Cultura, práticas e saberes no trabalho desenvolvido na Pastoral da Saúde e a relação com a Política Pública de Saúde

Angela Quintanilha Gomes, Fernanda Cristina Foss De Zorzi

Resumo


Considerando a relevância da política pública de saúde vigente no país e também a necessidade de inclusão e acesso a todas as pessoas, visualiza-se a integração  de ações de saúde, como práticas alternativas, que visem a qualidade de vida do cidadão. Este estudo foi elaborado com a finalidade de apresentar o trabalho realizado nas Pastorais da Saúde no município de São Borja/RS, evidenciando questões como  cultura, práticas e saberes  dos agentes da pastoral e o resultado deste na visão de quem utiliza (usuários) os produtos que ali são preparados. A Pastoral da Saúde possui sua organização e referência de trabalho em três dimensões (social, comunitária e sócio-política), inclusive na inter relação com a política pública de saúde vigente no país, atuando também na melhoria das condições de saúde da população que busca o serviço da Pastoral da Saúde. Para atingir a finalidade do trabalho traçamos como objetivo: analisar a cultura, práticas e saberes no trabalho desenvolvido nas Pastorais da Saúde do município na visão dos agentes da pastoral e dos usuários deste serviço. A metodologia utilizada foi quantitativa, com busca bibliográfica, coleta de dados (observação participante e questionário), análise e discussão dos resultados.  Por fim, os objetivos do estudo foram alcançados, resultando no conhecimento da importância deste trabalho frente à coletividade e em conjunto à política pública de saúde e a política nacional de plantas fitoterápicas e medicinais.


Palavras-chave


cultura, Pastoral da Saúde, políticas públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

BARCHIFONTAINE, C. O papel da Pastoral da Saúde na Igreja. Vida Pastoral. 2016, Disponível em acesso em novembro de 2016.

BRASIL. Constituição Federal 1988. 5 de outubro de 1988. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm > acesso em 18 de julho de 2016.

BRASIL. Decreto 5.813, 22 de junho de 2006. Dispõe sobre a Política Nacional de Plantas Medicinais e fitoterápicas. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 23 de junho de 2006. Disponível em < 13http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_arquivos_64/Pol%C3%ADtica_Nacional_de_Plantas_Medicinais_e_Fitoter%C3%A1picos.pdf> acesso em novembro de 2016.

BRASIL. Lei 8080, outubro 1990. 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 20 set, 1990. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm> acesso em 18 de julho de 2016.

BRASIL. Lei 8142, 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do SUS. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil Brasília, DF, 31 dez, 1990. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8142.htm > acesso em 27 de julho de 2016.

COSTA, E. CARBONE, M. Saúde da Família: uma abordagem interdisciplinar. 1 ed. Rubio. Rio de Janeiro, 2004.

DURÃES, J. SOUZA, W. a pastoral da saúde e o sus: para que todos tenham vida em abundância. In: Segundo Congrsso de Humanização. Curitiba, 2011. Anais: PUC. Disponível em < http://anais.congressodehumanizacao.com.br/files/2012/07/RESUMO-021.pdf> acesso em novembro de 2016.

EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. 2 ed. São Paulo: Unesp, 2011

GEERTZ, Clifford. A interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008 (cap. 2: O impacto do conceito de cultura sobre o conceito de homem).

GIL, A.C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5 ed. Atlas. São Paulo, 2007.

LEANDRO, B. BAHIA, L. A agenda da CNBB para a Saúde: Uma análise da pauta dos documentos oficiais da entidade de 1952 a 2012. In: 2º CONGRESSO BRASILEIRO DE POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE . Belo Horizonte, 2013. Anais: Universidade Federal do Rio de janeiro. Disponível em < http://www.politicaemsaude.com.br/anais/trabalhos/publicacoes/001.pdf> acesso em outubro de 2016.

MARTINS, A. A Pastoral da Saúde e sua importância no mundo da saúde: da presença solidária ao transcender a dor e o sofrimento. O Mundo da Saúde. São Paulo, 2010. Disponível em < http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/79/18_A%20Pastoral%20da%20Saude.pdf> acesso em outubro de 2016.

MOREIRA. M. Metodologia de pesquisa em ensino. LF Editorial. São Paulo. 2011.

OLIVEIRA, I. SOUZA, W. A Pastoral da Saúde da arquidiocese de Curitiba e seus desafios. In: Jornada Interdisciplinar de Pesquisa em Teologia e Humanidades. Curitiba, 2011. Anais PUC- Escola de Educação e Humanidades. Disponível em < https://www.google.com.br/search?q=Pastoral+da+Sa%C3%BAde+da+arquidiocese+de+Curitiba+e+seus+desafios&oq=Pastoral+da+Sa%C3%BAde+da+arquidiocese+de+Curitiba+e+seus+desafios&aqs=chrome..69i57.2041j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8> acesso em novembro de 2016.

SECCHI, L. Política Públicas: Conceitos, esquemas de análise, casos práticos. 2 ed. Cengage Learning, São Paulo, 2015.

SILVA, A. PERFIL DO AGENTE DE PASTORAL DA SAÚDE. ISCAL, novembro de 2012. Disponível em < http://www.iscal.com.br/iscal/upload/curso_capelania/perfil_do_agente_da_pastoral_da_saude_e_agente_da_pastoral_da_saude.pdf> acesso em outubro de 2016.

STARFIELD, B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologias. UNESCO, 2002.

TURINO, F. BELO, M. SILVA, A. Uma Visão Diagnóstica da Fitoterapia na Pastoral da Saúde. Natureza On Line , 2004 . Disponível em < http://www.naturezaonline.com.br/natureza/conteudo/pdf/Revista_Online_Fabiana&Mary&Ary.pdf> acesso em outubro de 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v3i3.471

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Angela Quintanilha Gomes, Fernanda Cristina Foss De Zorzi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

RELACult - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

e-ISSN: 2525-7870

Facebook - Twitter - Instagram

Endereço eletrônico: relacult@claec.org


Qualis CAPES: B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

Responsável Editorial:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

www.claec.org/editora

Endereço eletrônico: editora@claec.org