .Neuron, Vol. 20, 445–468, March, 1998

NORA, Pierre apud LE GOFF, Jacques. A História Nova. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1993, p.7.

REBOUÇAS. Jaqueline Argolo. MEMÓRIA E IDENTIDADES: ENTRE AS REPRESENTAÇÕES DE UMA CIDADE (AMARGOSA, 1930 – 1950). III Encontro Baiano de Estudos em Cultura. 2012.

RODRIGUES. Ana Ramos, SERRES, Juliane Primon. Museu: memória e esquecimento, do individual ao coletivo. Revista Mouseion. Canoas, n. 14, abr. 2013.

SOMBRA,Paula. Un parcours collectif autour du militantisme politique en Argentine : de la mémoire des « combattants révolutionnaires » aux discours sur la victimisation , Conserveries mémorielles [En ligne], # 15 | 2014.

HALBWACHS, Maurice. Les cadres sociaux de la mémoire. Paris: Mouton, 1976.

HALBWACHS, M. “A invenção das tradições” In: HOBSBAWN, E. e RANGER, E, (orgs). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v1i02.150

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Rodrigo da Costa Segovia, Davi Kiermes Tavares, Gisele Dutra Quevedo, José Paulo Seifert Brahm

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Qualis CAPES (2013-2016):

B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

e-ISSN 2016/Atual: 2525-7870 | e-ISSN 2015/2016: 2447-018X

Facebook - Twitter - Instagram

Realização:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

Endereço Eletrônico: relacult@claec.org


Contador disponível desde 05/2016.

universidades e ensino superior
contador de visitas